PesquisaMorte:

ArquivoMorte

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

domingo, 18 de março de 2018

AnáliseMorte: Brütal Legend - Metal!!!

Eis um hack&slash misturado com corrida, exploração e estratégia. Combinação estranha, que resulta num jogo pra la de divertido e empolgante, sem contar que é lotado de humor e muito, mas muito Heavy Metal!

Brütal Legend


Bora falar de algo que não só criou uma mitologia bem original, como também trouxe a tona a personificação do puro Metal!


Boa leitura!



Desde a 2º configuração do meu pc eu queria jogar essa belezinha mas não podia, pois ele exigia muito da capacidade da máquina e lagava. Ainda hoje, ele não é totalmente otimizado, sendo que mesmo relançando em 2013, ele ainda tem alguns bugs e probleminhas chatos, mas, ignorando isso, foi um prazer finalmente poder joga-lo.



Trata-se de um jogo onde o protagonista carrega um machado numa mão, uma guitarra na outra, e sai pelo inferno matando demônios pra libertar a humanidade, isso após ter morrido no mundo real.



Um conceito simples, mas que vai se dissolvendo ao longo da trama, pois muito da história desse "inferno" e da suposta morte do protagonista é revelado e desmentido, ao ponto de surgir todo uma nova mitologia, própria pra uma verdadeira franquia, que infelizmente não existe.

Pois é, até então, Brutal Legend é filho único, não tendo recebido continuação e nem previsão para tal, apesar de que, nem é algo realmente necessário pois sua história é bem amarrada e completa.

O protagonista nem é um personagem tão profundo de inicio, que acaba se convertendo no centro de tudo e no fim, nem é de fato importante. É parte da narrativa mostrar que o protagonista não é o centro de tudo, é apenas "O Ajudante", posição e título este que ele se orgulha de ter, e é seu foco até o fim.



Mas, se parar pra pensar, toda a história gira sim em torno dele, e ele é a razão pra tudo acontecer, desde antes, durante e após os eventos importantes. Até seus pais chegam a serem importantes, e cruciais, então, de uma forma ou de outra, o protagonista acaba assumindo a posição de centro das atenções, mesmo no final ele encerrando como coadjuvante.



Eu vou explicar isso tudo, mas vai ser um caminho longo afinal, a história pode até se resumir ao protagonista, mas tem uma porrada de personagens secundários importantíssimos, e o mundo onde tudo se passa é tão grande, tão amplo, que cara, vai ser longo.


Então, bora la!

Jogabilidade

BL é um jogo que começa como Hack and Slash, com o objetivo de sentar a machadada em todo mundo, daí o movimento inicial básico, além de andar, é bater com a primeira arma obtida, o machado (que é também a única arma branca obtida, recebendo apenas variações de designe que melhoram o dano).



Daí, o personagem consegue uma Guitarra, mas, com esse instrumento ele solta Raios e Fogo, o que tecnicamente é mortal.



Então, é preciso intercalar entre ataques de machado e de guitarra, sendo que a guitarra esquenta quando se dispara raio de mais, então tem que esperar esfriar e tal.



E ai entra mais uma função que muda um pouco o gênero, de H&S vai pra algo ao estilo musical, mas nada muito complexo. Sabe Zelda Ocarina of Time e o esquema das músicas da Ocarina? Então, você pode tocar músicas com a guitarra pra invocar alguns poderes mágicos bem específicos, mas bem específicos mesmo. 



A maioria deles, só fica habilitado numa modalidade totalmente diferente do jogo, que depois eu vou falar, mas alguns são livres, e bem úteis...

Da pra invocar um Carro!

Nesse caso, o jogo muda pra jogo de Corrida... alias, tecnicamente, 50% do jogo é corrida e exploração já que o carro, um equipamento fixo liberado logo no começo, é não apenas um recurso de exploração, mas uma arma extremamente versátil, e também, uma vida extra pro personagem!



Da pra tocar músicas de invocação em qualquer lugar, mas na primeira vez é preciso tocar em altares específicos, e uma música de destravamento.



Isso faz o personagem aprender um som novo que faz algo, e a primeira música que ele aprende de invocação é a do carro... ele constrói um e o usa até o fim, como sua arma secundária.



Ele pode ser invocado em qualquer lugar, a qualquer hora, não consome combustível, pode ser equipado com armas de fogo e armadilhas, além de receber upgrades de proteção e velocidade, e cara, ele ainda é mais poderoso que a guitarra e o machado juntos!



Dentre as armas que da pra acoplar quando a Garagem do Inferno é aberta (liberada também por uma música) tem a Metralhadora... que é simplizona...



E as que eu mais curto são as Patas de Aranha de Sangue, que são 8 jorradas de sangue ácido constante consecutivamente, que fazem o carro parecer uma aranha se visto de cima, e mata tudo que chega perto...



E a bazuca de malícia que é, apenas uma gosma preta que segue os inimigos, explode e mata fácil.



Tem outras, mas eu não curti.



Tem também o turbo e a virada rápida, que servem pra pilotar e direcionar... são bons pra corridas, e tem uma sidequest de corrida em que dominar esses movimentos é pra la de útil.


Da pra invocar Animais!

No mundo de BL, há animais além dos demônios e inimigos, sendo que a maioria deles são agressivos. Existem sidequests durante o jogo, e uma delas é de caça à animais. Não é nada complicado, geralmente são quantidades pequenas (5 a 10 só) eu mesmo, joguei no modo Brutal (que é o equivalente a expert) e foi de boa, onde ao caçar eles, ganha-se uma música de invocação de animais.



