PesquisaMorte:

ArquivoMorte

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

AnáliseMorte: The Evil Within - DLC's

Acabei de postar a análise de Evil Within, e esta será um complemento. Fiz o possível pra postar ambas juntas, por isso a demora, e achei que seria melhor colocar elas ao mesmo tempo no blog, porém em postagens diferentes, afinal as 3 DLC's do primeiro Evil Within são praticamente 2 jogos inteiramente novos.

The Assignment, The Consequence e The Executioner


Bem, caso você não tenha lido a primeira postagem de "The Evil Within", eu recomendo, pois eu irei me conter e focar a atenção totalmente nas DLC's, daí fica melhor pra entender.



Boa leitura.

DLC significa "Downloadable Content" (Conteúdo Baixado) e é, na maioria das vezes, um recurso caça-niqueis, que oferece conteúdo extra, mas dispensável, geralmente sem nada tão especial, como um visual diferente pros personagens, ou algumas armas novas, essas bobagens. Alias, essas 3 dlc's de Evil Within trazem esse tipo de conteúdo também (a Espingarda de cano Duplo, o Kit Médico e as Flechas de Veneno e Fogo, são itens que vieram pro jogo principal, das dlc's). Mas, o verdadeiro conteúdo desse pacote triplo é incrível!



Ele é importante, explica muita coisa do jogo principal que ficou em aberto, traz uma nova visão dos eventos, e o mais legal, traz jogabilidade nova!

Depois de "Nier: Automata" achei que não me surpreenderia mais com mudanças bruscas de jogabilidade, mas me surpreendi, 2 vezes. Digo 2, pois as dlc's "The Assignment" e "The Consequence" utilizam o mesmo personagem, e praticamente a mesma jogabilidade, além de contarem a mesma história (uma começa e a outra conclui). Há uma variação, uma diferença entre ambos, mas no geral é a mesma coisa (entre as 2 dlcs iniciais), que por si só já é bem diferente do jogo principal.

Na DLC "The Executioner", protagonista, enredo, conceito, jogabilidade, perspectiva e até mesmo o tempo da história é completamente diferente, tanto do jogo principal quanto das outras dlc's. Na verdade é tecnicamente o oposto de tudo, um jogo novo, que até serve de vingança pro jogador (eu pelo menos me senti muito vingado!). Detalhe: Pela primeira vez me empolguei em uma DLC ao ponto de fazer o 100%, e re-jogar pra ir além do 100%, e coletar tudo o que deu pra coletar. Essa terceira é a melhor.

Enfim, vou falar de cada DLC na ordem em que elas se apresentam:

The Assignment
(A Atribuição)



A primeira DLC apresenta 2 capítulos da história de Kidman, a moça misteriosa do jogo principal.


Como era de se esperar, cada pessoa passou por vários eventos dentro do STEM, individualmente, e quase todos tiveram sua história revelada junto à Sebastian, menos Kidman.



Hora ela aparecia como aliada, hora como vítima, hora como vilã, mas nada sobre quem ela realmente era foi revelado, até essa dlc sair.

Aqui, vemos tudo pela perspectiva dela, e é bem interessante ver que na realidade, ela tava completamente envolvida em tudo com o STEM, e tinha até um trabalho secreto pra realizar la dentro.



Os eventos aqui mostrados revelam o que houve com Kidman antes da campanha principal ter começado, explicando como ela chegou ao STEM e revelando que tudo era premeditado. Alias, fica rolando flashbacks o tempo todo, tirando Kidman de cenários e arrastando pra outros, onde sua história com os verdadeiros vilões é mostrada.



O passado dela, e como ela chegou a se tornar pupila dos detetives, isso é contado por documentos, ou seja, Kidman é a protagonista dessa vez, mas ela é bem diferente de Sebastian, principalmente por seus movimentos...

Jogabilidade

Armas


A moça faz quase tudo que Sebastian faz, exceto lutar. Pois é, ela não usa armas, pelo menos não nessa dlc (na real ela até chega a usar, mas é em um momento muito específico e ela é desarmada em seguida).




Os únicos recursos que ela tem são garrafas pra distrair os bichos... 


E de vez em quando um machadinho descartável. 



Ela não tem nenhuma outra arma, e apesar de no inicio ela se defender usando seu salto-alto, ela é inútil em batalha.

Bater



Ela até pode bater, principalmente dar pisoteadas, mas não é algo funcional. Geralmente serve pra finalizar apenas.

Abaixar




Logo, o jogo é focado em stealth, sem lutas, em boa parte dele. Se com Sebastian já era tenso, imagina com ela que nem usa armas. Por sorte, eu já tinha me acostumado a andar abaixado e evitar lutas pra guardar munição, então foi tranquilo jogar com ela.

Esconder/Cobertura


Kidman ainda pode se esconder de forma automática usando o B perto de algum canto, o que a deixa encostada e abaixada em paredes.



Assim, ela consegue também chamar e fazer barulhos, provocando inimigos para que chequem, enquanto ela da a volta ou passa até mesmo do lado deles, sem que percebam.




Além disso ela consegue entrar em armários pra se esconder de inimigos, como Sebastian faz.


Correr




Como Sebastian, ela corre, e consome fôlego. Não há diferença, exceto o fato dela não poder aumentar o fôlego por upgrades. 

Também há aqueles momentos em que ela corre por conta própria, sem consumo de fôlego, alias um dos chefes é justamente "correr". 

Iluminar

Ela tem algo que Sebastian não teve: Lanterna, de verdade.




Ela usa uma lanterna pra iluminar o caminho, e ainda há um efeito extra, de iluminar portas escondidas e desvendar certos mistérios de forma mágica, realmente mágica: Ela ilumina algo com o símbolo da Mobius e revela segredos como portas, documentos, etc.



Além disso, algumas criaturas reagem de forma diferente quando comparado ao Sebastian e sua lamparina.

Regenerar Energia Vital

Kidman também tem outra vantagem: Saúde Rápida.




Ela não precisa usar curativos para se recuperar, ela tem uma barra de energia vital maior que a barra original de Sebastian, e ainda por cima ela restaura tudo, só precisando ficar parada por um tempo. Isso facilita muito, e é uma vantagem justa considerando todas as deficiências que ela carrega em jogabilidade.

Não há upgrades pra ela.

Salvar



E alias, pra salvar, Kidman senta num sofá com um gato preto com lacinho vermelho para acariciar, que não tem nenhum significado específico, além de ser bem fofinho.



Tem uma parte em que se ficar sentado muito tempo, um cara aparece andando, com as roupas de Leslie, e fica parado atrás dela, mas ao se levantar, como a câmera segue o gato, ele simplesmente some.




É bem louco...

Itens e Segredos

Alias, tem alguns easter eggs, eu normalmente não dou muita atenção pra eles, e no caso de Evil Within é bem mais difícil identifica-los pra mim, afinal é um jogo da Bethesda com a Tango Gameworks, responsáveis por franquias que desconheço... mas tem alguns que são completamente ligados à própria realidade de Evil Within, e são bem divertidos... ao longo do post falo deles, mas adianto um que é bem bizarro, onde Laura surge do nada e pronto, é isso. Ela nem participa da história das DLCs então é algo totalmente fortuito.



Outra coisa a se falar é sobre os itens extras escondidos. Tem pedaços de uma carta escrita por Ruvik, que foi rasgada e escondida por vários cantos, em cofres que pra serem abertos exigem que o segredo seja desvendado em suas combinações, que envolvem números ou luzes.




Eu infelizmente não peguei todas as cartas do primeiro, mas passei a caça-las posteriormente... mas não peguei tudo por preguiça. O conteúdo eu sei que são mensagens de Ruvik, descrevendo seu estado mediante o que ocorreu consigo.





Tem também uns caracóis... 



Que quando iluminados, começam a gemer com voz feminina e soltam corações rosas (sim, ainda to falando de um jogo de terror psicológico) e então falam um "Uahhhh" todo sensual quando se transformam no logotipo da Tango Gameworks. 



Esse logotipo libera uma das artes especiais das DLC's (na análise principal, a arte que usei do Oscar saiu dessa galeria extra), e a única validade que tem, é pra ver os designes dos personagens novos ou que faltaram. Infelizmente não são muitos (só cinco).



É divertido caça-los e aumenta a vida útil do jogo, mas no fim é apenas uma curiosidade mesmo.

Personagens

Boa parte dos personagens dessa DLC já foram apresentados no jogo principal, mas tem personagens originais, e também certos detalhes novos importantes pra se mencionar.

Kidman



Ela NÃO é policial ou detetive.


O passado de Kidman é melhor revirado e revelado, e até mesmo seu antigo vilarejo acaba sendo visitado (uma cidade de mercadores com um anjo no centro, era a cidade de Kidman e também apareceu no jogo principal).




É revelado que Kidman é uma pessoa tirada das ruas e treinada pela Mobius pra agir como um tipo de espiã, dentro da delegacia onde Sebastian, a esposa dele e Joseph trabalham. Ela entrou como uma detetive caloura, mas na verdade ela tava la pra descobrir o quanto eles sabiam sobre a Mobius, estranho não?!



Além disso, ela entrou na STEM propositalmente, e protegida com um soro especial para camufla-la dentro do programa, impedindo que Ruvik a atacasse. Não que isso mudasse alguma coisa na composição aterrorizante do mundo mental, porém fica mais fácil pra ela assim. O soro alias, foi feito e aplicado pelo próprio diretor da Mobius, e a missão de Kidman era recuperar Leslie.



Enquanto Sebastian e Joseph entram no STEM por acidente, Kidman fez isso propositalmente, e obrigatoriamente, mas ela tava totalmente despreparada e vulnerável. 



Agindo por baixo dos panos, ela acaba entrando no caminho dos detetives que buscavam sobreviver, e pouco a pouco vai simpatizando com eles... 

Diretor da Mobius (O Administrador)

Esse cara não tem rosto.


O "administrador" é o diretor da Mobius, que mantém os sistemas em funcionamento (Ruvik administra por dentro, sendo ele o Administrador interno), e ele faz de tudo para recuperar o controle de sua mente coletiva, por fins empresariais (ele quer dominar o mundo).



