PesquisaMorte:

ArquivoMorte

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

O Filme Visto de Hoje: Star Wars - Os Ultimos Jedi

Okay, eu errei.

Star Wars - Os Últimos Jedi


Pois é, na minha analise de Star Wars "VII" eu falei um monte de coisa, e apesar de interessantes, errei bastante em várias (todas) teorias. Esse post servirá de ressalva e registro. Acho que eu deixei algo importantíssimo de fora do texto original, e também, preciso comentar tudo o que der sobre o que surgiu de novo.

NÃO LEIA SE NÃO VIU O FILME!



Boa leitura!



Pra começar, como de costume, la vai uma lista ao estilo trailer da DC:

FN acorda peladão, e ainda é o FN.
Pole destrói um destroyer, mas todo mundo morre por sua causa.
80% do filme se passa numa nave.
O Sabre dos Skywaker não tem a menor importância.
Todos os personagens novos morrem.
Exceto um, que trai os "herois".
Rey não é filha de ninguém importante.
Ben não vai pro lado da luz, e ainda completa seu treinamento Sith.
Snoke, seu mestre Sith, é morto por ele (daí a conclusão de treinamento).
Luke revela o passado e o que levou Ben ao lado negro da força.
Alias, Luke tentou mata-lo, por isso ele foi pro lado negro da força...
Alias², Luke tentou mata-lo pois viu que ele iria pro lado negro da força...
Alias³, Ben foi pro lado da força pois Luke tentou mata-lo (yep, paradoxo).
Rey e Ben se conectam através da força (eles conseguem interagir um com o outro de longe).
Eles quase viram namorados.
Rey e Ben lutam juntos contra vários Sith após Ben matar Snoke, pra salvar Rey, e vencem.
Ben vai pro lado negro definitivamente após decidir exterminar o passado, Rebeldes, Nova Ordem, geral, e recomeçar.
Yoda aparece.
Luke decide destruir os Jedi.
Luke tenta destruir os últimos e primeiros livros sagrados Jedi, mas não tem coragem.
Yoda faz isso, mandando um raio e queimando tudo. 
Luke luta contra Ben, usando a força pra projetar a si mesmo, à distância (do outro lado do universo).
Luke vence a luta só esquivando (na verdade era intocável, pois era uma ilusão).
Depois de vencer, Luke fica fraco e se une a força (ele morre).
Luke não era o último Jedi, e por causa de Yoda ele decide acreditar novamente na religião.
"Jedi" é confirmado uma religião universal.
Rey e Chewbacca salvam a meia duzia de rebeldes que sobrevivem.
FN tenta salvar Rey e os Rebeldes, mas falha miseravelmente e tecnicamente causa a morte de dezenas.
Pole e FN causam essas mortes, fazendo algo estúpido.
Leia morre.
Mentira, ela quase morre.
Mentira, ela morre, mas ressuscita.
Mentira, ela não ressuscita, pois não morre, mas morre... estou confuso...

Explicando: Leia explode junto com sua tripulação por um tiro de uma nave inimiga, ela vai pro espaço, flutua, congela, mas usa a força pra voltar pra nave (em um ponto seguro) e fica de boa.

Tudo o que FN e sua nova amiga/namorada fazem é completamente desnecessário.
BB-8 vira traficante, assaltante, assassino, dentre outras coisas ilícitas pra um droide.

E por fim, do elenco principal, a única baixa é Luke (que morre sem ser derrotado, morre de fraqueza, sem nem sair daquela ilha do primeiro filme) e quem sobra, acende uma fagulha de esperança.

Ps.: "Fagulha de Esperança" deveria ser o nome desse filme, de tanto que isso foi repetido.


Show né? Pois é, depois de todo esse spoiler, bora explicar melhor:

Rey, Que não é filha de Luke



A protagonista, em seu treinamento forçado e hilário com Luke, acaba descobrindo que ele não é importante e decide se entregar aos vilões.

Pois é, é pura enrolação. Ela vai pra quela ilha la, entrega o sabre, mas não da em nada. Ela acompanha Luke em seu dia a dia, fica pedindo pra ser treinada, destrói algumas partes do templo que gera cenas engraçadas, e quando Luke decide dar 3 aulas pra ela, ela encerra a participação dizendo "Você não é a esperança, Ben é".



No meio do pseudo-treinamento, Rey aprende a se conectar com o Sith filho do Han Solo, e eles trocam ideias, olhares, até nude, e no fim até tocam as mãos (à distância, pela força). Então um vê o futuro do outro, que não é mostrado pro espectador, mas é dito que ambos estariam juntos, e ai Rey abandona Luke pra ir atrás do outro Skywaker.


Ela vai pessoalmente até Ben, se entrega em pleno espaço (isso é muito idiota, depois vou explicar) e ai rola uma conferência pessoal com Snoke, que usa e abusa da força pra empurrar e puxar todo mundo, até que, do nada, Ben mata ele.


Rey e Ben se juntam nessa parte e lutam lindamente contra um monte de capangas Sith... 



Mas depois de matarem geral, Ben oferece aliança à Rey, mas ela recusa e ai ele vira o vilão, numa luta psicológica sobre quem merecia o Sabre de Skywaker (que se quebra na disputa de cabo de força).


Rey foge, a nave inteira é dividida ao meio por influência de terceiros, e ai ela pega a Milenium Falcon e salva os Rebeldes/Resistência, ou o que sobrou deles.