Conforme se caça, vai aumentando a dificuldade e mudando o tipo de animal pra se caçar, e como recompensa, a música de invocação faz o último animal caçado o invocado. Como eles vão ficando mais fortes, chega uma hora que aparecem uns bichos poderosos pra caramba... Infelizmente, nem todos os bichos do jogo fazem parte da caça, por isso nem todos são invocáveis (tem um chifrudão que eu queria poder invocar mas, ele não chega a ser caçado, é só monstro comum do cenário mesmo).



O ruim, é que nesse caso há limite de tempo pra invocação, e é preciso esperar 2 minutos e meio pra invocar novamente, além da quantidade de animais variar dependendo do poder.



Os melhores, que pra mim valem ser mencionados só pra exemplificar, são:

Porco Espinho Explosivo



São pequenos e vem em bando, e servem pra se atirar nos inimigos e explodir.

Monstro Grande



É uma criatura grande que devora as menores, ele é forte e vem em duplas, e da pra montar.

Cavalo Fantasma



Esse só é estiloso, apesar de ser forte na hora de caçar, não achei forte na hora de montar.

Pantera de Olhos Laser



Essa é sem dúvidas a melhor, sendo uma Pantera que joga lasers ilimitados pelos olhos. O ruim é que só vem 1 por vez.

Monstro Guilhotina (Guilhotauro)



Esse é grandão, forte, mas é lento, e pelo menos vem em duplas. É o último animal obtido pela invocação.

Tem a Música que Derrete Faces!



Como o nome sugere, ela derrete o rosto dos inimigos próximos... é mortal, mas demora um minuto pra recarregar... ainda assim, é boa pra eliminar hordas rápido.

Tem a música que invoca um Dirigível!

Essa eu peguei na sorte, e é uma música que invoca um Dirigível que começa a pegar fogo e se desmanchar no céu, formando uma chuva de fogo e matando tudo quanto é inimigo ao redor.



O ruim é que a música é longa e ele demora pra recarregar, mas ele é bem fortão pra usar na hora de lutar nas Batalhas de Bandas... apesar de ser livre pra usar em campo aberto também... alias depois falo das Batalhas de Bandas, calma...


E por fim, mas não menos importante, temos a música de Incentivo! 

Essa música faz os aliados próximos ficarem mais fortes e motivados, e sim, o jogo trabalha com aliados.



E é ai, que sai do gênero H&S e passa pra Estratégia, pois em dada parte do jogo, é preciso administrar exércitos de aliados em tempo real em batalhas de campo, com direito a compra de exército, invocação, aquisição de ponto e território, essas paradas ao estilo "Age of Empire", mas misturado com Ação.

É ai que começa a parte da Batalha das Bandas.

Existem jaisers com fantasmas verdes pelos mapas, e em certa parte do jogo, o protagonista guia um grupo tão grande que forma uma banda, e começa a fazer shows.



No mundo em que o jogo se passa, Música equivale a Guerra, então os Shows são mó massacre. Os Jaisers de Fantasmas são na verdade Fans de Metal, que podem ser afunilados em Torres, transformados em fontes para energia e recursos para invocar guerreiros para batalhas de campo.



O desafio é manter essas torres de pé, enquanto domina novas torres, construindo rapidamente com Músicas de Invocação de Torre, e evitando que o oponente crie torres próprias, e assim obtenha recursos pra criar exércitos e derrotar seu palco.



Nessas batalhas, vence quem destruir o palco do oponente primeiro.



Eu custei pra entender isso viu... primeiro que o jogo não ensina quase nada nessa parte...

O protagonista desenvolve uma habilidade apenas nessas horas de Batalha de Bandas (a partir da segunda batalha alias) em que ele vira meio demônio, ganha asas e pode voar rapidamente de um ponto pra outro.




Isso serve pra move-lo mais facilmente pelo cenário pra administrar o exército. 



Usando os botões da pra guiar os carinhas invocados pra torres inimigas e destruí-las, dai pousar e tocar Metal pra controlar o Jaiser e ficar nessa até dominar todas as torres e diminuir os recursos inimigos pra atacar o palco rival... o chato é que, até descobrir que da pra invocar carinhas com os pontos dos fans, demora viu...



Tem que apertar um botão (no controle é R1) sem qualquer dica de como fazê-lo, sendo que o botão oposto (R2) é o da música, então não é nada sugestível. Mas ai, depois de aprender que da pra invocar carinhas com os pontos, e que tem um limite máximo de população, e que da pra aumentar o tipo de carinha evoluindo a qualidade do palco com mais pontos, ai fica mais fácil de se entender...



É um jogo de estratégia sem tirar nem por, que toma controle total em boa parte do jogo, la pro final.

Pelo menos, como o jogo introduz cada tipo de exército e carinha gradualmente, da pra entender a funcionalidade de cada um perfeitamente, então, fica fácil... na prática, depois de muita prática... no começo é um terror viu.



Bem, no final, é isso. Você pega seu machado e sua guitarra, sai por ai fazendo show de pirotecnia, depois pega seu carro e atropela todo mundo, e por fim, sai voando guiando carinhas pra matarem e serem mortos por você em batalhas campais. 



Não necessariamente nessa ordem, pois o jogo tem quests e side quests constantes, viagens, passagens, objetivos, lutas, coisas que variam e tornam tudo dinâmico o suficiente pra não parecer repetitivo ou previsível, isso, sem contar que com o carro, da pra ouvir Metal Pauleira que deixa tudo bem mais apimentado...


Censura

Parte da graça do jogo gira em torno de sua censura, onde por causa de sua violência e verbalização agressiva, chega a surgir uma telinha de opção para cesurar com bipes e tarjas. O legal é que a telinha surge durante o jogo mesmo, na introdução, e a gente testemunha em tempo real as consequências das escolhas.