Seu rosto não é mostrado, igual ao dos demais funcionários lembrados por Kidman (ela revê geral, mas seus rostos não são lembrados), e ele tem um semblante sombrio, que já deixa claro que ele não é boa gente desde o princípio.



Kidman responde a ele constantemente, e ao que parece, ele monitora cada passo dela no STEM (parece que a Mobius consegue monitorar de forma nítida o que ocorre dentro do programa. Se bem que, fica sugerido que eles também recolhem informações através de hipnotismo, questionando Kidman com auxílio do soro, ou apenas simulam as coisas, sei lá, é tudo muito louco).




Kidman tem obrigação em enfrentar os pesadelos da STEM, desprotegida e despreparada, e ainda de quebra, seus medos se personificam constantemente, como por exemplo a revogação de seu acesso às instalações da Mobius.



No começo, ela simplesmente se torna desautorizada a transitar, e pra piorar, ela precisava da autorização pra conseguir cumprir sua missão (boa parte do primeiro capítulo é só pra recuperar a autorização).

É quase como se a realidade mental boicotasse Kidman o tempo inteiro, o que acaba fazendo ela permanecer dentro do programa por tempo suficiente pra entrar em contato com as memórias dos demais, e isso molda sua opinião.



Bem, o diretor fica na cola dela, cobrando e perguntando o tempo inteiro, coisas como "A quem você é leal?" ou "Lembra de sua missão?".


Ele também faz questão de dizer que os colegas de Kidman, na delegacia, que também tinham ido pro STEM, são descartáveis e recomenda que ela os ignore, evite e abandone se necessário.




Ela acaba tentando fazer isso, mas conforme avança vai se apegando mais a eles...

Jimenez




Apesar de não aparecer pessoalmente, seu fantasma surge em conversas com o Administrador, revelando que as intenções de ambos eram as mesmas, porém eles divergiram em negociações e Jimenez estava por conta própria no STEM.


Importante isso, já que Kidman não sabia muito, mas como ela entrou no STEM, e acabou acessando partes que não devia, graças a Ruvik e sua luta contra a Mobius, ela acaba vendo certas conversas que não deveria, vindas direto das mentes compartilhadas no mundo mental, e descobrindo muita coisa.



Aí ela fica ciente de toda merd4 já feita por causa de Jimenez, Rubens e da Mobius.

Leslie



O cara doente que na verdade, tem forte conexão mental e semelhança com Ruvik.




Ele é o alvo de todos: Jimenez quer seu cérebro pra saírem do mundo mental e recuperar o controle em seu próprio nome;




Ruvik o quer por sua semelhança mental e sucessibilidade para se converter em um novo corpo pra ele, no mundo real; 




Sebastian quer protegê-lo de todos que querem seu mal; 




O Administrador quer ele para controlar o STEM...



E Kidman quer sequestra-lo em nome da Mobius, no começo...



Conforme ela se envolve com tudo e todos, seu desejo com relação a Leslie se ramifica. 


Ela não sabe se cumpre sua missão, se impede o vilão, ou se ajuda Sebastian, esse é seu grande dilema.



Leslie e ela se encontram no caminho pra igreja, e nessa parte rola uma luta contra um chefão, que eu jurava que ia ser um dos gigantes gêmeos, mas não sei porque, ele não apareceu pra mim. Ouvi sons, vi explosões, ele até quebrou uma parede no cemitério, mas sumiu, como se fosse só uma ilusão.



Talvez fosse pelo fato de Ruvik não afetar Kidman, ou pela proximidade de Leslie, mas as criaturas apenas ameaçaram um ataque, que não aconteceu, pelo menos não naquela parte.




Depois disso, quando Ruvik surge, Leslie começa a falar em sincronia e agir como se fosse ele, e deixa muito clara a influência do fantasma. 


Kidman começa a questionar suas ordens nesse momento. E passa a ver Leslie como um alvo, para parar Ruvik e a Mobius ao mesmo tempo, por medo do que ele poderia se tornar.

Ruvik




No começo Ruvik não aparece tanto, e quando aparece é em fantasmas mentais (visões do passado personificadas) e atrapalhando a moça de forma involuntária.


O objetivo de Ruvik é alcançar Leslie, e como esse também é o objetivo de Kidman, ambos acabam se colidindo.



Mas, Quando Ruvik percebe que Kidman ta à serviço da Mobius (ele percebe assim que a vê livre de suas influências) ele decide testar a lealdade dela, mostrando a verdade sobre a empresa que a emprega. As visões e mensagens que ela tem a partir daí, são Ruvik mostrando sua perspectiva de toda a história.




Kidman vê o que Ruvik viu... e novamente tem aquela mistureba de memórias.

Boa parte da história gira em torno de Kidman passando por pesadelos de Ruvik, e pelos bastidores do evento de Sebastian, além de ter flashbacks constantes da Mobius a comandando.

E no fim, Ruvik começa a mostrar suas reais intenções, o que deixa Kidman bem mais em cima do muro.

Oscar (zumbi)




Oscar é aquele policial motorista, que no jogo principal é morto por Sebastian. 



Ele também é o primeiro encontro monstruoso de Kidman ao sair da ambulância tombada e em chamas, mas ela não tem nada pra se defender, então ela da um chute com seu salto-alto, afundando ele na mandíbula do zumbi e cai num barranco. 



Esse chute me fez pensar "Vish, o ataque dela é furar na sapatada" mas, infelizmente ela não usa essa técnica mais vezes.



Em contrapartida, esse detalhe é tão sutil quanto importante pra interpretação posterior de uma das criaturas mais ferradas da história, algo que o próprio jogo insinua, mas naquele menu de personagens não explica. Alias, se eu tivesse de apontar uma falha e inferioridade quanto ao primeiro jogo, seria no menu de personagens, pois as explicações são bem fracas e rasas com relação a própria interpretação que o jogo induz. 

Enfim, Oscar fica pra trás, pois é um zumbi com acrofobia.

Sebastian




Sua história é melhor revelada na outra DLC, mas ele chega a entrar no caminho de Kidman. Na verdade, aqui é mostrado como as realidades são diferentes pra quem ta dento, e quem ta fora do evento. Kidman vê Sebastian várias vezes, e lembra aquele momento em que ela ta presa numa caixa de vidro enchendo com água? Então, ela nunca esteve la.



Na verdade, enquanto Sebastian e Joseph assistiam Kidman pedindo por socorro, ela estava andando por salas e vendo eles por janelas. Ela não chega nem a dizer o que disse no ponto de vista do jogo principal, mas sua cópia diz... e é algo bem confuso alias.



O que da a entender é que uma Kidman fictícia é gerada para que os outros vejam, mas a verdadeira permanece em uma outra realidade dentro do STEM, e sabe o que eu entendi disso? Então, Kidman estaria conectada ao STEM, porém como ela tinha o soro e estava protegida, ela era como um vírus dentro de um programa, executando funções omissas enquanto algo aparentemente insignificante acontecia para os outros, usando sua forma.


Ninguém sabia como ela realmente estava, ou o que estaria fazendo, pois ninguém nem mesmo a via de verdade. Na real eram apenas duplicatas dentro da STEM, que assim que qualquer personagem interagia, davam lugar imediato à verdadeira Kidman.



Bem, Kidman acaba se separando de Sebastian e Joseph depois de ser salva da caixa de vidro que ela jamais esteve, e pouco tempo depois, quando eles se ajudam, Sebastian é levado pra outro mundo, e Kidman foge ao lado de Joseph, até que ele se transforma... 

Observação: Explicando o "jamais esteve": Kidman esta dentro do STEM, mas quem é visto pelos demais personagens é uma versão automática e ilusória dela. Só que, quando ocorre uma interação mais complexa, não apenas visual, mas sim física, que exige maior interação, ocorre a substituição instantânea pela verdadeira Kidman (é um mundo mental, então nada ali é realmente físico, mas Kidman precisa manter as aparências e suas "cópias" não lidam com situações complexas). Sabe "Click", aquele filme do controle remoto que manipula a vida? Tem aquela parte em que o cara avança no tempo e em seu lugar fica uma versão automática dele, que responde de forma simples e direta, sem raciocinar. É tipo isso que ocorre.


Joseph



Pois é, Joseph vira um zumbi e luta contra Kidman, isso praticamente no primeiro encontro.




Depois de cair naquele buraco que se forma quando Kidman sai da Caixa de Vidro...


Ela e Joseph andam um pouco até Sebastian aparecer, daí rola aquele momento de Sebastian e Joseph com dores de cabeça e Sebastian sendo sugado por braços saindo do chão, sendo esse o momento em que Joseph ataca Kidman, como zumbi.




Eles até são transportados juntos pra um grande mapa circular com um monte de macas, projetores, cortinas de plástico transparentes e máquinas médicas antigas, onde rola o confronto.




Como ela não tinha armas, a luta é totalmente às escuras. Joseph apela, ele usa uma pistola com munição infinita, corre, e fala o tempo inteiro, debochando de Kidman e provocando ela.



Kidman só consegue vencê-lo por conta de vários machados descartáveis espalhados pelo cenário... 


E pelos muitos projetores de luz e faróis que distraem e cegam Joseph temporariamente, pra ela atacar por trás.



Mas, o mesmo truque não funciona duas vezes, então ela tem que adaptar sua tática o tempo inteiro.



Depois que Joseph é derrotado, Kidman o mata.



Pois é, ele morre, e Kidman lamenta por isso... mas ele volta depois.




Qual a razão pra Joseph nunca morrer não é revelada, nem aqui, nem em nenhuma outra DLC, mas ele morre bem mais vezes... alias, tem mais algo interessante pra destacar: Joseph fala em nome da Mobius.




É estranho, mas a forma como ele fala com Kidman faz parecer que ele foi transformado pela Mobius, não por Ruvik. Ele diz "Você devia ter seguido as ordens" além de mencionar que sabe o que ela fez e quem ela é. Isso poderia ser apenas um pesadelo dela virando realidade, mas é tudo muito conveniente. Sem contar que esse era o Joseph real. 

Zumbis e Zumbis de Luz




Então, os zumbis são os inimigos mais comuns em Evil Within, e isso também vale pra Kidman, mas eles são bem mais assustadores agora, pois não podem ser enfrentados. 