Com relação a sua família e verdadeiros pais, ela questiona isso algumas vezes, inclusive em uma cena confusa em que ela, no templo/ilha Jedi, entra num buraco de Força Negra, e acessa um corredor de espelhos, interagindo com reflexos de si mesma em uma fila indiana, até chegar ao final, e descobrir que ela mesma é "seus pais".

É, é mó doidera, mas depois Ben explica, e apesar de ser o vilão (jamais acredite em vilões) ele diz "Seus pais eram bêbados que te venderam pra comprar bebida e morreram numa vala qualquer la mesmo onde você viveu, e você sabe disso". Ele até joga na cara que ela não tem passado, não tem importância, mas pra ele teria, na tentativa de conseguir que ela se unisse a ele, mas da nada.



Bem no final, ela levita pedras, e abre uma rota de fuga pra galera que sobreviveu, e é isso.



Eu errei... ela não era filha de Luke (alias, ele mesmo faz pouco caso dela). Triste não?!

FN, o Stormtropper que não vira vilão



Depois de acordar o stormetropper rebelde fica obcecado por encontra Rey, preocupado com ela e ciente que ela estaria la no planeta secreto dos Jedi, com Luke. Ela estava com um rastreador ligado a um rastreador que Leia carregava, mas depois de Leia quase morrer, ele pega o rastreador e decide proteger Rey.



Acontece que, depois de uma guerra espacial e tentativa de fuga da Resistência, um monte de naves entra em hiper-espaço pra fugir das naves grandonas (destroyers) da Nova Ordem. Mas, por alguma razão misteriosa, a Nova Ordem consegue rastrear eles em meio a fuga, e seguem a frota da Resistência. É nesse ponto que o filme simplesmente trava.



As naves da resistência são leves e rápidas, mas tavam sem muito combustível e precisavam tentar escapar das naves gigantes da Nova Ordem (com direito até a nave do próprio Snoke). Começa uma corrida lenta, com as naves grandes atirando contra os escudos das naves pequenas que simplesmente andavam em linha reta. Leia tava atordoada por causa da guerra que precedeu isso, mas a nova capitã decide manter o curso e "confiar na força".



Yep, o plano, era continuar voando pra frente em câmera lenta, com as naves atrás atirando, em câmera lenta, até o combustível acabar e todo mundo morrer.

FN decide, pra salvar Rey e impedir que ela voltasse pra eles naquela situação (ela iria atrás do rastreador, se chegasse la nesse impasse lerdo, ela só se poria no meio do problema com eles), então ele descobre (pois é um engenheiro genial) ao lado da nova personagem (que ele encontra ao tentar fugir por uma cápsula de fuga) que a nave da Nova Ordem que rastreou eles através do hiper-espaço tinha um mecanismo próprio pra isso e precisava ser desativado, pra Frota escapar, e ir prum local seguro pra Rey voltar.



Ai ele pega uma cápsula de fuga, e vai pra outro planeta distante, após falar com aquela mulher amarela (por comunicador à distância, que alias tava numa guerra também) e busca por um cara que provavelmente saberia como entrar no meio da frota da Nova Ordem, invadir a dita nave com o rastreador e levar a novata pra desativa-lo. Entende essa besteira toda?



Eles saem da nave grande, vão pra outro planeta sem serem detectados, fazem mó fuzuê nesse planeta, pegam o cara, e levam ele pra onde? Pro meio da perseguição em câmera lenta, no meio da frota do mal, sem serem detectados (ele causa uma falha pra entrar) e tipo... da tudo errado depois disso.



Agora, fala se num é enrolação pura!?



Alias, pouco antes de serem executados (sim, eles são capturados pois o cara que ia ajudar, entrega eles, depois de ajudar!) eles são salvos pela explosão que divide a nave grande (daqui a pouco falo disso) e por fim, eles sobrevivem a explosão e catástrofe, rola até uma lutinha contra aquela Stormtropper feminina que FN zombou no outro filme, ele vence alias, e ai eles fogem, por ajuda de BB-8... pra se unirem à resistência.

Pole, o cara que ferra tudo



O piloto que ama explodir coisas, começa o filme explodindo coisas. Tudo já parte da guerra espacial onde ele tenta destruir um Destroyer usando naves com bombas, da certo, mas todas as naves são perdidas, e a única que acerta, é a de uma personagem nova (irmã da outra moça nova, que é a namorada de FN) que se mata. Depois disso Pole fica com cara de tacho e Leia da mó bronca e até rebaixa ele, por ele ser muito afobado.



Só que, depois deles fugirem pro hiper-espaço e serem seguidos, eles ficam presos à perseguição e Pole, vendo que eles não iriam pra lugar algum, decide criar um plano paralelo onde manda FN e sua mina pra buscar ajuda do decodificador e tal. 



Ele não sabia do plano real da nova capitã da frota da Resistência, e por causa desse plano secundário, que falha, o outro plano também falha.



Acontece que, a resistência tinha abandonado várias de suas naves na perseguição e transferiram os passageiros pra nave principal, periodicamente. Só sobrou a nave principal no fim, e ela permaneceu na fuga, enquanto todos os passageiros pegaram cápsulas de fuga e saíram escondidos (mas todos JUNTOS em um grupo de cápsulas único) pra ir pra um planeta anão próximo onde estava instalada uma antiga base da Resistência.



Por causa do plano secundário de Pole, essas cápsulas de fuga são identificadas e detectadas, e ai, uma a uma, são abatidas pela Nova Ordem.



O cara que FN foi buscar, vende a informação das cápsulas de fuga pra Nova Ordem... simples assim. Ou seja, por causa do plano afobado de Pole, mais gente morre.

Tecnicamente, todo mundo morre. Sobra o que, umas 100 pessoas, de toda a Resistência! 