Mas, apesar de no inicio ser algo realmente bem forte e violento, com cabeças explodindo e umas palavrinhas explícitas, não é algo que poria o jogo como "Somente para Maiores de 18".



É apenas alguns "fuc*s" e sanguinho aqui e ali, mas sem nudismo, por exemplo, ou sexo explícito, ou apologia as drogas (de forma explícita) que são coisas tensas que num jogo ficariam problemáticas e ai sim precisariam de censura, mas que tecnicamente, fariam sentido terem presença visto que o tema é "Rock Pauleira"... enfim... não tem isso.



A opção de censura, é mais pela piada do que pela proteção ao jogador, e ainda assim, mesmo sem a censura, o jogo nem é tão violento assim. Ele é até leve, com poucos palavrões (eu achei que teriam muitos mais) e a violência é meio moderada.




As vezes rolam decapitações, rostos derretidos, mas tipo, é coisa leve, e num jorra sangue, não ao estilo "No More Heroes" da vida... ai sim seria bem tenso.

Personagens

Eddie Riggs


Eddie é o protagonista, um simples ajudante de palco que é fanático por Metal, e trabalha como assistente pra uma banda do gênero, só que em um período em que o Metal de raiz já não existe mais. Daí ele fica decepcionadão, mas mantém seu trabalho a mil, fazendo o possível para dar todo o suporte pra banda, dos bastidores, arrumando tudo, ajeitando tudo, protegendo tudo...



E é assim que ele morre.




Ao tentar salvar um dos membros estúpidos da banda que sobe em um dos enfeites de palco que não deveria, e cai, Eddie salva a guitarra e o infeliz, mas é esmagado pelo animatronico enorme logo em seguida.



Daí, seu sangue escorre pro seu cinto, e ao tocar na fivela, invoca o Deus do Metal (não, não é o Detonator) que massacra a banda, e da um show para todos os fans...




Até que Eddie acorda no submundo, diante uma centena de ossos, e ai começa sua aventura.



Ele se vê em um mundo diabólico, com demônios pra todo canto, o que logo de cara o faz lembrar do inferno, mas, não demora muito, e após ele obter um Machado da Imperatriz Succoria (explico depois), e sua Guitarra chamada Clementine que nesse mundo é toda poderosa, ele encontra uma garota, por qual se apaixona logo de cara... 



Ele descobre que há humanos vivendo nesse mundo, como escravos, e alguns são de uma resistência, a qual ele decide ajudar e, oferecendo seus conselhos e habilidades de Auxiliar de Palco, ele se torna o grande assistente da Rebelião dos Humanos.



Porém, ele descobre mais sobre si mesmo a longo prazo, chegando a um desfecho de supreender... mas falo disso daqui a pouco.



Curiosidade: Eddie é interpretado e dublado por ninguém mais ninguém menos que Jack Black, aquele gordinho fod4 que é vocalista/guitarrista do Tenacious D, e também um ator fod4 que já interpretou filmes como "As Viagens de Guliver", "Tenacious D: The Pick of Destiny" e "Escola do Rock" (saiu no Jumanji atualmente...) dentre outros. Alias... essa música, da banda Tenacious D, é perfeita pra esse jogo (apesar de não ter visto ela aqui...). Boa pra entrar no clima rs.



Ele também faz a introdução do jogo, apresentando o próprio como uma obra divina que ele achou numa loja de CD, Vídeo e Discos.


Ophelia


A garota por quem Eddie se apaixona logo de cara, é linda e irada. Ela começa aparecendo como uma moça encapuzada, infiltrada dentre os demônios que tentam matar Eddie assim que ele acorda e pega o Machado da Imperatriz.



Depois disso ambos se juntam, Eddie monta um carro, ela tira a roupa (de demônio rs) e ai eles passam a lutar lado a lado, por um bom tempo.



Ela leva Eddie até seu líder, e a irmã dele, o que gera ciumes de inicio, mas progressivamente isso se dissolve afinal, o relacionamento de ambos se aflora e rola até beijo, e confissão de amor...



Até que, um demônio todo fortão insinua que desde o inicio tinha um traidor infiltrado nos humanos, cita seu nome (Succoria), e faz Eddie suspeitar de Ophelia, o que destroça o coração dela... pois depois de tudo que eles passaram, ele abandona ela no meio do nada, acreditando que ela era uma traidora...



É tenso, mas por causa disso, ela se mata.




Pelo menos quase... ela se afoga num rio de lagrimas negras de uma antiga deusa, e isso infecta sua alma, fazendo surgir um vilão. 




Mas, Eddie consegue contornar a situação, e no final, depois de meses, resgata sua amada ainda viva.




Observação: Os gráficos de BL me fizeram lembrar o tempo inteiro de American Mcgee Alice e Madness Returns. Acho tão lindo e familiar que pra mim, só tornou Ophelia ainda mais bonita.


Lars Halford


Lars é o líder real do grupo de rebeldes humanos. Ele, sua irmã e Ophelia são os únicos remanescentes contra um grupo gigantesco de humanos que se aliaram aos demônios e os servem de bom grado. Sozinho, Lars já era forte, mas com a ajuda de Eddie, ele vira o maior líder de todos, poderoso suficiente pra recuperar os exércitos humanos e peitar os demônios.



E assim ele o faz, pouco a pouco, um a um, com ajuda de Eddie os grupos humanos vão se juntando, seguindo os ideais de Lars, até que ele monta um grupo grande suficiente pra peitar um humano vilão a serventia do imperador demônio.



Ele vence alias, sem baixas, porém, no final, o imperador surge, sente o cheiro da "infiltrada" e ai, Lars o encara, apresentando-se como o líder dos humanos. 