Existem várias partes em que Kidman precisa se livrar dos zumbis usando o cenário à seu favor, como os empalando com armadilhas de espinhos ou trancando eles em salas com trava eletrônica.



O jogador é livre pra descobrir uma forma de evita-los, e vem da criatividade de cada um, mas o jogo oferece várias artimanhas que acabam facilitando esse trabalho, ainda assim, existem vários momentos em que apenas correr já é uma solução perfeita.



Existe um zumbi novo, de luz, especial pra Kidman. Luz é sua grande fonte de poder e medo, então tudo meio que se adapta a esse padrão.



Além do mais, esses zumbis de luz são crias de um monstro em forma de Lanterna, que falarei daqui a pouco. Ela da vida a eles, e ataca os zumbis normais... interessante isso né?!


Cadáver (Zumbis Explosivos)




Existe um tipo de zumbi novo, que aparece num estado de mutação tão avançado, que pouco lembraria um ser humano, se não fosse pela cabeça pendurada e os membros entortados.




Ele é coberto por bolhas laranjas que mudam pro vermelho quando vai atacar, e ele é totalmente cego.



Na verdade são vários dele, e eles se orientam pelo som. Kidman precisa se manter abaixada e fazer o menor ruído possível para não chamar a atenção dessas criaturas, que uma vez agitadas, grudam na vítima e explodem junto com ela.



Não há como resistir a uma explosão, mas da pra tapeá-los e fazer um explodir o outro.




Na primeira aparição, eles assustam, pois é bem na hora que Kidman ta finalizando seu registro no sistema de biometria, pra recuperar o acesso aos locais dentro das instalações da Mobius (onde o jogo se passa boa parte do tempo, em sua perspectiva).



O bicho vem do nada, e ela fica presa à máquina que recolhe as digitais, e justamente por ficar imóvel, ela não morre e entende que os bichos são cegos.

Observação: "Mobius", que eu tanto falo, é o nome da empresa que ta por trás do desenvolvimento do STEM. Eles são os verdadeiros responsáveis por tudo,  e apesar do sistema ter sido criado por Ruvik, os donos e reais financiadores, e administradores, são o povinho da Mobius.

Zumbis Invisíveis


Existem zumbis invisíveis aqui também, mas eles reagem de outra forma à luz de Kidman. Na verdade, eles são totalmente revelados quando Kidman os ilumina de lanterna, e eles não atacam, se não virem.



É aquele momento em que a lanterna faz o oposto do que costuma fazer, e ao invés de chamar atenção, ela deixa esses inimigos mais fáceis de localizar e derrotar (ou evitar).



Não vou mentir que foi fácil passar por eles, principalmente desarmado, mas eles são mais fáceis de enfrentar como Kidman do que como Sebastian.



Alias, existe uma interpretação profunda sobre eles: Seriam as pessoas que foram esquecidas pelo mundo ao entrarem no STEM, pessoas que não tem rosto, nem são importantes, pelo menos não se sentiram importantes antes de morrer. 



Fica fácil de entender esse significado no final da outra DLC, quando Kidman passa pelo corredor do hospital do manicômio Beacon, e no chão há muitos corpos, mas todos invisíveis, visíveis somente pela luz da lanterna. 



Achei que seriam zumbis que se levantariam, mas apesar de terem zumbis nesse corredor, os corpos nem se movem...

Os Zumbis invisíveis passam a aparecer no segundo capítulo, quando Ruvik ta começando a mostrar sua visão de tudo.
Sombra




Por fim, temos essa criatura (Shade no nome original) que é, numa descrição bem direta, uma lanterna com pernas.



Ela aparece desde o começo, mas seu terror e presença é trabalhado lentamente, o que faz dessa criatura um inimigo muito, mas muito temeroso.



Ela evidentemente é uma criatura gerada com base em Kidman, não em Ruvik. Alias, eu diria mais, diria que é uma criatura criada para Kidman, pela Mobius!

Esse monstro faz muitas referências, muitas mesmo, por exemplo, a única fala que ela tem é "Leslie" e alguns gemidos. Ela também parece ter a mesma voz (porém meio endiabrada) de Kidman, e ela tem uma obsessão enorme pela garota, perseguindo-a em tudo quanto é canto. Isso deixa a entender que a criatura tem o mesmo objetivo de Kidman, e ta até competindo com ela, tentando achar Leslie antes, e atacando para eliminar a concorrência.



Mas em outra perspectiva, parece que essa criatura existe como um contraste de Kidman, uma personificação do desejo da garota em cumprir sua tarefa para a Mobius.

Ela também tem a cabeça de lanterna, que é muito, mas muito conveniente pra Kidman, afinal é graças a luz dela, que é revelado que Kidman pode abrir passagens secretas com sua lanterna. 



A luz da lanterna também serve pra enfraquecer Kidman, deixando ela lenta enquanto iluminada em vermelho, e cara, como isso é chato.



Kidman imita a Sombra, e segue o mesmo trajeto que ela. Por um tempo eu até cogitei a possibilidade dela, da monstro, ser a verdadeira Kidman e a que controlamos ser uma farsa, uma memória personificada da memória de alguém... mas descartei isso no fim.



Outra semelhança, são os saltos-altos, que são a marca registrada e mais arrepiante da monstra. 


Esses são os saltos da Kidman, repare na brutalidade das pisadas.
Ela anda muito rápido (ela não corre, mas seus passos são tão largos, mas tão largos, que ela atravessa uma sala inteira com uns 4 passos apenas), e faz o "tac-tac" muito alto. Junta isso, seus sussurros e gemidos, e sua luz que enfraquece Kidman, e nasce um monstro perfeitamente definido com a palavra "injusto".


Esses são os saltos do monstro.
Também tem o fato de no começo, quando ela aparece de longe, ela surge matando pessoas ou zumbis (geralmente são pessoas, tem um cara que chega até a pedir por socorro) então, tem corpo por todo lado no inicio, mas sem zumbis, por causa dela.




Só começam a aparecer zumbis quando a monstra vira inimiga declarada. Fica parecendo até que ela tava la pra ajudar, mas foi desvirtuada.



Boa parte do game essa coisa só aparece pra causar medo, mas tem uma parte, numa luta, no final do primeiro capítulo, em que é preciso iluminar uma sala e ligar os equipamentos, pra poder destravar um elevador com biometria.


Cara... essa mostrenga surge e fica la, procurando por Kidman, enquanto é preciso esperar e esconder por uma infinidade até todas as máquinas se inicializarem. 



É uma parte tão tensa e tão difícil, que cheguei ao ponto de apelar pra poder passar. Tentei me esconder por horas, e deu tudo errado, esse bicho mata numa mordiscada só, então eu atraí o monstro pra um canto, com uma estante nos separando, e fiquei indo de um lado pro outro, fazendo o monstro mudar de direção sem me pegar.



Até fazer isso, foi bem tenso, pois a criatura anda rápido de mais, e é bem inteligente e imprevisível. Ela da voltas, para pra observar, vasculha, e quando acha é um saco pra fugir, por causa da lentidão que ela causa.



E o ataque dela então!? É morte instantânea, através de degustação. Ela engole Kidman com uma boca vertical que se esconde em seu manto pelo corpo. A morte dessa forma me lembrou até a assimilação do Amalgama do primeiro jogo, e sinceramente, acho que até isso é uma referência a ligação de Kidman e a Sombra, afinal elas se transformam em uma só nesses momentos.



Bem, existe uma parte no jogo, em uma das batalhas mais intensas, em que Kidman precisa enfrentar zumbis de luz (criados pela mina da lanterna), zumbis explosivos e a mina da lanterna, tudo junto, enquanto fica presa por uma pedra esmagando suas pernas.



Este é um momento de total vulnerabilidade, porém ela conta com uma pistola de munição infinita, o que facilita bastante o desafio.



Posteriormente ela perde a arma, mas continua rolando jogatina e ela vai até o fim, desarmada mesmo, entretanto, pra não dizer que ela é totalmente indefesa, tem essa parte pra deixar ela com sangue nos olhos, um pouquinho.

Trauma



Enquanto no jogo original os Traumas (monstros da cruz) não apareceram muito, aqui eles compensam. Só aparece 1, mas ele ta la na hora que Kidman ta totalmente desarmada, e precisa acionar uma válvula, enquanto se esconde dele (afinal se ela não consegue matar nem zumbis, imagina o monstrão).



Mas, a fase favorece Kidman, que pode atrair ele pra um canto e passar por vários buracos na parede e cerca, para assim chegar ao outro lado sem ele notar.




O Trauma sai de uma cápsula, com vários outros lado a lado, o que da a entender que ele foi criado em laboratório. 



Neun



Como eu disse, um dos gigantes gêmeos aparece como uma ilusão no cemitério do vilarejo de Kidman, mas ele não ataca nem nada, até ela chegar perto da igreja.



Daí, do nada ele surge e é preciso se esconder e ir pro portão da Igreja, aquele mesmo por onde Sebastian e Joseph passaram na luta contra o cachorro no jogo anterior.


Não é difícil, e na verdade eu passei sem nem dar chances pro gigante me alcançar, graças a umas caixas pelo cenário.



Depois de passar pelo portão, o monstro simplesmente vai embora.



"O Administrador"

Por fim, temos ele, como vilão.




Ele ataca Kidman no final apenas, depois de aparecer várias e várias vezes, questionando a lealdade dela, falando por televisores, visões, memórias, ele sempre tava em algum lugar.




Daí no fim, ele tenta deixar sua marca em Kidman (é o que acontece se ela for pega).



No fim, Kidman diz que não vai servi-lo, e ele fica revoltado, antagonizando uma perseguição que encerra o segundo capítulo e a DLC.



Ele, como uma grande sombra, ganha vários braços com garras e fica tentando acertar Kidman com eles, enquanto corre atrás dela.



E bem, essa corrida fecha a primeira parte da história.



Há a necessidade de contar a história parte a parte? Bem... vou resumir só pra ficar fácil de entender...

História (1º e 2º Capítulo)

No começo, a mina la recebe a missão e se mata pra recuperar acesso aos equipamentos da empresa do mal.


Depois ela se mata pra encontrar o cara que pagaram pra ela encontrar, mas ela tava de saco cheio e no fim, chuta o balde.