Ele conseguiu matar todo mundo, tanto em seu plano de batalha inicial quanto no que arrastou o filme.

Ben, o vilão que não vira mocinho



O sith, vira o mestre Sith depois de matar Snoke...


Durante o treinamento de Rey ele entra em contato com ela pela força, e eles trocam ideia, se aproximam, e Rey tem fé nele, depois de ver que ele sofre pelo que fez ao Han e tal. 

Mas, ele é mimadão, sofre pressão psicológica pelo Snoke (por isso ele destrói a "máscara", quando Snoke diz que ele é só uma criança mascarada) e acaba odiando seu mestre, e tudo o que ele acredita.

Quando Rey decide se entregar e confiar na luz dentro dele, ele aproveita pra matar Snoke (que fica com o sabre de Anakin ao lado dele na cadeirinha, enquanto segura Rey com a força pra Ben terminar seu treinamento Sith "matando seu verdadeiro inimigo") e ai, Ben usa a força pra ativar o sabre de Anakin, cortando Snoke ao meio.


Snoke é fortão, e não teria como vencê-lo numa luta real. Ele manipula todo mundo com a força, drena a mente de Ray vendo tudo que ela pensa, sente tudo que todos sentem, sabe tudo sobre todos, e tipo, ele é fodão. Mas morre, dividido ao meio... alias, acho até que foi proposital, pra dar vida ao Sith real... mas nem vou teorizar pois eu já errei antes (rs).

Daí, Ben decide que os velhos devem morrer e quer governar o universo por conta. Ele não liga pra Rebelião ou pra Nova Ordem, mas Rey queria salvar seus amigos, e não fica com ele, o que faz ele desejar matar os amigos dela, de raivinha (mimado da porr4). Então, ele vira o novo ditador da vez, substituindo Snoke e usando seus recursos e poder pra caçar os rebeldes.


Depois que ocorre a divisão da nave ao meio (calma que já vou explicar) ele segue as cápsulas de fuga até o planeta anão, leva uma mini Estrela da Morte, pra destruir o portão da base deles. Rola uma luta no meio da areia de sal com poeira vermelha (vista no trailer) que é feita pra tentar impedir o disparo da mini estrela da morte, e impedir a destruição do portão, que era a única entrada e saída conhecida da base.



Nessa parte, Luke surge, se projetando (mas isso, dele não estar ali mesmo, é um plot twist) e enfrenta Ben pra distrai-lo enquanto os sobreviventes buscavam uma saída alternativa. Legal que eles tentam sair por onde Luke entrou, mas Luke não tava la de fato, ainda assim, eles descobrem uma saída por umas rochas empilhadas, que Rey ajuda a tirar, de fora (na verdade ela levita tudo).



Antes disso alias tem algo importante: Todos usam naves terrestres pra impedir o disparo da mini estrela da morte, mas eles precisam abortar pois da errado, e até o Pole decide fazer a escolha certa nessa hora, mas FN taca fod4-se e tenta jogar sua nave no centro do canhão da mini estrela da morte, e é salvo pela namoradinha que até beija ele, antes de desmaiar (ela atropela a nave dele com a dela), antes do disparo.


O Disparo abre o portão, mas não mata ninguém, e Luke aparece pra distrair geral então, é mais um ponto bem desnecessário.



Bem, é bem irado ver o que ocorre, pois Ben, putaço ao ver Luke, manda atirarem com tudo nele, e cara, é muito tiro, mas ai quando a poeira baixa, ele ta la em pé, e ainda tira poeira do ombro só pra provocar. 



Aí Ben, achando que só uma luta adiantaria, vai la peitar sozinho, e Luke esquiva de todos os golpes (lindamente). No final Ben ataca com tudo e passa o sabre no meio de Luke, mas ele tava se projetando então, nada ocorre, daí Ben se toca que é uma projeção pela força, e Luke diz "A gente se vê pirralho" e some.



Só pra logo em seguida, se unir à força igual o Ben Kenobi (esse é o outro Ben, o Obiwan la da outra trilogia) fez, com o manto sobrando após o corpo evaporar.

Ben vira o novo ditador e bem, é isso.

Snoke, o Voldemord espacial




Nada sobre ele é revelado. Ele até insinua que foi o responsável pela conexão mental de Ben e Rey, mas no final, mesmo com ele morto, eles ainda se enxergam. 


Da forma como ele fala, seu ódio por Luke Skywaker é absoluto, e também é dito que ainda na época do treinamento de Ben por Luke, Snoke já existia.


Luke diz "Snoke já havia infectado a mente de Ben" em seu flashback sobre o dia em que Ben se tornou Sith, mas ainda assim, nada sobre o Mestre Supremo foi realmente revelado.



Eu, teria coisas pra teorizar mas, depois de errar tanto, melhor nem tentar.



Snoke ta morto, fica bem claro isso... mas talvez fosse tudo parte do plan... nah, deixa queto.

Leia, a jedi rebelde



A atriz que interpreta essa personagem morreu, mas já tinha filmado as cenas pro filme, logo, era de se imaginar que a personagem morreria, mas não, ela não morre.

No começo do filme, durante a guerra, Leia é alvejada por blasters de naves, dentro da ponte da nave dela, e vai pro espaço. Ben, seu filho, ia ser quem dispararia, mas ele hesita, e quem dispara são stormtroppers quaisquer. Ainda assim, ela voa longe no espaço mas simplesmente sobrevive.