Isso não termina bem, pois o demônio o mata no mesmo instante pra acabar com a rebelião, e ferra com tudo ao som de Dragon Force, invocando monstros meteoros e tal.



Por essa razão, Eddie fica putaço e acaba descontando tudo na suposta traidora infiltrada que era sua amada...



Lars não tem a sorte de voltar dos mortos.




Observação: Lars Halford é a união de 4 personalidades do Metal em 1: o nome "Lars" vem de Lars Ulrich, baterista do Metallica, e "Halford" vem de Rob Halford, vocalista do Judas Priest, enquanto a aparência física dele é uma junção de Robert Plant, do Led Zeppelin, e Dave Mustaine do Megadeath.



Lita Halford

Essa é a irmã de Lars.




Ela desconfia de Ophelia desde o inicio, por ela ser uma remanescente do "povo das Lágrimas Negras", um grupo de humanos que foram contaminados no passado por uma praga líquida diabólica que os tornou emotivamente instáveis, e os pais de Ophelia eram parte desse grupo. Apesar da moça não demonstrar qualquer tendência ao lado negro da força, Lita não confia nada nela, mas ela também é bem paranoica com tudo.d




Depois que Ophelia e Lars deixam o grupo, ela se converte na única líder que os humanos podem seguir (lembrando que Eddie é só o auxiliar).



Ela consegue porém, graças ao suporte de seu amigo, levar os exércitos adiante e vencer a guerra contra os demônios, não só derrotando o Imperador, mas a versão corrompida de Ophelia também. 




Ela chega a demonstrar interesse em Eddie, mas ele só tinha olhos pra Ophelia mesmo com ela corrompida.



No fim fazem até uma estátua pro seu maninho e uma verdadeira festa pra ela... agora pro Eddie que é bom, nada, afinal ele é apenas o auxiliar dos bastidores.




Observação: Lita Halford é baseada em Lita Ford, do The Runaway (anos 80), moça que alias dublou um dos personagens do jogo...




Headbangers 
Os primeiros Ironheade


Falando dos demais personagens, da pra descrever como os exércitos são conquistados por Eddie. O primeiro exército que ele obtém é parte dos Cabeça de Martelo, que são na verdade jovens humanos postos pra trabalhar até virarem martelos vivos em mineradoras dos demônios, sem qualquer propósito claro. 



Consequentemente, elas se tornaram adultos com cabeças inquietas e duras, e pouca inteligência, mas que Eddie soube valorizar, como Batedores de Cabeça ao estilo Metaleiro!



Ao ensinar-lhes o poder da música e dar-lhes um propósito, vários cabeçudos decidiram seguir Eddie e a causa dos humanos rebeldes, apesar de alguns ainda decidirem ficar com o humano seguidor do diabo. Além disso, Eddie criou o nome de sua banda baseado neles, chamando-os de "Ironheade" com "e" no final pra não confundir.


Enquanto os homens viraram mineradores, as mulheres viraram escravas sexuais do humano vilão, mas o plano de Eddie era salvar os homens pra depois ir atras das mulheres. Só que, ele não contava com o que Ophelia faria...

Kill Masters


Ophelia, na tentativa de resgatar um grupo de garotas sozinha, acaba se ferindo muito e precisa de suporte médico... 




Daí Eddie procura por essa ajuda (depois de Lars passar a sua frente e pegar a garota no colo). 



Ele vai atrás então dos Mestres da Morte, baixistas curandeiros que vivem no topo de uma montanha e usam seus baixos, com cordas tecidas por teias de aranhas do Metal, para tocar músicas curativas.




Eles só aceitam ajudar pois os heróis estavam planejando lutar contra o humano vilão, e era um desejo em comum.



Porém, eles estavam sem cordas pra cuidar de Ophelia, e como Eddie tava apaixonadão, ele se prontifica de imediato pra ir buscar a corda da rainha das Aranhas do Metal...



Ele luta contra um ninho inteiro, além de peitar sozinho a chefona.



Uma aranha grande de metal, tensa pra caramba que só morre na base do choque...




Depois de conseguir teias de aranha do Metal, ele constrói uma Moto improvisada e leva até a montanha, direto pros baixistas (que viram motoqueiros ao aprender sua técnica de construir motos).




Aí, eles se juntam ao exército como curandeiros, após curar Ophelia... que agradece Lars pelo trabalho...



Observação: Os Kill Masters são baseados no Lemmy Kilmister (o nome é até uma referência ao sobrenome "kilmister"), da banda Motörhead.



Razor Girls


As moças que Ophelia tentou salvar não estavam mais sob custódia do vilão da vez, mas estavam desarmadas. Ophelia se feriu tentando ajuda-las a se armarem, e é ai que Eddie entra pra dar uma força.



O objetivo era capturar Javalis Motorizados, e usa-los como armas após destrincha-los.




Mas, pra caça-los, Eddie precisa usar um dos Curandeiros de Moto para guia-los as moças, atordoando-os com impactos fortes (é o golpe duplo que Eddie e os curandeiros fazem) para que elas os ataquem encurralados, e se armem.



Uma vez equipadas com verdadeiras armas de fogo motorizadas, as moças se convertem na infantaria do grupo.



Mangus


E ai começam as Batalhas de Bandas, e pra montar os Palcos e Torres de Fans, com lojinhas pra merchandise e tal,




Eddie consegue um engenheiro chamado Mangus, que vira seu braço direito em questão de segundos.



Um gênio da construção...




Com direito a um ônibus enorme todo tunado, e uma facilidade pra construir coisas em segundos... 




Ele é o grande Gerenciador dos Shows.