Fim.

Yep, resumi em duas frases.

Bora pra próxima...

The Consequence




A segunda DLC traz novamente Kidman no papel principal, mas a segunda parte, formada por mais dois capítulos, já mostra uma Kidman bem mais ativa e imponente.



O problema é que, ela fica muito mais indefesa no inicio, pois logo de cara ela perde a única vantagem que tinha: A Lanterna.


Pois é, Kidman precisa se virar sem a lanterna, no começo, mas tem um equipamento substituto temporário. Além disso, conforme o jogo avança, a ação vai tomando conta, até chegar ao ponto em que a moça manda todo mundo à merd4 e sai matando geral.

Também há pedaços de cartas e caracóis da Tango, que eu deixei passar a maioria ao achar que não teria, pois é preciso ilumina-los com a Lanterna pra fazê-los terem orgasmos (yep, essa é a palavra certa), e no primeiro capítulo não há lanterna até perto do final, o que me deixou meio desanimado pois eu nem tinha me preocupado em procurar os caracóis. Por sorte, no caso das cartas, eu achei todas de primeira... o que foi bom pois a quantidade de pedaços é muito maior, e a mensagem é bem legal.

A jogabilidade não mudou muito, mas tiveram algumas adições...

Jogabilidade

Luzes Químicas


Kidman agora precisa se esgueirar muito mais, e tomar cuidado com a escuridão total. Porém, ela conta com bastões de luz química infinitos, que ela pode jogar até 3 ao mesmo tempo.



Ao se jogar mais, o primeiro jogado some e da lugar ao novo.


Isso ajuda a enxergar no escuro, mas é uma faca de dois gumes. Apesar de não ter sido problema pra mim, ela pode acertar zumbis e eles reagem como se tivessem tomado uma garrafada na cabeça, ou seja, atacam com tudo.



Como Kidman não tem quase nada de vitalidade, com apenas 2 socos ou uma explosão ela cai dura no chão, ou em pedaços, logo, é preciso ter sangue frio na hora de mirar no meio do nada e jogar o bastãozinho.



Foi por causa dele que achei que não teria mais lanterna, mas pouco tempo depois as luzes são completamente substituídas pela lanterna.



E ai voltam os segredos e os caracóis.

Empurrar



Agora, como a fase da cidade faz parte do itinerário, da pra empurrar zumbis em precipícios, se a moça chegar de fininho por trás. É uma função nova bem útil.  

Atirar com Pistola

Pois é, Kidman consegue uma arma pra matar geral, mas com munição ainda mais escassa que no jogo principal. 



Aquela de munição eterna é perdida mesmo, e mesmo a de munição limitada também se perde depois de usada por um tempo... 


Mas chega uma hora que ela pega uma terceira arma e a mantém até o fim (ela toma do Leslie).


O estilo de tiro é o mesmo do jogo principal, câmera em primeira pessoa, mira no centro, e bum. 


Mas nem preciso dizer que eles não fazem muito estrago né? 



O objetivo da dlc ainda é fazer o jogador ter medo de tudo, então essa pistola funciona apenas em algumas lutas bem específicas, e combinadas à barris inflamáveis.

Atirar com Espingarda

Teve uma vez que uma garota pegou um lança granadas, equipou num rifle e gritou "Corre fidaput4 corre!", e essa garota foi Lara Croft em Tomb Raider 2013. A sensação foi a mesma quando Kidman obtém a espingarda, e mesmo com munição mínima, sua postura muda completamente e de gatinha assustada, se torna uma senhora leoa, com dentes de pólvora.



Kidman sai atirando em tudo perto do fim, com hordas de zumbis invisíveis, de luz e explosivos, e o mais legal é que todos liberam munição ao morrer (é tipo aquele momento que o jogo vira saca). Tem vilões especiais até, como aquele clone de Ruvik, mas eu nem cheguei a enfrenta-lo pois sai matando tudo e passei direto pela fase (no caso ele é tipo um inimigo forte extra).



Ela pega a 12 de um zumbi de luz vacilão.



Dirigir


Bem que podia ter uma parte de dirigir, sendo que aquele momento do ônibus escolar do jogo principal também ocorre... mas ele acontece fora de cena, e só tem o som do acidente após a perseguição, em uma tela preta.



Meio triste mas, fazer o que (pois é, fiquei tão decepcionado que precisei citar).



E bem, é isso.

Bora pros personagens que quero terminar logo essa postagem!

Personagens

Kidman




Através de documentos em que suas conversas com a contratante da Mobius é mostrada, conta-se que Kidman era uma moça de rua, delinquente, que foi contratada e treinada pra se passar por policial, e espionar Sebastian e Joseph.



Ela cumpriu seu papel, sem entender muito bem. Seu gênio real alias não era o de uma moça fria e enigmática como faz parecer na campanha principal. Ela é uma garota meio brava, bastante perspicaz e esperta, e foi completamente manipulada através de mimos da Mobius para aceitar seu papel na delegacia.




Ela não tinha motivo para ser desleal, até que conhece o outro lado da moeda, graças a Ruvik e suas memórias, além das memórias de seus colegas.

Tatiana




O primeiro contato pessoal com alguém, seja morto ou vivo, lembrança ou fantasma, é Tatiana, a mina do ponto salvo (hospital psiquiátrico) da campanha de Sebastian, porém é a única vez que ambas se encontram.


Tatiana pouco interage, e ao que deixa a entender, Kidman só passa por la por ter entrado no rastro psicológico de Sebastian (eu acho).


Tanto que, posteriormente, ela vê um fantasma de Sebastian interagindo com Ruvik, o que é uma visão da campanha de Sebastian sob perspectiva dela. A cena em questão é a de Sebastian num elevador, logo após fugir da mina medonha, quando ela perde os braços. Ruvik aparece e declara que Sebastian é dele, mas na visão de Kidman, ambos estavam num quarto do manicômio mesmo. 

Logo, Kidman enxerga as coisas de uma forma diferente, por estar por fora.



Tatiana chega a re-ensinar pra Kidman como abrir passagens secretas com o uso da Lanterna, mas depois disso ela some.

Observação: Esses "símbolos mágicos" que revelam passagens são demarcações psicológicas infundidas pela Mobius no STEM, para abrir caminho pra Kidman no mundo mental, razão pela qual são o logo da própria Mobius. Esses símbolos só funcionam com a interação de Kidman, e sua "alter ego" (A lanternona) pois é um recurso da Mobius. Isso reforça a ideia de que a mulher lanterna e Kidman são ligadas, e também que a Mobius tem poder sobre o STEM mesmo com Ruvik zoando tudo. 

O Jornalista


Tomando carona com Tatiana, aparece o jornalista estranho que morre na campanha principal. Ele também parece tentar ajudar Kidman, mas é apenas uma vez, na passagem pelo ponto seguro de Sebastian.


A razão pra Kidman ter ido pra esse local não é revelada. Na verdade quase não faz sentido, pois o final do episódio anterior, da dlc anterior, Kidman aparece na frente de um precipício com Beacon à frente. Mas do nada ela aparece em um hospital, que se transforma no Hospital Psiquiátrico de Tatiana. 


Nada faz sentido... mas okay. Acho que fizeram isso pro caso de alguém começar a jogar pela segunda DLC, pois várias conversas parecem recapitular os episódios anteriores, só isso.

Sebastian e Joseph




Depois de ter matado Joseph, Kidman passa por bastante coisa até chegar a uma versão STEM da delegacia dela e de seus colegas. La, ela encontra fantasmas de memória de Joseph e Sebastian, que revelam coisas antes mesmo dela ter se juntado à corporação.



Ela vê o passado, aprende sobre a filha sumida de Sebastian e o quanto ele se ressentiu por isso, e também sobre sua esposa perdida.



Ela também vê como era o relacionamento de Sebastian e Joseph, e começa a se importar com eles, tanto que lamenta ter arrastado eles para o STEM, algo que o Administrador repetia como um mal colateral bem vindo, afinal eles eram um problema pra Mobius, pois estavam fuçando onde não deviam.



Alias, em um dos encontros que ela tem com Sebastian, depois de lutar contra um chefe, rola aquela cena em que ela atira nele zumbificado, mas na verdade ela atira em Ruvik, atrás dele, o que faz ele acordar. Mas, ela o tranca e vai embora.




Isso acontece depois dela ver ele lutando contra zumbis (pouco antes de Sebastian ver ela encurralada).




Kidman também chega a ser levada para dentro das memórias de Sebastian, onde vê ele fugindo no inicio da campanha principal, e até atravessa os mesmos locais que ele atravessou, em uma viagem de volta pra onde tudo começou: Beacon.


Jimenez




Novamente, fantasmas de Jimenez surgem, em discussões com o Administrador, sobre o uso do STEM e avanços das pesquisas. É revelado através dessas visões que o STEM passou a matar os usuários só depois que Ruvik foi usado como núcleo da máquina. 


Mas, o Administrador da Mobius tava pouco se lixando pra isso, e acreditava que Ruvik já era, então eles decidem levar o projeto pra frente, sem as influências de Jimenez, acreditando que ele estava boicotando o projeto em nome de seu pupilo recém desmembrado.


A Mobius tinha uma STEM dentro do prédio deles, e também uma em Beacon, que era administrada por Jimenez. Quando rolou o massacre, foi o momento que Jimenez ativou o STEM de Beacon, e ai começou a merd4 toda.


Os propósitos de Jimenez eram ir pessoalmente para fazer a transição de Leslie para a administração, mas ai ele encontrou Ruvik. Paralelo a isso, o Administrador incluiu Kidman na confusão, enviando ela atrás de Leslie, por ser descartável. Isso deixa ela com muita raiva, e é uma das coisas que fermentam sua rebeldia.


Detalhe: Jimenez tinha descoberto que o que conectava o usuário como Administrador interno eram as diretrizes programadas por Ruvik. Ele diz que apenas pessoas com a mente parecida e um trauma semelhante poderiam ter esses privilégios, e Leslie era uma dessas pessoas.



Na conversa, o Administrador deixa claro que não aceita essa diretriz e precisa de uma mais comum, para que mais pessoas controlassem a STEM, e também para que mais pessoas fossem aceitas pelo sistema. Ele tinha uma ambição a nível global...