Depois ela fica em coma, FN pega o rastreador de Rey dela, e ela só volta a acordar quando todo mundo ta nas cápsulas de Fuga. Ironicamente, ela que ficou brava por Pole ter causado a morte de centenas, fica até feliz por ele estar bem e ser tão afobado, e conversa com a capitã provisória da qual ele duvidou. Essa capitã fica na nave final, e agora sim, bora falar da explosão que dividiu naves:



A amiga de Leia, a capitã que assumiu seu posto provisoriamente enquanto ela tava desmaiada, bota em pratica o plano de esvaziar as naves em segredo. Provavelmente por não saber como que a Nova Ordem fez pra rastrear a frota pelo hiper-espaço, ela manteve o plano em total sigilo, e Pole não sabia. Mas Leia aprovava, tanto que quando acorda, elas conversam rapidamente e são bem amigas, riem e tal, até ela dizer "Alguém vai ter que ficar pra pilotar enquanto vocês fogem, eu fico miga".

Essa capitã fica na nave, distraindo as naves de Snoke, mas quando FN é capturado e vaza a informação das cápsulas, ela decide fazer algo pra evitar que todos fossem mortos, então, ela vira a nave, e usa o salto de Hiper-espaço na direção da frota de Snoke. 



Isso corta a nave grandona e todas as demais ao meio, num enorme feixe branco. Esse corte, cria a explosão que salva FN e a namorada, e também abre espaço pra Rey fugir (após lutar contra Ben, mentalmente).



Voltando pra Leia, ela e Luke se encontram, na base do planeta anão, quando ele se projeta, mas ele se despede dela (o que pra mim, foi também uma forma de se despedir da atriz, pois ele diz "Nós nunca nos vamos de verdade"). Leia sente quando ele se une à força, e Rey também.



Luke, o ex-jedi




Bem, o que dizer sobre Luke Skywalker que eu ainda não tenha dito? Ele é um ex-Mestre Jedi por opção, e seu sabre de luz, aquele das visões, aquele da família que fez muitos acharem que Rey tinha ligação com ele (eu fui um desses), não tem a menor importância. Aquela cena final do filme anterior é repetida, só que com menos suspense e de forma mais rápida, e Luke, ao pegar a arma, joga fora como se não fosse nada.



Esse gesto serve pra duas coisas: Mostrar que Luke abandonou o caminho da força; Mostrar que o sabre num é nada de mais.

Esse sabre passa pela mão de todo mundo, inclusive pela mão de Snoke na segunda metade do filme (ele levita o sabre a bel-prazer). 



Só nessa parte já percebi que eu tava errado pacas, e tecnicamente, eu cai na interpretação sugerida pelo primeiro filme, só pra tomar vários tapas na cara. Por um tempo achei que eu tinha perdido o dom, mas ai reparei que a Disney manja dos trailers. No trailer desse filme, tudo o que sugeri no review anterior corroborava. FN vestido como um membro da Nova Ordem que o diga, pois na hora que vi pensei "Aha acertei saporr4" mas na real, ele só se disfarça pra se infiltrar mesmo... mas voltando ao Luke...



Ele parece ter se desligado da Força, na real ele se desligou, e só retorna pra ela quando Rey vai embora e ele tem seu encontro com o tio Yoda, com quem não falava a muito tempo. A força ta poderosíssima no universo, e os poucos que a utilizam (ao que parece, apenas Snoke, Ben, Rey, Leia e Luke, depois que ele decide voltar a ser Jedi) são extremamente poderosos. Rey que o diga, que não tinha qualquer passado (ela apenas surgiu na força pelo que deu a entender) e é praticamente uma mestre. A conexão à distância feita só pela força, sem necessidade de tecnologia e hologramas, deixa isso bem evidente, pois é algo que não ocorria antes. Rola até teletransporte (Rey e Ben trocam toques e gotas de água passam pela força, do planeta dos Jedi pra nave do Snoke). 


E bem, a história que Luke revela, é estupidamente simples: Um dia ele acordou antes dos alunos dele, e viu o futuro de Ben Solo, depois de já ter visto tendencias ao lado negro da força no pirralho, em treinamentos anteriores. Então, por alguns segundos, ele levanta seu sabre e pensa em matar o moleque, mas ele desiste, e Ben acorda, vê o sabre, pega o dele e tenta se defender, explodindo tudo no processo.



Ben vira Sith nesse momento, e Luke, sob destroços, apesar de sobreviver, vê sua creche Jedi toda detonada e abandona os caminhos da força, indo pro planeta original Jedi e se trancando la, pra morrer. 



Ele, junto com os habitantes do planeta (novo alívio cômico pra franquia) vivem de boa e protegem os primeiros e últimos vestígios Jedi... até Yoda aparecer.

Yoda, na força




Ele surge quando Luke ta em dúvida sobre destruir os livros Jedi e encerrar de vez a história dessa religião. Ele vai com uma tocha e Yoda surge, no que parece ser uma tentativa de impedir tamanho sacrilégio, mas na verdade era uma forma de motivar o mesmo. 



Yoda, unido à força, faz questão de debochar de Luke por ele ter dúvidas e faz o trabalho por ele, sem pensar duas vezes. Ele queima tudo, e ri muito. Depois, o velhinho verde diz que ta na hora dos novos tomarem conta do mundo, diz que a papelada antiga já não presta pra nada, diz que ta na hora de aprenderem com os erros e abandonarem esses dogmas chatos e ultrapassados.




É interessante, pois isso afirma o fim dos Jedi como eles são, mas abre espaço pra uma nova era.

Namorada de FN e Falso Decodificador




Os coadjuvantes que tem um ar de novos personagens importantes são o cara do Decodificador e a mina que beija FN. O cara, pelo que entendi, se entendi direito, era a pessoa certa, na hora errada.