Observação: Ele é resultado de uma homenagem ao AC-DC, numa fusão dos irmãos Malcolm e Angus Young, criadores da banda.


Os Punhos


Inicialmente, eles são os vilões, seguidores do humano vilão, que tem cabeças pequenas, não pensam bem, e tem mãos enormes. 



Eles são usados pra puro ataque bruto, e pra disparo de catapultas aleatoriamente, mas, depois de derrotar o humano vilão, eles são em sua maioria demitidos e descartados.




Daí, Eddie os acolhe e torna eles parte do grupo (nesse caso mais por influência de Lars), como guerreiros de punhos fortes.



Em conjunto com eles, Eddie pula alto e causa grande impacto e, basicamente, eles só tem mãos bem grandes mesmo.

Os Carregadores


Rumo a batalha contra o humano vilão, Ophelia oferece uma alternativa, um grupo de guerreiros que ela conseguiu libertar e liderar sozinha, ela apresenta os Carregadores.



Caras bigodudos de preto com caixas nas costas, que conseguem passar desapercebido e furtivamente sobre qualquer um. Eles são como Ajudantes de Palco, lendas, como Eddie (e são a cara de seu amigo no mundo dos vivos).



Com ajuda deles, Eddie e os demais conseguem passar por torres defensivas que impediam o acesso ao território do humano servo dos demônios, depois de ir até o Muro dos Gritos e equipa-los com Caixas de Som Enormes. 




Com essas caixas eles conseguem explodir essas torres sem serem vistos ou percebidos, mas precisam ser mandados sozinhos, e pra controla-los individualmente é mó tenso pois o jogo não ensina (como sempre). 


Tem que escolher usando um botão (Y no controle) e fazer apenas alguns dos caras andarem. Apenas os Carregadores podem andar sem serem vistos, então eles conseguem destruir as torres.



No Muro dos Gritos, Eddie aprende a usa-los para repelir Pássaros Microfone, que causam distorções psíquicas pelo som. Eles rebatem e matam tudo usando as caixas de som e o barulho.

Barões do Fogo


Após a derrota do humano vilão, os humanos são forçados a sair das terras onde viviam e desviar para outra região, pois a passagem tinha ficado obstruída pela batalha. 



Com meses após a morte de Lars, nada acontecia, até que Ophelia das Trevas começa a agir, trazendo seres mortos vivos e criaturas das trevas a tona.



Então, pra dar um suporte, os Barões do Fogo, motoqueiros incendiários que se foram assim que o humano vilão assumiu as terras, reaparecem, apoiando a nova causa humana, contra os exércitos do mal. E ai se juntam a Eddie, simples assim.



Antes disso eles eram até temidos pois eram "Os Barões do Fogo", os caras que se chegassem iriam botar pra ferrar, mas até que não são maléficos nem nada assim, e ficam até gratos por Eddie ter matado o Lionwhite.



Eddie pode pegar uma carona com eles e fazer rastros de fogo por onde anda, é uma arma infalível contra os mortos vivos. Eles chegam e explicam que o Mar das Lagrimas Negras foi reavivado, e que essas criaturas sombrias saíram de la.



Observação: O designe deles é totalmente inspirado no estilo de Lars Ulrith do Metallica, dessa vez fisicamente, porém em sua forma jovem, antes dele ser carequinha. Naquela época ele usava uma roupa toda estilosa de couro e boina, ao estilo motoqueiro. Alias até com moto no palco ele chegava, daí sua representação.



Curiosamente eles só surgem depois que Lars (baseado no baterista do Metallica, mas apenas em nome) morre, o que talvez simbolize renascimento, ou sei la... o mundo do Metal é uma festa de referências.

Rima e as Zaulas


Depois de lutar contra criaturas mortas e sair de campos nevados, construir uma ponte e ir pra uma região florestal, Eddie se depara com criaturas monstruosas grandes que cospem fogo, de rosto pintado.



Usando os Barões e Lita, Eddie decide domar essas Feras que cospem fogo.



Como o fogo era o ponto fraco dos mortos vivos, era a melhor tática, e eles conseguem domar algumas... 




Com Lita mandando ver na dominação das feras.




Até que surgem as domadoras das feras de verdade, as Zaulas.


Os Barões do Fogo sabiam delas, um povo feminino que guardava e domava essas feras, e ficam irritadas pela presença de Eddie e dos outros, prendendo-os em seu templo, se recusando a entrar no exército e botando fogo em tudo. 




Mas, Eddie encontra um palco sagrado bem no altar, que ele ativa com sua música.



Ao fazê-lo, a história das Zaulas se revela, mostrando que Eddie era parte de uma antiga profecia e chamando a atenção da líder delas, Rima.



Na verdade, nas pedras que surgem, a imagem do Pai de Eddie surge, como um dos humanos que lutou na Guerra das Lágrimas Negras, não apenas isso, mas como O Humano Que Liderou a Guerra, e ainda por cima, como aquele que liderou as Zaulas na batalha e ensinou tudo o que elas sabiam.



De incômodo à gratidão, Rima passa a respeitar seus visitantes e entra pro exército, provendo suas feras incendiárias.




Observação: As criaturas das Zaulas bem como as suas tatuagens, fazem alusão a banda Kizz e ao estilo visual deles. Detalhe mais do que claro principalmente com a característica dos monstros ao colocar suas linguas longas para fora ao serem domados...


Fletus


Esse cara não chega a virar membro do exército, mas ele não é um inimigo. Ele é um demônio, de uma raça considerada "feia" pelos demais. Ele aparece em uma side-quest, constante, de corridas.