Ruvik




Ele aparece algumas vezes, e seu objetivo é simplesmente fazer Kidman ver quem a Mobius realmente é, e claro, controlar Leslie. No final, ele ta no impasse do parquinho, e toma controle sobre Leslie.




Tanto que Leslie é seguido por Kidman e ela o vê explodindo cabeças de zumbis com a mente, sem esboçar reação, uma personalidade totalmente diferente da sua, o que evidencia que ele ta possuído.




Ela tenta salva-lo, mas Ruvik se apodera totalmente e funde a mente de Leslie ao STEM. 


É mostrado ele dissolvendo Leslie... 


Como no jogo principal.


Ruvik não era bom, nem mal, só errado. O Administrador chega a descreve-lo como um "Serial Killer disfarçado de Cientista", mas na real, todo mundo tava errado ali, menos Kidman, e os detetives, que só se lascaram.


O Quadro de Ruvik


Além dos zumbis, já presentes na DLC anterior, há algumas criaturas novas, dentre elas o Quadro de Ruvik, que é simplesmente uma moldura, com a face de Ruvik falando, e consumindo Leslie com seu sangue.


Sabe aquelas partículas de sangue do Ruvik de Sangue? Então, ele atormenta Leslie com isso, e Kidman precisa ajuda-lo a escapar.



É um dos momentos que ela o protege enquanto ele foge, tanto dela quanto das criaturas aos montes, mas curiosamente os zumbis não o atacam.



Eles apenas impedem que Kidman passe e destrua os quadros, que sempre surgem ao lado de fogo e são vulneráveis ao fogo (daí Kidman precisa chegar perto e acender uma fogueira neles).



Esses quadros seriam uma representação de Ruvik e seu desejo por Leslie, sugando o máximo dele sem nem precisar se mover, afinal estavam todos em seu domínio. STEM era sua moldura.


No fim, Leslie quase atira em Kidman por causa da influência de Ruvik, mas ele ainda consegue se segurar e atirar contra um quadro, se libertando por um tempo.




A arma, vai pro inventário de Kidman.

Sombra




Rola mais uma partida de esconde-esconde com essa desgraça, além de vários encontros desagradáveis... e uma rave.



É legal, é um easter egg muito bobo, mas tem uma parte que ela aparece em uma sala secreta (vista por um buraquinho atrás de um quadro que cai) e ela ta em mó festança com zumbis frenéticos e muitas luzes químicas, e sua lanterna eletrizante. É mó pancadão... 



Mas no fim, rola a luta final contra a criatura, que tem como ponto fraco, justamente seu ponto forte: A Lanterna.




É preciso dar tiros na cabeça dela, danificar seu vidro e meter bala em seu corpo enquanto ela se encolhe de dor. Repetindo isso algumas vezes, ela cai dura no chão, e só sobra sua cabeça em forma de Refletor, que pode ser esmagada por Kidman (se ela quiser).



É bom poder se vingar desses monstros as vezes... mas então, após a luta contra ela, Kidman corre para uma luz e sai na porta que Sebastian abre quando ela tava encurralada por zumbis, naquela parte da água da campanha principal. 



Repare que ela em momento algum pede socorro (na verdade ela escuta outra Kidman gritando "socorro"), ou segura portas, na verdade ela tava em uma situação completamente diferente, mas tinha uma cópia dela la, mantendo as aparências.



Depois dessa cena rola cutscene e tem a parte em que Sebastian vira zumbi e Kidman foge.




No final, ambos se encontram novamente, naquele impasse do parquinho, e depois dentro da sala do STEM, onde Sebastian tenta proteger Leslie. 


Mas, tudo se distorce, Ruvik aparece e toma a mente de Leslie, abrindo o combate contra Sebastian, enquanto Kidman é arrastada pra sua própria luta contra o Administrador.


"O Administrador"



No final, os planos do administrador são revelados, ele seria o responsável pelo STEM ter ficado tão hostil e é o cara que fez de Ruvik o "administrador interno", mesmo que involuntariamente. 



Cara, a cena que mostra ele arrancando o cérebro de Ruvik partiu dessa dlc (por isso apenas citei isso na analise principal, mas não coloquei imagem).



Não é mostrado ele arrancando e tal, mas ele diz seus planos na cara de Ruvik, quando ele decide não colaborar, e depois é mostrado o STEM, com o cérebro dele no centro.



Alias, outro easter egg legal é que da pra fazer um final secreto, atacando o cérebro de Ruvik na reprodução do STEM dentro do mundo mental...

Kidman chega la, quando ta em Beacon, e passa do lado de seu corpo, e dos demais, e vê Leslie correndo.




O ideal é ir atrás dele, porém, da pra atirar ou bater no cérebro no centro da sala, e fazendo isso...



Sobem pequenos créditos e uma imagem parabenizando Kidman por ter salvado geral, mas logo em seguida ela volta pra sala e manda um "Que porr4 foi essa?"



Quem disse que não se pode rir e descontrair em um jogo de terror???


Bem, voltando ao assunto, o Administrador externo tava com raivinha do Administrador interno e decidiu por Kidman la dentro pra se sacrificar por ele, e tirar Leslie de la. 



Ele também faz questão de mostrar e dizer o quanto os demais detetives eram descartáveis, até que chega um ponto que Kidman descobre que ela mesma também era descartável na opinião dele...



Daí Kidman acaba se revoltando de vez e se voltando contra ele, e contra a Mobius, decidindo eliminar Leslie de uma vez por todas, e acabar com o plano de todos os mal intencionados. Pior que ele aumenta cada vez mais a revolta dela, repetindo e jogando na cara que se não fosse pela Mobius, ela não seria nada...



Então, ele persegue ela mais um pouco como sombra, até que do nada, muda de golpes de mãos sombrias pra Patas de Aranha Gigante...




E ai já viu, surge aquele momento da Kidman correndo do monstrão da estrada (Heresia)... 




Pulando no ônibus e pisando no acelerador.


Depois de um tempo rola "A Conversa", aquela do impasse no parquinho...


Tudo é diferente. Kidman mirava em Leslie por causa da silhueta de Ruvik que aparece em cima dele, e faz ela perceber que ele é o desejo de Ruvik, por isso era algo ruim.



As frases ditas também são diferentes, pois ao invés de Sebastian, é o Administrador que aparece, provocando, dizendo que já sabem de tudo e que tão usando todo mundo...



Onde Joseph morre pela quinquagésima vez, e Kidman persegue Leslie, enquanto Sebastian fica todo tonto pelos berros de Leslie. 



A perspectiva de Kidman era outra. Na verdade ela vê o próprio Administrador na pele de Sebastian, e quem ela responde não é Sebastian, e sim o chefe da Mobius.



Quando ela percebe que é tudo uma ilusão e quando vai contornar, já é tarde e rola todo o evento descrito acima.



Depois disso, Kidman segue Leslie até Beacon, onde enfrenta o Administrador em pessoa. 



É estranho ver ele com tanto poder dentro da STEM, visto que o real administrador la era Ruvik, porém como Kidman estava drogada, ele tinha total influência sobre ela la. 




Então, depois de provocar e insultar, ele começa a atacar, em um plano totalmente moldado à sua vontade.



A batalha não é difícil... 




Kidman apela com espingarda e só é preciso faze-lo atacar, com um de seus clones, e atirar quando seus pontos fracos se expõe.


Mas a luta não se resume a isso, ele apela pra uma parte onde deixa tudo sombrio, e invoca cópias de Kidman...



O que alimenta mais a interpretação de que o composto aplicado em Kidman dava a capacidade do Administrador clona-la e influencia-la como bem entendesse é essa parte da luta final, onde surgem duas Kidmans assustadoras (elas andam tremendo mano!) que atacam com tudo.



A luta não é difícil, só é preciso sentar chumbo na fuça delas, mas é interessante ver tamanha influência.



Depois disso, o Administrador fica longe e ataca ela com rajadas mentais, mas ela se protege e vai se aproximando pouco a pouco.



Esses golpes dele acertam até mesmo as sombras dele, o que facilita ainda mais a luta. É só saber se esconder e correr na hora certa (basicamente tudo o que Kidman treinou nessa campanha rs).




Quando ela alcança ele, precisa enfrentar suas mãos marcadas com o simbolo da Mobius (lembre-se disso, é importante)... 


E após derrotar essa forma, ela o alcança e mete tiro de 12...


Daí toda a realidade volta para o mais normal possível, em um grande escritório escuro, com Kidman fraca, porém armada, e o Administrador caído no chão. 


Então ela chega perto e escuta uma última revelação: Ele tava nela.


Algo que ele tinha dito antes da luta, mas no fim ele faz questão de deixar isso muito claro.


Ele mesmo diz que seu plano B, caso Kidman fracassasse, era testar o Soro e ver se era possível ficar dentro do sistema de forma segura, e ele estava junto com Kidman o tempo inteiro.



O Administrador diz que eles sempre estiveram de olho, sempre estiveram com ela, e ao que parece, ele tava dentro do STEM e se apoderando da mente dela. 

Tanto que no fim, Kidman olha pra própria mão e ta la, uma cicatriz da Mobius que passa a ideia de que sua conexão com o ADM ainda não foi cortada.




Mas beleza, Kidman precisa atirar (se o jogador não atira, não sai da tela), e o rosto dele é mostrado, antes de ser estourado.


E é fim... 


Ela acorda, em pé, na frente do STEM, com todos adormecidos ainda.


Agentes limpam tudo, carregam os corpos pra fora e tal, e Leslie estava acordado e é recolhido (mas como ele é visto sozinho depois, por Sebastian, provavelmente fugiu).


O cérebro de Ruvik também já havia sido removido...


Daí ela vai até Sebastian, vê que ele ta acordando, agradece por ele ter feito o que ela deveria ter feito, e o acoberta pra ele não ser "limpado" como os outros.


Os agentes só removeram os corpos de quem tava vivo ainda, e Kidman faz Sebastian passar como morto.



Myra


A maior revelação de todas é a esposa de Sebastian, como funcionária da Mobius, e alias, como contratante da Mobius (sabe a mina dos documentos que contavam sobre conversas de Kidman com uma contratante? Então, era Myra!).