Ele é imparcial, não é bom ou mal, não ta com a Rebelião ou com a Nova Ordem, ele é neutro, mas manja muito das tecnologias. Quem recomenda ele em cima da hora é a moça amarela, dizendo que "O Decodificador" seria o cara com um pingente de flor na roupa, e estaria num Planeta Casino.



Esse planeta é bem grande, e cheio de gente riquinha que ganha com a guerra, vendendo armas e escravizando a galera, enquanto passam o tempo apostando e jogando. Esse cara, da flor, é visto apostando, e é destacado inclusive, mas os heróis não conseguem nem falar com ele, pois são presos por estacionar em local proibido.




Mas, na cadeia, coincidentemente, um cara que também manja de decodificação ta la, na mesma cela, todo acabado, como se tivesse sido detido por roubar no jogo ou algo assim.


Ele é gago, e é bem legal, durante toda sua participação, chega a ensinar o "lado neutro da força" até que trai a galera. 



Ele leva eles pra nave do Snoke, abre caminho até núcleo de onde sai o rastreador capaz de funcionar até em hiper-espaço e é ai que ele trai os caras, entregando eles pra Nova Ordem, e também falando das cápsulas de fuga.



Obs.: Sobre os Rastreadores: Eu falei que tem 2 rastreadores, tem o de Rey com a Resistência, pra ela saber onde eles estão, e tem esse que é usado pela primeira vez na história de Star Wars, que todos se surpreendem mas é descoberto por FN e sua amiga nova, em questão de segundos, logo que se encontram pela primeira vez. Antes, eu jurava que o rastreador de Rey era a falha que entregava a posição dos Rebeldes mas nop, tem outro rastreador.


Sobre a amiga/namorada de FN, a irmã dela morre bem no começo do filme, sendo ela a única piloto que consegue jogar as bombas no Destroyer, os outros bombardeiros explodem ao mesmo tempo, por uma única nave da nova ordem que entra sem querer. 



Essa moça é responsável pela manutenção da nave, ao que deixa a entender, e é vista por FN chorando, lamentando a morte da irmã. Mas, ao ver FN, ela enlouquece de fanatismo, afinal ele é um herói na Resistência, e eles se dão muito bem. Ela atordoa ele pois ele tava se preparando pra fugir, mas logo eles conversam, ele explica a razão da tentativa e tal, e nessa conversa eles percebem, juntos, que a nave de Snoke tinha um rastreador gigante... simples não.

Ela beija FN quando salva ele da tentativa suicida de destruir a mini estrela da morte, onde após ela se arrebentar toda e antes de desmaiar, diz que ama ele e tasca-lhe um beijinho.



Legal é ver depois ele correndo pros baços de Rey, pois eles se encontram perto do fim, após esse evento, quando ta todo mundo fugindo, e depois, ela vê ele zelando pela nova amiga e parece, só parece, que fica com ciumes.



Enfim...

BB-8, o esquecido



O robozinho tem bem mais presença agora, mas é esquecido por todos, exceto Pole, que parece ser o único que se preocupa pelo droide. Na viagem de FN, o BB-8 vai junto, mas quando eles são presos, ele é deixado sozinho e eles escapam sem nem pensar nele.


Ironicamente, eles só são salvos porque BB-8 lembra deles. Ele que leva o Decodificador Secundário, e ele quem rouba uma nave pra ajudar eles a saírem do planeta Casino. Depois é BB-8 quem pilota um robô/nave quando a Nave grande é dividida ao meio, e é ele quem salva FN e a mina dos destroços. BB-8>R2D2.




Ah é, tem o vilão do BB-8, um robô da Nova Ordem que é o oposto dele...



Só mencionando, pois acho que ele vai aparecer no próximo filme, com mais destaque.

O Jedi da Vassoura



E por fim, temos o novo jedi, ou o que parece ser o começo da nova era Jedi: o escravo com a vassoura.




Com o desfecho, e os pouquíssimos sobreviventes da Resistência, da-se a entender que a esperança já era. Ninguém responde ao pedido de socorro de Leia, mas, com Rey superpoderosa, eles ainda acreditam na possibilidade de vencer a Nova Ordem e restaurar a República.

Pra reforçar essa esperança, surge um menininho que puxa uma vassoura com a mente, ou seja, usa a força, e ele usa o simbolo da Resistência. Na verdade, o garoto ajudou FN e a amiga dele a fugirem da cidade Casino, libertando uma manada de cavalos alienígenas e criando um fuzuê, pro agrado da amiga do FN (eu não lembro o nome dela e não quero chama-la  de "moça asiática", apesar dela ser) que odiava a cidade.



Esse pequeno encontro, deles com os jovens entusiasmados pela rebelião, deixa claro que a juventude é a nova esperança pro futuro. Tanto que, não duvido nada se o próximo filme se passar com um salto temporal de anos, com Rey como Mestre Jedi, e a Resistência de pé novamente, com os jovens já em fase adulta, e pra ajudar mais, vários aprendizes de Rey nos caminhos da força.

Comparações com "Rogue One"




Algo que não pude deixar de reparar é o clima de "Os Últimos Jedi", o qual lembra muito "Rogue One" o dito spinoff da franquia Star Wars, que foi lançando nos cinema entre o lançamento do "VII" e o "VIII" (eu não os considero 7 e 8 pois nem mesmo nos filmes há a numeração, apenas o título, e como eu disse na análise anterior, é costume na franquia a troca de numeração repentinamente). Por ser spinoff, eu nem considerei levar meus irmãos pra assistir, mas eu vi, e ele é bem legal.