É contra ele que Eddie aposta corridas por todo o reino infernal, e seu prêmio final é uma turbinada no carro, com um turbo que funciona mais rápido e em menos tempo de recarga que o mais forte comprável.



Esse demônio não vai com a cara de Eddie e vice-versa, mas ambos acabam se respeitando por causa da velocidade de seus carros.



Curiosamente, Eddie foi o primeiro a aparecer com um Carro no outro mundo, pois foi o primeiro a compreender os ensinamentos dos Deuses do Metal, mas, esse povo, do Fletus, também manjava disso, apesar de não aparecerem mais ninguém de sua raça o jogo todo.


 

Ormagöden


Esse é o Deus do Metal, o original, o primeiro e o único, o criador do mundo do Metal, o criador de tudo. Na verdade sua história é mais complexa, e é revelada por tumbas que Eddie precisa Pular para ler (é um movimento dele, que não é explicado como artimanha pra fazer essas tumbas se abrirem, mas se aperta Guitarra e Machado juntos, Eddie salta e causa um impacto forte no chão, que acorda a história dessas tábuas).



Depois explico detalhadamente essa grande história do passado, mas resumidamente, ele tomou conta do mundo das trevas, fez dele lindo, iluminado, os demônios se curvaram perante ele e tal. Pois bem, eras e eras depois, ele apareceu para levar pessoalmente, Eddie para seu mundo.



Isso, pois Eddie era profetizado como o salvador da humanidade... Ele não voltou a vida, pelo que parece só surgiu em espírito, mas fato é que Eddie tem muito mais contato com o místico no outro mundo que qualquer outro.


O Caçador

Esse é um cara de Side-quest, que libera as missões de caça.




Ele desafia Eddie, duvidando de sua capacidade de caçada, e enquanto ele usa suas caças para se alimentar, Eddie só faz isso pra bater seu recorde e depois, obter o controle sobre as feras.



Guardião do Metal


Ao aprender a música da Garagem do Inferno, Eddie pode abrir garagens em pontos pelo mundo, e ir para o sub-mundo do sub-mundo. La, ele se depara com o Guardião do Metal, com direito aos Deuses do Metal ao fundo só martelando.




Ele chega a dizer que Eddie foi o primeiro a compreender os ensinamentos que eles deixaram, se referindo ao Carro e às músicas dos shows, e é ele quem oferece upgrades em geral pra Eddie e seu carro.




No final das contas, esse cara é um grande aliado, cobrando apenas Pontos de Adoração, que são prêmios dados pelos deuses para quem ajudar na terra do Metal (é a moeda de troca de upgrades).



Observação: Ele é dublado e interpretado por Ozzy Osbourne.



O Morcego


Um morcego com cabeça humana e uma família de morcegos com cabeças humanas, dois filhos e uma esposa... 



Ele só aparece 1 vez, em 1 side-quest no mundo dos mortos, e pede pra Eddie limpar sua caverna de monstros, depois de xinga-lo bastante e cagar em sua cabeça.



Detalhe, ele só faz isso e pronto, nunca mais é visto.




Observação: Ele é dublado e interpretado também por Ozzy Osbourne, e sim, ele também é baseado nele, mas em uma versão mais jovem dele (naquela em que ele comeu um morcego saca, falei disso em Guitar Hero). Curiosamente, isso também faz meio que uma homenagem ao lado familiar de Ozzy... leia a análise de Guitar Hero que vai entender.



Inimigos

Lionwhyte


Com seu exército de humanos corrompidos pelo mal e seguidores do diabo, Lionwhyte também controla alguns demônios sob poder do Imperador.



Ele é um humano cabeludo, vocalista, que voa usando o cabelo, e odeia o Lars (ele chama o Lars de gordo mano...).



Ele controla e escraviza os humanos tudo, sob pretexto de que é o melhor para eles, afinal os demônios prefeririam extermina-los...




Mas Lars não acredita nem confia em nada disso, e decide desbancar o ditador metaleiro.



E ai, eles invadem sua base, derrotam ele... 



Matando mesmo (ele é morto esmagado por uma estátua de si mesmo) e no fim, surge o imperador e mata Lars.



Observação: Ele é a personificação de uma banda inteira fundida (White Lion, com o nome invertido) somado a detalhes da face do David Bowie com as vestimentas do David Lee Roth do Van Halen. Lembrando que David Bowie é conhecido por seus personagens múltiplos então, talvez Lionwhite seja uma de suas personas, de uma outra realidade.



Ophelia das Trevas

Depois que o humano do mal é derrotado, o imperador dos demônios aparece e deixa a entender que Ophelia é uma traidora infiltrada, e ao matar Lars, deixa todo mundo fora de si. Daí, ao ser deixada pra trás por Eddie, ela se aprofunda em amargura, e se afoga nas lágrimas do Mar de Lágrimas Negras, onde se converte na Ophelia das Trevas.



Depois de meses, ela reaparece, com Carros, Bandas, Fans, um exército de mortos vivos, tudo seguindo suas ordens, pra se vingar de Eddie e seu coração partido.




Ela usou tudo o que aprendeu com Eddie, fez um carro fúnebre e aprendeu a tocar música, tudo pra se vingar. Só que o estilo dela é melancólico (emocore).



Eddie sofre pra derrota-la, em várias lutas diferentes, vários shows e batalhas de bandas.



Mas, chega uma hora que ambos ficam cara a cara em uma sala pra se enfrentar... 



E surge O Imperador dos Demônios, caçoa da briga dos dois, revela a verdade, que Ophelia nem de longe era Succoria e arranca o coração dela na frente de Eddie.



Depois disso, Eddie fica putaço...



Doviculus

O Imperador Doviculus parece onipotente, de tão poderoso que é, mas, ele até que é fraco na luta final.