Ela estava la quando Kidman acordou, e o evento todo durou uns 37 minutos (o jogo que levamos horas pra passar, na campanha principal e na dlc, foram apenas 37 minutos no mundo real... doidera né?!).



Seu rosto não é mostrado, mas é ela, com toda e absoluta certeza é ela, pois o próprio nome é dito, algo que até chama a atenção de Kidman que fala "Pera ai... Myra???" num tom de voz baixo, como se tivesse deixado escapar (na real ela só fala "Myra" mas, minha imaginação vai além kkk).



Além disso, há cartazes de procura-se Myra Castellanos na delegacia do mundo Mental, e Kidman vê eles, e é a mesma Myra.



Agora, porque Myra tava trabalhando pra Mobius, e qual o motivo dela ter tomado parte na tortura mental de seu próprio marido, são dúvidas que perduram até o fim, e ficam sem resposta, até o Evil Within 2, pois a última DLC conta outra história...


Detalhe: Myra também tem a marca da Mobius na mão... será que ela tinha sofrido transmissão mental???


História (Capitulo 3 e 4)

A moça ficou com raiva, passou por pesadelos, enfrentou seus medos, e superou seu próprio chefe, além de mata-lo.


Depois ela acorda no mundo real, marcada pelo chefe, e libera o carinha adormecido que salvou a pátria, sem que os outros notassem.

Fim!

Detalhe importante: Kidman vê todos que estão conectados ao mesmo terminal da STEM, e da pra saber quem ta vivo e quem ta morto, pois há batimentos cardíacos. É no mesmo lugar do final alternativo, e eu chequei um por um.

Leslie tava vivo.



Kidman, obviamente, tava viva.



Oscar tava mortaço




Jimenez tava mortinho



Sebastian tava vivo




E Joseph, tava vivo! 


Ou seja, mesmo tendo sido morto tantas vezes dentro da STEM, seu corpo tava de boa, então sua mente também... mas o pior é que o seu desfecho não ocorre aqui...

Alias, da pra ver Joseph sendo removido da STEM pelos agentes...




E ao que parece o Administrador também tava ali de pé... Estranho isso né? Eu não sei se é mesmo o ADM, talvez não seja... Myra faz questão de dizer que Kidman precisará se reportar aos superiores depois, e se ele estivesse ali, essa mensagem seria desnecessária e estúpida. Provavelmente é um funcionário comum, como a moça com quem ele ta conversando (o cabelo também é mais alto).


Mas, enfim, bora pra próxima...

The Executioner




Ah, a última DLC, é aquela que me fez jogar além do 100%, e existe só pra dar prazer ao jogador que superou as torturas do game principal e das duas DLC's anteriores.



Sabe o esquema de se esconder? Manter distancia dos inimigos? Ter medo de tudo, morrer por tudo? Simplesmente não ser forte pra se defender? Então, tudo isso é ignorado e agora a gente bota pra fud3r geral! 



Assumimos o controle do cabeça e cofre, e nosso objetivo é matar tudo e todos, com tudo o que temos! 



O jogo muda, deixa de ser survival horror e se torna um game de carnificina em primeira pessoa, com direito a todo tipo de arma branca, negra, e até dourada!



Quer martelinho? Tem! Quer Serra? Tem! Quer Explosivos? Tem! Quer bazuca??? Também tem! E cara, quer matar zumbis com finalizações a la Mortal Kombat? Mano, escolha suas armas e manda ver, que quem manda agora é você!



Eu juro que amei isso. O jogo não traz nada de mais, apesar de sua história ser bem profunda, e trazer elementos que com certeza explicam muita coisa, além de trazer uma prévia do segundo jogo. Mas, enfrentar a maioria dos chefes do jogo principal, armado de verdade, é muito show!



O protagonista, é apenas um cara, que foi emulado no STEM após os eventos com Ruvik, e ele assume o papel de Cabeça de Cofre, a criatura mais apelona do universo Evil Within até então (ta, a mina assustadora é bem mais assustadora, mas eu diria que eles empatam).

Jogabilidade

Pegar



Da pra pegar alguns objetos como cadeiras, e inimigos quando vulneráveis, e arremessar pra longe, ou finalizar dependendo do caso.

Finish Him!

O game é em primeira pessoa, mas em finalizações o personagem é mostrado em corpo inteiro. Essas "finalizações" são formas diferentes de executar os zumbis alheios, com um simples tocar de botão.



A explicação pra ser em primeira pessoa, é o fato do protagonista usar um cofre como cabeça. Pra mim, ta justificável, bora matar tudo!

Correr


O personagem é grandão e forte, mas pode correr sem preocupação com fôlego. Inicialmente, a corrida é até meio lentinha, mas da pra melhorar com upgrades.

Abaixar



Da pra abaixar, as vezes é algo que ajuda a passar por obstáculos como explosivos (e alias, da pra conseguir armadilhas desarmando explosivos aqui também) ou apenas passando por câmaras secretas mesmo, mas na prática é algo não muito utilizado, pois quem quer se esconder quando se pode matar todo mundo?!

Visão Especial


Da pra farejar o medo dos outros e perseguir suas almas por todo o sempre... 



Na real da pra identificar onde a garota que o protagonista desse game quer encontrar já passou, e também rever o que ela fez, revelando segredos e até passagens secretas.


Com um efeito parecido com o da lanterna de Kidman, usando essa visão da pra revelar coisas invisíveis, como corpos ou caixas com moedas também.

Teletransportar

Lembra que o cofrudo tinha a manha de passar por grades e obstáculos arrancando a própria cabeça e ressurgindo em algum cofre do outro lado? Pois então... temos isso! Em primeira pessoa!!!




Ele literalmente arranca a cabeça e vai pro outro lado de obstáculos, e isso é bizarramente irado.

Vitalidade

Infelizmente, ele não se cura automaticamente, mesmo parado, mas geralmente há itens de cura nos cenários e os inimigos mortos começam a derrubar itens de cura quando a energia vital do personagem está abaixo de 50%.



Também não da pra comprar itens de cura e reservar, o que é justificável pois o personagem é tão badass que eu não me surpreenderia se ele regenerasse seu hp com o sangue das vítimas! Então, bora dar um desconto afinal, ele tem que ter alguma fraqueza.

Martelo Empalador



A arma inicial é o Martelo Empalador, que de um lado tem uma estrutura para esmagar qualquer crânio que queira, e do outro lado, há uma ponta tão afiada que perfurará quantos zumbis desejar!



Não perca tempo, adquira já seu Martelo Empalador e ganhe junto uma Câmara de Tortura com Espinhos, para pendurar ou triturar seus inimigos! 




É por tempo limitado!!!

Armadilhas de Arame Farpado



Da pra jogar armadilhas no chão sem precisar de conjuração, e qualquer um que pise nelas fica preso e atordoado por um tempo. Da pra sentar a martelada e matar a maioria dos seres, e o único ponto fraco é sua limitação. Não é algo livre pra se usar, tem que ter armadilhas no inventário.

Motosserra

Depois de derrotar um dos chefes, o cabeçudo pega sua Motosserra, que fica habilitada na loja pra compra de gasolina e tal (depois falo disso).



Ela serve pra cortar, perfurar, triturar, dividir, decapitar, fazer purê, e da até pra tirar aqueles caras escondidos embaixo de camas com apenas uma ou duas passadas de leve.



O ruim é que ela consome gasolina, que na verdade é o número de vezes que pode-se efetuar um ataque com ela.

Fogo Grego

Depois de derrotar um dos chefes, o quadradão ganha passe livre pra comprar Fogo Grego na lojinha. 



Esse item queima as pessoas, animais, moços, moças, zumbis, zumbias e até monstros gigantes comedores de Sebastians. É uma pena que seja limitado por quantidade... no começo...

Explosivo

Tem bananas de dinamite que podem ser compradas na loja e servem pra explodir todo mundo.



É um recurso infalível se o objetivo é matar, e eu sei, nessa DLC, quem ta jogando só quer matar.

Bazuca

Atirar de bazuca só é chato por ter de parar pra mirar, mas no fim das contas, é a coisa mais satisfatória de se fazer, pois o alvo dificilmente sobrevive.



Ela é obtida após derrotar um dos chefes, e pode ser comprada na loja a partir de então.

Espada

Tem uma Espadona que é liberada após terminar o jogo pela primeira vez, e ela é rápida, além de letal. É quase uma fusão do Martelo Empalador com a Serra, a diferença é que ela é bem mais forte.



Ela tem uso limitado, e sua lâmina gasta, sendo preciso comprar de novo depois de uns golpes.

Martelo de Ouro



Após terminar o jogo pela primeira vez, ganha-se também o grande Martelo de Ouro, na verdade libera-se pra comprar na loja, mas ele é extremamente precioso, pois além de carinho, ele faz o efeito dos inimigos derrubarem mais moedas quando morrem.

Moedas

Então, nesse jogo, esqueça aquela gosma verde, pois o item comercializado são moedinhas de prata e ouro que os inimigos carregam em seus bolsos e almas. Quanto mais fortes são, mais moedas derrubam, e quanto mais moedas, mais forte o pulverizador cubicular fica!



A loja fica em salas de salvamento, aquele mesmo tipo de sala demarcada com um simbolo em sangue e musiquinha, porém la, a loja é um cofre, com muita carne gosmenta, que o cabeção enfia a mão.



Tudo pode ser comprado, todo tipo de munição, upgrades pra armadura, velocidade de movimento, ataque, poder pras armas, tudo. E não é difícil pegar grana, pois além dos chefes, há fases específicas só pra matar geral e pegar moedas.



Essas fases bônus são livres para se repetir, e após terminar o jogo pela primeira vez, surge até uma fase bônus ultra especial.



Geralmente, nelas a gente enfrenta hordas de zumbis invocadas por olhos periodicamente, semelhante às lutas de chefes, porém só com zumbis.



Mas, na ultra especial, surgem zumbis e chefes, vários deles (não são todos) e é uma luta demoradíssima e muito intensa, principalmente pelo fato de no fim, os dois chefes mais poderosos surgirem juntos... mas... falarei disso depois.

Agora, bora pros personagens!