Conta a história das pessoas que conseguiram os dados da fraqueza da Estrela da Morte original, que foi o que possibilitou a vitória contra a enorme assassina estelar. Só que, a história desses personagens, muitos personagens interessantíssimos, começa e se encerra nesse mesmo filme: Todo mundo morre, inclusive protagonistas.

A ideia era mostrar o quanto a galera ralou pra pegar só aqueles dados que foram passados pra Leia (e são entregues ao R2D2 naquela clássica busca por "Ben Kenobi"). Tudo isso é importante, mas ninguém para pra pensar no quanto as pessoas são importantes, seja coadjuvante, seja Storm Tropper, seja Clone, Droide, etc. O que "Rogue One" ensina é que tudo é importante e grandioso o suficiente pra chocar.

Por alguma razão, eu vi isso em "Os Últimos Jedi". Tem muito personagem bom, interessante, que tem um passado, um fundo, uma base curiosa e criativa... mas todos morrem sem grande aproveitamento aparente. Entretanto, os sacrifícios, mortos e perdas são todos sutilmente indispensáveis. Toda a guerra espacial serviu pro desenvolvimento de quem sobreviveu.

A "enrolação" que o filme transfere trouxe pequenos ganchos para eventos cruciais, como o grande Corte Transversal por Salto de Hiper Espaço, a influencia da Resistência nas crianças menosprezadas pelo universo, a revelação de pessoas "neutras" em meio a todo o caos, a descoberta sobre a origem das armas tanto da Resistência quanto da Nova Ordem (tudo do mesmo canto), a renovação da religião Jedi (na verdade, o fim dela como conheciam e a abertura de uma nova crença, corrigida pelos erros dos religiosos fanáticos do passado) e por ai vai.

Esse filme, é bom. Eu fiquei triste por ter errado tanto. Eu jurava que FN seria um vilão futuramente, pois ele é muito endeusado e exaltado por todos. É um personagem admirado de mais, e isso é tão suspeito. Falamos de uma franquia em que transformaram um pirralhinho mecânico ex-escravo fofinho que chama rainhas de "anjo" e pilota naves como profissional, no maior, temido e caricato vilão já visto nas guerras cósmicas. O Rogue One que o diga, a cena de Darth Vaider foi o ponto alto do filme... e que ponto.

Eu jurava também que Ben viraria bonzinho, pois sinceramente, a mensagem da franquia é, e sempre foi, que todos podem mudar, só bastando incentivo. A luz dentro dele é ativa, da mesma forma que as trevas, ele é querido por muitos (Leia e Han o amavam apesar de tudo, Luke, mesmo tentando mata-lo, confiou nele e se sentiu fracassado por achar que o perdeu, Rey, que mesmo assistindo o parricídio dos Solo, viu que havia bondade no Ben e tentou salva-lo, e até o Sith Imperador, tio Snoke, relembrava constantemente que a fraqueza de seu pupilo era sua dúvida... enfim) eu jurava que ele viraria mocinho, mas ele virou o novo imperador Sith!

Mesmo sabendo que Luke é virjão, eu tinha fé que Rey era sua filha abandonada por segurança. Sua maestria natural com a força, sua personalidade, suas visões, tudo fazia parecer que era essa sua ligação. Mas não, ela é novamente uma criança nascida da força, sem vinculo com nada ou ninguém, igual Anakin... só que sem um passado especial... ela apenas cresceu e despertou a força em si.

E bem... apesar de tudo isso, estou feliz pelo que escrevi naquela época, pois registrei ideias, mas, errei.

Agora, algo que eu lamento por não ter contado em detalhes, é o que o dia em que fui ver o filme significou.

Minha história com Star Wars




A muito tempo eu ouvia as pessoas mencionando Darth Vaider, falando do quão era épico, gente comentando sobre Star Wars, mas eu mesmo não fazia muita ideia do que era a franquia. Eu conhecia 1 filme, que era o do pirralho Anakin, mas não sabia sobre as 2 trilogias, muito menos que os filmes mais atuais eram anteriores em narrativa do que os antigos.

A inversão de numeração, a reedição dos efeitos especiais, essas coisas eu não sabia. Pra mim, os filmes mais antigos eram velhos e eu temia os efeitos velhos, por puro preconceito, e evitava assistir.

Mas um dia, chamei meus dois irmãos e falei "bora ver essa franquia?" e assistimos, do primeiro ao último, na ordem cronológica, começando pelos 3 mais novos, e depois vendo os 3 mais antigos. E ai, entendi a paixão dos fans, e eu e meus manos viramos fans também.

Daí saiu o trailer do novo Star Wars, chamado de "sétimo" mas, que na verdade, poderia ou não ser de fato o número 7 (nessa época eu já sabia das mudanças numerais) e prometi algo aos meus irmãos: A partir de hoje, a gente vai ver tudo no cinema.

E fomos no primeiro filme, que foi legal pacas e rendeu a primeira postagem. Mas uma coisa que não contei, é que no dia, saímos umas 19 a 20 horas de casa, e chegamos 5 da manhã, pois nos perdemos no trânsito. Eu tava com 2 crianças (12 e 16) e peguei o último ônibus do dia, com meu celular descarregado. Mas o ônibus era errado e fomos parar no ponto final no meio de uma avenida que eu desconhecia.