Depois de matar Lars, ele desbanca Ophelia e Eddie jogando seus meteoros demoníacos e arruinando tudo, mas sua pior contribuição é a revelação de que sentiu o sangue da Imperatriz Succoria infiltrada entre os humanos bem no dia que o Machado da Imperatriz foi movido, ou seja, quando Eddie apareceu, e Ophelia veio junto.



Porém, ele se referia ao Eddie, não a Ophelia.




Isso é revelado na última luta, quando ele aparece e arranca o coração de Ophelia, e conta a verdade. Ele revela que Eddie é filho da Imperatriz dos Demônios que fugiu da Terra do Metal com humanos, dizendo que iria investigar o outro mundo humano, mas na verdade, havia copulado com um dos humanos, o pai de Eddie. 


E ai, Eddie apareceu, com seu cheiro, e ele achou que era a Imperatriz de volta, ficando temeroso pois ela era poderosa de mais e poderia querer o trono de volta. Mas, como não era ela, ele tinha ficado tranquilo.




Daora que ele revela que a camiseta de Eddie era de Succoria (e tinha Succoria escrito o tempo todo, eu não mudei o visual e era um fato) e tipo, tava na cara o tempo inteiro que Eddie era ou tinha algo haver com a tal Succoria.



Bem, claro que Eddie fica irritado, afinal Ophelia aparentemente tinha morrido por causa dessa confusão toda, e ai, ele mata Doviculos, numa luta ao estilo Batalha de Bandas, com um monstro gigante invocado no palco... 




E depois numa luta ao estilo Hack&Slash mesmo, na porrada... 


Com o Imperador se acorrentando e invocando seguidores...



Mas ele é derrotado.



Com a queda de Doviculus, e sua decapitação, a Guerra termina, e a paz volta ao reino do Metal.




Além disso, Eddie pula no Mar de Lágrimas Negras e encontra Ophelia, a verdadeira, ainda viva, em coma, e a salva.




Ele quase é sugado pelas lágrimas também, mas ela acorda e o salva também...



Ambos se beijam então... e ai... é fim.



Final

Uma estátua é levantada em homenagem a Lars... 


E Lita recebe os holofotes pelas glórias da vitória, afinal eram os grandes heróis de Guerra.




Eddie não ganha nenhuma estátua, nem é reconhecido publicamente, afinal ele estava nos bastidores, apenas dando suporte e guiando a galera. Mas, ele se despede de seus novos amigos, dizendo que ta na hora de ir andar por ai.



Ele também tava com Ophelia, apesar de deixar ela num morro pra ir sair pelo mundo de carro...  



Ela até deixa escorrer uma lágrima por causa disso, mas da pra voltar nela e ficar cortejando ela de boa então, é tranquilo.



Eddie nunca volta pro mundo dos humanos de novo, e a história se encerra ai.




Enquanto eu jogava cheguei a pensar que talvez ele estivesse dormindo ou em coma, talvez estivesse morrido e ido pro inferno, mas na verdade, tudo isso é uma forma limitada e desmistificada de mais de se pensar na mitologia de BL. 



O jogo mostra uma história muito mais profunda, e impossível de ser apenas criação da mente de Eddie... e se fosse... o cara mereceria viver pelo resto de sua vida em sua mente criativa, e que senhora mente criativa viu...



Todos no mundo do Metal são versões de "heróis" do Metal no mundo humano, tudo misturado, e uma releitura da própria realidade, mas, na verdade, esse "Mundo do Metal" é o passado do Mundo dos Humanos.

O mundo pra onde Eddie é levado poderia ser fruto de sua imaginação, mas, ele tem história própria, história essa revelada pra quem encontrasse as Tábuas Secretas... e aqui vai um resumão dela:


A História do Mundo do Metal




No inicio havia trevas, e nas trevas haviam criaturas desfiguradas e terríveis, mas ai, um dia, surgiu Ormagoden, um ser divino do Metal, que trouxe consigo o sol, a luz, a vida e a música. Além disso, os demônios tudo se esconderam de ódio por causa do novo ser divino, desejando seu fim para que voltassem a dominar sobre o mundo.



Neste mundo, os primeiros habitantes se alimentavam de uma árvore sagrada, que tirava suas forças das profundezas da terra, onde suas raízes eram encantadas com a música de uma bela donzela divina chamada Aetulia. Porém, um dia, um dos desfigurados descobriu a existência da moça, a capturou e a privatizou, se tornando o controlador do alimento e o mais poderoso desse mundo, e o primeiro Rei dos Primeiros.



Usando a donzela, o Rei tentou subjugar Omargedon atraindo-o e atacando-o, mas não deu certo, e a criatura divina preferiu se destruir para aniquilar de vez todas essas criaturas malígnas, explodindo, e salvando Aetulia.



Dos restos de Omargoden misturados ao sangue dos primeiros, surgiram novas raças, duas: Os Demônios e os Titãs. Os Demônios eram imponentes como a Fera do Fogo, porém tinha o corpo desfigurado como as criaturas ancestrais, já os titãs eram belos como Aetulia e gigantes como a Fera do Fogo. Os demônios, por opção, se curvaram perante os titãs e os seguiram como servos, admirando e idolatrando eles como deuses. Além disso, passaram a buscar por se assemelhar a eles, escondendo seus rostos em máscaras de pedras.



Os restos de Ormagoden, espalhados pelo mundo, serviram aos titãs como peças para criar nova tecnologia, equipamentos, carros, de tudo. Reproduzindo o poder desse antigo ser divino. 