Personagens

Myra


A primeira personagem de importância que aparece é Myra, em um cenário paralisado com a câmera passeando pela nova instalação da STEM. 




Myra surge diante uma pessoa, e entre uma cena e outra, surgem os dizeres que definem o objetivo da figura dentro da câmara que a ex-detetive tanto observa:

"Sua filha ta trancada no STEM, prisioneira da conexão...

Para liberta-la terá de se conectar à STEM e eliminar os demais sujeitos de dentro...


Sua aparência no STEM não será sua, mas é um fato que poderá usar à seu favor...


A influência da STEM apagará as recordações de sua filha gradualmente, até ela se converter em mais uma criatura...


Te ajudaremos, mas terá que atuar antes que isso ocorra."


E ai começa o jogo.

O Protetor


O cara sem rosto mostrado, é o protagonista, sem nome citado. Mas, da pra saber quem ele é comparando as fotos que tem num cartaz de desaparecidos visto na segunda DLC, que não só mostra o rosto, como os nomes (Pedro Martin e sua filha, Marta Martin).




Essa mesma foto (ou uma do mesmo álbum/filme, pois tem pequenas diferenças) aparece no menu de salvamento da terceira DLC, mas o rosto de Pedro ta apagado.



Ele, como todos os outros desaparecidos da cidade de Krimson, foram pra STEM. Geral ta sendo posto na máquina pra testes, mesmo depois do "Incidente Ruvik". Pois é, essa história se passa após os eventos dos jogos anteriores, mas, o tempo ta parado.



Lembra daquele detalhe dos 37 minutos? Então, o que vemos é uma fração de segundos, e acompanhamos a história do cara, cumprindo sua tarefa no sistema, já com os corpos sendo removidos e tal, pois já terminou. Curioso né? Tipo, dentro do sistema o tempo é mais rápido, simples assim.

O STEM ainda ta sendo possibilitado e potencializado pelo Cérebro de Ruvik, mas a mente dele não ta mais la. Parte dos testes é só pra confirmar se Ruvik ainda ta ou não por la. 



Tanto que tudo se passa na mansão da família dele (pra atraí-lo, pois la é onde ele costumava aparecer mais) e com figuras criadas pela mente dele (todos la dentro estão na forma de outros seres, exceto a Filha e o Policial).


O cara ta no corpo de um Cabeça de Cofre, e ta com todos os poderes mortais que acompanham o pacote. Além disso, ele tem diretrizes e relatórios que surgem dentro do STEM, postos pelos administradores externos. Eles estão monitorando e aconselhando ele, em sua missão. 




Ele só tem que matar todos os outros usuários pra garantir que a mente de sua filha mantenha-se intacta. Paralelo a isso, todos estão andando pra todo canto, interagindo com a filha do cara inclusive, e tão perdendo suas mentes pouco a pouco.

A Filha

A filha aparece como fantasma de memória o tempo inteiro.




Além disso, ela deixa páginas de seu diário pra seu pai encontrar... 



Mesmo sem lembrar de nada ou saber a razão pra deixar essas páginas (ela faz por instinto), ela acaba guiando seu pai até ela.



Nelas, ela relata seus encontros com os outros usuários, que acabam se tornando hostis e afugentando ela.




Ela é loira, como da pra ver perto do final, mas sofre uma grande mudança ao acordar, e sim, ela desperta, ou seja, ela é salva do STEM.



Posteriormente falo da consequência.




Alias, é interessante mencionar que ela teve contato com Rubens no passado, provavelmente foi assim que ela e seu pai foram parar no STEM.

O Assassino (O Sádico)




O primeiro chefe encontrado é o Assassino. Sua sala, bem como seu relatório, mostram como ele é. A figura desenhada na parede (provavelmente foi desenhada por Marta) representa sua aparência, e o relatório conta quem ele é de verdade.



No mundo real, ele é um assassino, posto na máquina para ser estudado mentalmente.



Ele tinha carta branca pra matar todo mundo, e isso consumiu sua mente, daí se tornou um Sádico.



A luta dele é tranquila. Tem muito zumbi junto, mas no fim é só sentar a martelada que ele cai.



No final, seu corpo verdadeiro é simulado em uma sala dentro da STEM.



O Gêmeo (Zehn)




O segundo chefe é um dos gêmeos gigantes, mas na verdade ele é um cara com transtorno de múltipla personalidade. Ele fala com ele mesmo.



Sua sala tem o desenho dele e toda sua loucura, também estudada dentro do STEM, a qual se assemelha aos gigantes gêmeos e tal. 




A batalha dele é mais intensa, e é a primeira em campo aberto. 


Tem vários zumbis juntos, mas ele mesmo acaba matando geral pois seus golpes são giratórios, fortes e em área, varrendo tudo que tiver perto. 



Tem um recurso especial, uma metralhadora de estacas (na verdade tem várias) pra ajudar a derrota-lo.



No fim, o corpo verdadeiro dele também é mostrado em uma sala.



O Policial (Joseph Oda)



Yep, Joseph é um dos chefões, ou seja, ele ainda ta sendo usado no STEM.




Ele ta maluco, deformado, insano. 



Ele tenta suicídio o tempo todo, e já não consegue voltar a sua forma natural, ficando como um zumbi de bolhas apelativo. 



Ele usa uma pistola, um machado e Fogo Grego, sendo ele mesmo imune a esse elemento.




Ele ta muito forte, e esperto, fugindo e se escondendo sempre que pode... 


Atacando de pontos estratégicos, também com vários zumbis por perto ajudando-o.



Depois de derrotado, ele queima (todos queimam).




Seu corpo não aparece na sala onde deveria aparecer, que tem seu desenho e tal, apenas seu óculos ta la. 


Mas quando o Protetor usa a visão especial, seu corpo pode ser visto, ou seja, ele já esteve la.


Novamente surge a dúvida sobre o desfecho de Joseph, mas pelo jeito ele ta sofrendo pacas, mas ta vivo. Ele morre, mas ele já morreu outras vezes então, é mais provável que ele esteja bem... sofrendo mas bem. E detalhe: Seu corpo ausente pode significar que ele não morreu, mesmo depois de derrotado, e sim foi só desconectado.

O Soldado (Sádico de Bazuca)



O quarto chefe é mais um sádico, dessa vez incorporado por um soldado.




Também com a tarefa e liberdade pra matar geral, ele treina suas habilidades militares até perceber que geral é ignorante de mais e não oferece desafio algum. Daí ele pira na bazuca e começa a matar geral.



Sua luta é mais complicada, pois ele corre pra longe e atira de bazuca, vários disparos de uma vez.



E mesmo depois de acertado de perto, ele muda a arma antes de morrer, pra uma motosserra.



Mas ele é bem fraco se comparado, por exemplo, ao Joseph.



Seu corpo aparece no final, dentro de uma sala com seu respectivo desenho, morto.

O Paciente (Amalgama)



Dentre os muitos la no sistema, tinha que ter um cara piradão.



Ele perdeu sua personalidade e foi completamente subjugado pelo STEM, e aparece como um Amalgama.




É interessante lutar com ele como cabeça de cofre, pois é uma luta de chefões. O ataque mais forte dele é arremessar carros, mas o cabeça pode rebater.



Pra ser sincero, é a luta mais fácil, pois ele é fraco, apesar de grande.



O corpo real do usuário aparece em uma sala depois, também morto.



O Guardião (Ele mesmo)




Por fim, depois de enfrentar os chefes e desafios da mansão (os desafios são só zumbis), o protagonista encontra sua filha, mas ao chegar perto, ela desmaia, e ele perde energia... 




A energia que coletou de todas suas vítimas, que forma uma nova versão de si mesmo, obcecada pela filha.



Essa versão pega ela no colo e leva pro campo de batalha final.




Lá, após passar pelo desenho do cabeça de cofre, surge um Cabeça de Cofre com espada, que é rápido e forte, e praticamente imortal a primeira vista.



A filha fica desmaiada numa gaiola no centro do campo (que é aquela parte cheia de veneno onde Sebastian lutou).




A única forma de derrotar o Guardião de Espada é usando armadilhas pra prensar e esmagar sua cabeça, mas... 


Cada dano causado é espelhado no usuário. 




Então, matar o Cabeça de cofre significa se matar, e é necessário fazer isso ou ele sugaria toda a energia e memória da filha.



Então, o pai esmaga a cabeça do inimigo 2 vezes, e fica só o bagaço, com o cofre todo arrebentado.



Ai, o Cabeça de Cofre de Espada usa a mesma pra invocar várias mãos perseguidoras e se esconde na névoa.



É preciso sobreviver às mãos, tempo o bastante pra ele ser revelado, e assim, ser atacado.



O último golpe faz ele cair morto, e o pai guardião também.



Então, no fim, com o tempo parado, é mostrado a filha, acordada, pegando na mão do pai.




Ela tinha se tornado a última mente viva e ativa dentro do STEM, e por isso, se converteu na administradora (seu cabeço simboliza isso, ficando branco, como Leslie).



Depois disso, um relatório final é mostrado, revelando que Ruvik realmente saiu do STEM...



E que por alguma razão, o pai da garota ainda estava com sinais vitais normais, apesar de sua morte no STEM.



E fim.



Observação: Na sala do Cabeça de Cofre dentro da STEM, não tinha corpo algum.




Legal né? Bem, depois de salvar o jogo, surgem alguns extras, mas não é nada vinculado ao enredo, é apenas um bônus curioso...

Sebastian (Chefe Especial)


Da pra enfrentar Sebastian, normal mesmo, não zumbificado.



E cara, ele apela...



Ele usa a Balesta...



Usa a Magnum, com vários tiros consecutivos...



Mas o pior é o soco dele. Sim, o soco! Ele é muito forte...



Tão forte que conseguiu estourar a cabeça do Cabeça de cofre no murro!




Isso é muito desonesto. Se ele fosse assim na campanha principal seria legal, mas ele só é fortão assim porque ta como chefe extra.



Vencendo ele, que não é uma tarefa fácil, libera o Martelo de Ouro pra compra.



Mas, tem luta pior...

Sala Especial Final



Outra sala liberada é a da luta final, onde é preciso enfrentar dezenas de inimigos, dentre eles alguns chefes...



Primeiro vem o Sádico de Serra...