Andamos muito pra achar o caminho de casa, com mó medão (São Paulo, madrugada, eu tava cheio de grana, podia ter dado um ruim fervoroso) e, por alguma sorte divina, o celular do meu irmão deu sinal de vida, e meus pais entraram em contato. Falamos mais ou menos onde estávamos e meu pai veio a pé nos buscar (demorou 1 hora e meia) e ai a gente voltou a pé pra casa. Por sorte ainda estávamos na mesma cidade, e meu pai conhecia tudo (mas tava sem carro).


Foi um dia longo, mas até que divertido, e por sorte nada deu errado... mas...

Por causa disso meus pais começaram a duvidar da minha capacidade e responsabilidade, e sempre que eu insinuava que sairia com meus manos, eles davam centenas de diretrizes de segurança e tal, além de hesitarem muito em autorizar a saída... até meus irmãos ficaram meio receosos.

Um dia fomos ao cinema pra assistir Logan, e eu tive de pedir pra um amigo nos acompanhar pra convencer meus pais... ou quase isso. Ele queria ir também, e convenci meus irmãos a irem, e meus pais só autorizaram por causa da presença do meu amigo. Mas, depois do filme, quase nos perdemos... perdemos o último metrô, então tivemos de pegar outro ônibus que eu não conhecia, mas meu amigo sim, e eu imaginei se estivesse sem ele, que acabaria ficando preso na rodoviária ao lado do metrô, pois não saberia qual ônibus tomar.

Eu e meus manos não fomos no Rogue One, por ser spinoff (e eu tava sem grana) mas assim que saiu o "VIII" a gente foi. Na verdade, eu tinha planejado ir na pré-estreia, mas mesmo guardando grana, acabei convidando uma garota pra ir num show do Gustavo Lima ou Luan Santana (eu sei la quem era, tinha ganhado ingressos vipes pra camarote e chamei a mina por impulso) e acabei sendo forçado a adiar o cinema pro dia seguinte. A mina me deu um bolo mas era tarde quando voltei pra casa e não dava pra levar meus manos no mesmo dia, pois seria tarde de mais e eu não queria me perder outra vez.

No dia seguinte, iriamos cedo mas os pirralhos dormiram até muito tarde, então iriamos as 15h mas eles ficaram com frescura, então fomos as 16h... e nos atrasamos pelo trânsito. Tava mó calor, ônibus cheio (era domingo) e a história da viagem começou ai:

Eu tava usando um lenço na cabeça e com uma camiseta azul enorme... eu nunca me visto assim, e foi o bastante pra fazer um cara do ônibus puxar assunto. Eu tava falando com meus irmãos sobre o trânsito enorme e o cara cortou e começou a falar sobre motos, dizendo que a gente deveria ter vindo com nossas motos. Yep, ele achou que eu era motoqueiro, e isso foi interessante, mas tudo ficou mais estranho posteriormente.

Meu irmão começou a passar mal, e eu tava sem nada pra ajudar, dai o cara da moto abriu espaço na escada do ônibus pro meu mano sentar, e na mesma hora, uma moça do nada deu uma sacola pra ele. Foi tudo muito rápido e solidário, coisa de brasileiro, mas ainda não terminou.

Quando o ônibus chegou na rodoviária pra gente ir pro metrô, o cara e a moça desapareceram, eu nem me dei conta disso na hora, mas todo mundo sumiu. Acho que foi por termos ido pro caminho oposto, mas pela quantidade de gente que tinha no veículo, foi estranho. Enfim, pegamos o trem, fomos pro cinema, e antes passamos no Burger King. Eu nunca tinha comido la, e pedi 3 lanches, sendo o meu o menor porque fui burro.

A moça do BK era uma atendente nada simpática, falando mecanicamente e com desleixo, como se odiasse o trabalho, mas ela foi simpática ao extremo do nada, quando eu comentei com meus manos sobre meu lanche ser o menor e meu arrependimento, dizendo que deveria pegar o de bacon, a moça parou tudo e disse "Sr, nem grila, tem bacon no seu também, e deu um sorriso assustador.

Ainda assim eu não tinha notado nada de estranho, até que chegou a parte do BB-8. Eu queria muito um BB-8, e por sorte no dia em que fomos o cinema tava dando um pote gigante na forma do BB-8, num especial de pipoca (meio carinho, mas daora). Quando compramos, começamos a tirar fotos por pedido do meu irmão, e ai um cara apareceu. Esse cara ficou observando, de longe, mas beleza... eu queria ir no banheiro e meu irmão menor também. Pra não correr o risco do maior fugir com o BB-8, decidimos ir um de cada vez.

Quando meu irmão foi, um cara apareceu e começou a puxar assunto. Era o mesmo cara que observava. Ele falou sobre o BB-8, sobre o cinema, não foi nada de mais, mas foi estranho a repentina simpatia dele.

Depois meus manos e eu fomos pra sala, e sentamos nas poltronas do meio, prum filme em 3D! E ai, enquanto os trailers passavam, a gente foi se ajeitando e acomodando quando do nada, o cara na poltrona na frente da minha colocou o ombro pra trás, se virou e começou a puxar assunto, sobre Star Wars, sobre Dragon Ball Super e sobre Liga da Justiça. Era o mesmo cara simpático, mas nesse momento comecei a estranhar tudo.

Eu conversei educadamente, e o filme começou. Assistimos, e ao sair da sala (curiosamente, era 23:30, pois pegamos a sessão das 20h xD) meu irmão do meio se desesperou e queria ligar pros pais pois, estávamos atrasados. Mas curiosamente, o cara estranho começou a nos guiar, para a saída do cinema (geralmente nos perdemos la dentro mesmo). Ele não falou nada, só foi a frente, e meu irmão desesperado repetia "Não é por ai mano, para de seguir o cara". Mas, era por ali mesmo. A única saída aberta era essa, e adivinha!? O cara desapareceu assim que passou pela porta.