Enquanto isso, Aetulia passou a chorar isolada e sozinha, triste por ter sido responsável pela morte de Ormagoden, e com isso, criou um Mar de Lágrimas Negras. Ela morreu chorando, e suas lágrimas passaram a seduzir as pessoas, que ao beber delas, se convertiam em insanos depressivos. Cientes disso, os Titãs trancaram a região onde o Mar de Lágrimas Negras se formou, para que ninguém se envenenasse com essa água.



Então um dia, os Titãs descobriram o Heavy Metal, e se converteram em deuses reais, ascendendo aos céus e deixando o mundo do metal para os demônios.



Mas, eles não os deixaram de mãos abanando, eles deixaram instruções de como reproduzir tudo o que eles já haviam criado, como sua música, algo que por muito tempo os demônios não conseguiram compreender.



Desejando trazer os Titãs de volta, os demônios usaram uma unha do pé de um deles para criar clones, mas o que surgiram foram criaturas pequenas, com a forma deles, mas sem sua divindade: Eles criaram os humanos. Assim, os demônios passaram a odiar sua criação, tratando-os como lixo devido seu fracasso.



Depois de viver sobe a escravidão e tortura dos demônios, um humano decidiu se erguer contra, e lutar pela liberdade. Ele juntou os humanos e criou um exército para enfrentar os demônios, que por sua vez, ao temer a revolta, romperam o selo das Águas Negras e contaminaram a humanidade, virando homens contra homens. Criando assim, uma guerra entre a própria humanidade. Apenas o líder da rebelião, Riggnarok, sobreviveu ao massacre.



Então, pra ter certeza que nunca mais haveriam revoltas, os demônios decidiram caçar pelas gerações futuras e subjuga-las, usando de seus poderes divinos, montaram um surubão entre demônios e humanos, além fazerem inúmeros sacrifícios, e no final ainda pegaram a Imperatriz Succuria e a enviaram para o futuro, para adquirir conhecimento e trazer para eles. Junto com ela, enviaram escravos humanos, mas Riggnarok foi infiltrado.




No futuro, Succoria descobriu que o mundo pertencia aos humanos, e que os demônios já nem existiam mais, e lamentou por isso, se escondeu e definhou. Porém, Riggnarok, ao invés de aproveitar e mata-la, acabou se aproximando e se apaixonou por ela. Eles se envolveram, e ela teve um filho dele, morrendo durante o parto. Depois disso Riggnarok passou a viver no mundo do futuro, no mundo humano, com seu filho.




Um dia, após a morte de seu pai, Edward encontrou um amuleto de Ormagoden no porão de casa e passou a usa-lo como fivela de cinto. Então, em um acidente de trabalho, acabou derramando seu próprio sangue nesse amuleto, o que invocou o espírito da Criatura do Fogo que o levou pro passado, onde ele ajudou a humanidade a enfrentar os demônios e superar as Lágrimas Negras, seguindo os passos do seu pai.

Moral da história: Eddie é um Nephilim tipo o Dante de Devil May Cry, que viaja no tempo.

E é isso.

Curtiu? Eu sei, simples né? Foi só um tira gosto... to analisando Chrono Trigger e Final Fantasy XV atualmente então, como o mês ta comprometido, não quis deixar sem postar nada. Domingo que vem tem mais... 

See yah!!!

12 comentários:

  1. Saiuuuuuuuuu, agora vou aproveitar kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saiu sr Jose, domingo que vem, se tudo der certo, um novo post também sairá.

      Aproveite sr.

      Excluir
  2. Ja tô animado pra esse novo post kkkkkk, esse foi muito bom

    ResponderExcluir
  3. Esse jogo é sensacional. Visual, história, rock. Tudo muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei sr Felipe, alias bem vindo ao DM.

      Acho que o mais daora desse game, é poder sair por ai ouvindo rock num mundo todo malucão temático.

      Enfim, finalmente joguei e falei dele rs.

      See yah sr.

      Excluir
    2. Valeu. Obrigado pelas boas vindas mas já faz algum tempo que venho aqui no blog, um dos poucos que eu ainda acompanho. Acho que a última vez que comentei foi no post sobre Gantz. Enfim, parabéns pelo conteúdo que deve dar muito trabalho pra escrever

      Excluir
    3. Seja sempre bem vindo sr Felipe... desculpe por não ter me recordado, na verdade a sua foto não me veio a mente... eu aco que lembraria de um sapinho rs, mas obrigado por acompanhar meu blog.

      Eu demoro pra postar as vezes, e meu conteúdo é grande, pode ser meio cansativo pra alguns, mas enquanto tiver alguém curtindo, estarei satisfeito. Fico muito grato pela leitura pois isso sempre me motiva a continuar, e os comentários então, isso me da um feedback surreal. Parece coisa boba mas isso é meu combustível, minha motivação... então vlw.

      Falando de Gantz... já que mencionou, não sei se o sr conhece ou ta acompanhando, mas tem um anime chamado Dragon Ball Super que ta pra encerrar, e eu cheguei a fazer alguns posts simples dele, sem querer me alongar muito, mas, eu to preparando um ao mesmo estilo do de Gants, com direito a comparação de Mangá e Anime... talvez o sr goste.

      Enfim, até!

      Excluir
    4. Ainda não vi nenhum episódio mas se você fizer algum post sobre DBS eu vou dar uma lida para no mínimo saber o q tá acontecendo. Muita gente comenta sobre esse anime e eu fico boiando

      Excluir
    5. O post será definitivo e postarei provavelmente um dia após o último episódio que será no final do mês. Já preparei bastante coisa e garanto que será um trabalhinho bem completo ao ponto de te tornar um perito na série.

      Eu to bem ansioso.

      Excluir

Seguidores do Google+