Daí fomos pro metrô, e o vendedor de bilhete, o único que ainda tava aberto, nos vendeu os bilhetes de metrô e ainda comentou sobre não ter pego o BB-8 na pré-estreia, pois não tinha... foi legal. Enfim a gente pegou o trem e deu tudo certo até a rodoviária.

La, entramos em uma das filas e eu perguntei pra moça na frente sobre ser o ônibus certo ou não, e ela foi extremamente simpática, conversamos muito, até meus irmãos se soltaram, falamos sobre o cinema, sobre o que fizemos la, sobre as varinhas que compramos (yep, compramos varinhas do Harry Potter) e foi uma conversa longa. Daí, eu disse "Mano, precisamos falar com a mãe" pois meu irmão não tinha conseguido ainda, e depois de 1 tentativa de ligar, sem sucesso, meu celular tocou e era a nossa mãe, despreocupada, dizendo "To esperando ta filhos". A mãe é muito, mas muito exagerada quando a gente atrasa, ao ponto de esperar com uma cinta do lado de fora de casa, xingando tão alto que faz a gente se preparar pra surra, antes mesmo de cruzar a esquina. Mas dessa vez, ela tava de boa, e era quase meia noite.

Mas ai pegamos o ônibus, e o lugar em que sentamos foi, coincidentemente ao lado da moça. Falamos mais um pouco com ela, e ai veio uma revelação que me fez estranhar o dia que tivemos:

Meu irmão falou das varinhas e disse que ele era um comensal da morte, não um bruxo, só zoando. Eu falei que todo comensal da morte é um bruxo, e na discussão, a moça que parecia não entender nada do que falamos o tempo todo disse: "Antes de escolher ser um comensal, bruxos são bruxos, todos são bruxos.". Eu fiquei surpreso ao ponto de não conseguir mais falar, e todos os encontros que tive ao longo do dia vieram à minha mente.

Posteriormente, eu falei com meus manos, quando estávamos andando pra casa, e os dois também tiveram encontros estranhos, perceberam pessoas observando, quase como se estivéssemos sendo seguidos. Eles me contaram suas versões, como a mulher que nos olhava como se quisesse conversar conosco na cadeira atrás da minha no BK. O cara que nos vendeu milk shake, que só ligava a máquina quando chegávamos perto (ela fazia mó barulho estranho), pessoas no ônibus, metrô, etc... o dia inteiro fomos observados.

Daí, chegando em casa... tinha pizza e minha mãe nem foi nos receber na cintada. Na verdade ela tava calma pra caramba, e feliz de mais. Era 1 hora da manhã... e ela não questionou nada.


Moral da história: Mãe contratou espiões pra nos seguirem.

Rs... história longa né? Desculpe por isso, queria registrar em algum lugar pois, a moral foi justamente o que pensei. Eu sei que não foi isso, seria surreal de mais, mas foi legal pensar assim. Tornou tudo mais memorável.

Erro?

Algo que preciso mencionar é o quanto FN é rápido. Na parte final, sua nave é parada do lado das máquinas da Nova Ordem, aí rola o beijo, com ele resgatando a amiga que impediu seu suicídio. A nova Ordem vai em direção aos portões da Resistência e ai, Luke aparece. Eles param pra atirar nele e tal, e logo em seguida, FN aparece na base da Resistência arrastando o corpo da namorada e pedindo socorro. Mano, ele andou mais rápido que a frota inteira da Nova Ordem, passou do lado de Luke no meio do tiroteio, não foi pego pelos tiros, tanto em sua tentativa de suicídio quanto em seu resgate, e tudo isso sem nenhum machucado! Mano!!!

Enfim, é isso.

Obrigado pela leitura... e see yah!

6 comentários:

  1. de tempos em tempos revisito seu blog, adoro tuas postagens e pelo visto apos lé essa analise do filme tenho certeza que irei gosta dele me sinto um idoso...a primeira vez que visitei o blog foi em 2013 eu tinha 14 anos agora to com 18 mds e muito surreal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo passa heim sr Wilker. Imagina eu que to na faixa dos 30... Somos geração passada já rs.

      Fico feliz por acompanhar o blog, lamento por não ter crescido tanto ainda mas... o tempo passa rs.

      SW ficou daora sr, você vai adorar e rir muito... acredite.

      Excluir
    2. pode não ter crescido tanto mas a qualidade do blog com certeza cresceu muito

      Excluir
    3. Valeu sr Wilker. Daqui pra frente tudo só tende a melhorar.

      Excluir
  2. Não sei mensurar quando odiei esse filme kkkk.Que roteiro mais amador,quem escreveu parecia comigo quanto jogava the Movie ( recomendo pra caralho ).
    Não consegui intender como tropas rebeldes tão calejadas caíram em uma estratégia tosca,isso vale também pra nova ordem...luke totalmente tosco , o finn levantou sem saber de nada e continuo o filme todo assim kkkk , mas ainda sim gosto do cara, sua análise do filme foi boa só o filme que é ruim mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos de dar o braço a torcer sr, afinal, mesmo o filme sendo basicamente um episódio de Star Trek estendido, ele consegue prender a atenção.

      Eu até que curti, fiquei chateado pacas pois não acertei nenhuma teoria, mas no final das contas, o filme não foi a coisa mais criativa do universo.

      To torcendo pro terceiro ser uma senhora obra prima...

      Enfim, sr, obrigado por ler e curtir e até sr Wallace.

      Excluir

Seguidores do Google+