Depois o Gêmeo com sua maça destrutiva...



Depois aparece outro Sádico, de Bazuca, e mais um de Serra... e o de Bazuca também vira de Serra perto de morrer...



E tudo isso com zumbis aos montes, principalmente um gordão explosivo chato pra caramba...

E ai, quando tudo parece acabado, surgem Sebastian e Joseph, juntos, apelando.




Foi tenso derrotar, afinal a luta é ininterrupta, e você precisa manter energia e munição pra batalha final, que pra ser justa, não conta com zumbis (como se isso fizesse diferença com os tiros de Magnum de longo alcance de Sebastian).



Eu precisei bolar uma estratégia que envolvia muitas armadilhas, e muitos mísseis pra bazuca...




E ainda assim, custou pra funcionar... mas uma hora travei ambos e atirei tanto que nem tava mais acertando eles (Sebastian tinha morrido e Joseph tava escondido). Então fui atrás de Joseph que é mais fácil e fim.


Daí surge o grande prêmio: Munição pra todas as armas infinita.



Só é preciso comprar uma vez e pronto, bala, bombas, armadilhas, combustível e fio de lâmina não acabam mais.

Daí fiz a festa, matei todos que pude só na bazucada infinita, e me diverti muito.

Curiosidade:

O primeiro zumbi encontrado, é o policial de sempre, Oscar...



Chega a ser engraçado como esse cara se tornou tão recorrente, após morrer.

E tipo, é isso.

O que achou da análise???

Grande né... apesar de eu ter ficado muito tempo preso a ela, eu curti.

Obrigado por sua leitura... mesmo...


Se faltou algo, se errei ou me confundi, ou se apenas não fui claro, me fala ai, sem medo, eu corrijo. E se curtiu, eu agradeço mais ainda por sua leitura.

See yah, e agora posso jogar o 2. 

8 comentários:

  1. Boa tarde Sr! como está?
    Fiquei muito empolgado quando fique sabendo que iria analisar The Evil Within, pois foram jogos que eu curti muito, e me influenciaram demais em varias criações minhas.
    Bem, eu não joguei as dlcs, mas pela sua análise elas me parecem ser bem confusas. Sua análise ficou bem explicada, mas a DLc em sí abre questionamentos... por exemplo, não entendi o lance de haverem 2 kidmans, a que controlamos na dlc e outra que interage com Sebastiam algumas vezes.
    Sobre o administrador, a pesar da batalha tensa e a sensação de que kidman matou ele, na real ele não morreu. No 2º ele está vivinho da silva e kidman continua como fiel subordinada dele (bem, talvez não tão fiel assim) mas isso é assunto para outra análise.
    Sobre erros, encontrei alguns mais o que mais me incomodou foi em sua frase no final "...Grande né... apesar de eu ter ficado muito tempo prezo a ela..." acho que seria "preso".
    no mais, meus parabéns pela análise, ficou excelente e fico feliz que o Sr tenha curtido o jogo.
    Ah, eu morria de medo dos zumbis invisiveis ficava tentand ouví-los se aproximando, ver seus passos na água ou fechar portas e atirar quando eles abrissem elas. até descobrir que eles são afetados pelos arpões de veneno. Eles ficam visiveis e vão atrás da bolinha. Ai ficou facil!

    Abraços, e continue com este trabalho incrível.

    PS: adorei seu alerta de spoiler usando a tela de loading inicial do game.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou bem, muito mais agora que finalmente comentaram kkk.

      Eu nunca nem imaginei que jogaria Evil Within, mas olha onde fui parar. Eu nem conseguia avançar e no fim, escrevi sobre, jogo, dlcs e filme! To surpreso comigo mesmo, mas meio decepcionado... eu queria ter deixado mais claro o esquema de clonagem de Kidman. Na verdade eu não quis arriscar, mas outra teoria e explicação que eu daria é que na verdade Kidman jamais esteve no STEM.

      Pelo que é dito no fim, a frase "Será que o que ocorre no STEM é real?" me fez pensar que provavelmente Kidman nem saiu da sala da vacina. Ela teria sido interrogada e testada mediante sua lealdade. Ela falhou nos testes, o que resultou em uma lavagem cerebral. Aquela vista no STEM é apenas uma simulação de seu eu real, junto aos demais presos na STEM. Seguindo o que a DLC do Cabeça de Cofre mostrou, a STEM podia por pessoas dentro da silhueta mental de outras pessoas, e provavelmente fizeram isso com Kidman, mais de uma vez. Eu só não falei isso pois, achei ainda mais confuso no fim. Mas, como o sr disse, isso é coisa pra outra análise... e nem tem porque teorizar aqui, pois já há uma continuação... eu spo espero não ter dito bobagem.

      Ainda assim to triste por não ter sido mais claro e ter explicado melhor as dlcs. Na verdade eu me cobrei bastante e tentei por tudo que eu sabia aqui... mas não revisei no final. Eu revisei apenas a análise do jogo principal... ainda não revisei essa completamente por isso acho que ficaram algumas coisas bagunçadas... vou revisar rs... (mas já corrigi o erro do prezo).

      Por fim, a história de Evil Within me assustou, pois eu duvidei da minha capacidade de interpretação, já que fiquei perdido na narrativa. Mas depois que analisei eu entendi... e publiquei então, ta registrado rs.

      Eu agradeço por ter lido... e o sr sabe o quanto comentários são importantes pra mim... eu to feliz (eu mudo de emocional fácil né kkkk).

      Vou ler também, pra corrigir as falhas (a frase sobre erros me deixou em pânico) porém, terei de fazer isso em outro momento. Agora to focando em Bayonetta... outro jogo que é de difícil interpretação e compreensão (a parte do paradoxo temporal me deixou entusiasmado pra explicar) e que eu jamais acreditei que jogaria.

      Enfim, vlw... e eu curti fazer essa tela kkk. Vou tentar trazer isso de volta e deixar mais constante.

      See yah!

      Excluir
    2. Nem grila Sr. esse jogo parece ter sido feito propositalmente para confundir o jogador e deixá-lo pensando por horas em algo que talvez nem tenha explicação.
      como o sr havia dito antes, muita coisa no game são alucinações dos personagens que as vezes viajam legal e não faz sentido algum. Mas realmente senti falta de uma teoria sua sobre esses pontos, principalmente o das duas kidmans. Mas eu entendi seu ponto.
      O segundo jogo é bem diferente. a historia é bem contada e sem essas loucuras que só confundem. muitos personagens estão diferentes mas é justificavel. principalmente o sebastian (estou aqui tentando te deixar curioso para o sr jogar o 2 logo)
      Sobre os erros, relaxa que foram poucos, uns 3 ou 4.

      Eu vou me esforçar para voltar a ser um leitor que comenta ativamente xD

      Abraços!

      Excluir
    3. Hm, garanto que em próximas analises irei mais fundo! Infelizmente eu não queria alongar o texto de mais pra não deixar repetitivo ou enjoativo, mas pensei em bastante coisa... só não publiquei pra não poluir rs.

      Eu já to na hype pra jogar o 2. Na verdade nem sei o que deu em mim pra fechar Bayonetta antes (alias, sim, já terminei o jogo, to preparando as imagens e amanhã começo o texto. Se eu não publicar na sexta, no fim de semana, provavelmente no domingo a tarde, já tem texto novo no blog!)... e depois de Bayonetta terei de fazer dele, Resident Evil 7 - Not a Hero... ou Kingdom Hearts 2... vai ser o que me chamar mais a atenção. Evil Within 2 só ano que vem.

      Mas, vai ter rs.

      E poxa, 4 erros é bastante... vou peneirar (hah, parece aquela imagem do cara mandando msg no whatsapp com o trabalho escolar pro grupo e mencionando que tem um erro na parte de cada um, e que eles precisarão encontrar e mencionar antes da apresentação).

      Bem, abraços sr Chaos! E sr, você já é um leitor ativo, pacas alias. Nem se preocupa. E valeu o suporte... e não esqueça "daquilo".

      Excluir
    4. Parece que ainda vou ter que esperar para análise de the evil within 2 ( sem contar, Chronno Trigger e Chronno Cross que eu comecei a comentar aqui só para te atentar a fazer essas análises haha) mas eu entendo, o Sr está cheio de trabalho para fazer e sei bem como é essa vida. Além de ser ótimo manter a variedade de jogos do blog.
      Estarei no aguardo.

      Essa imagem dos erros no trabalho escolar é genial, queria ter tido essa ideia nos meus tempos de colégio xD

      Obrigado Sr, é impossível esquecer "aquilo." semana que vem é certeza de estar em suas mãos. Agora que está tão próximo, digamos que estou com meu perfeccionismo gritando que tem mil coisas que dá pra melhorar.

      Agora, vamos descobrir sobre Bayonetta então xD

      Excluir
    5. Chronno Trigger... em 2018 sai.

      Eu era do tipo que se aproveitava dos outros na escola. Eu dava desenhos pra nota de artes e pedia participação em trabalhos, sem precisar fazer nada. Eu odiava fazer redações, seminários, resumos ou trabalhos em geral. Sempre dizia "Professor ta mandando trabalho pois tem preguiça de ensinar"... ironicamente passei a ter gosto pela coisa após a escola kkk. Eu ia me dar muito mal se fizessem esse esquema da imagem comigo.

      Heh, eu to ansioso pra ver como ta ficando, de verdade, a mão chega a tremer de vontade de experimentar "aquilo" (conjunto de frases suspeitas kkkk).

      Bayonetta... a bruxa capilar.

      Excluir
  2. Sr, "Aquilo" já está lançado.
    Deixei os links na página do projeto e algumas explicações.
    Assim que o Sr puder, por favor faça contato comigo pois tenho algumas coisas a conversar sobre.

    Espero que o Sr curta rs.

    Abraços! e Bayonetta ta atrasado em!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bayonetta ta muito atrasada, mas pretendo postar tudo antes do final do mês. To tentando me organizar mas tive uma série de contratempos. Eu tinha me planejado pra postar a analise de Bayonetta no domingo, mas acabei tendo um encontro no sábado e furei os planos com meus irmãos. Daí mudei tudo em cima da hora e tive de deixar o blog de lado. Eu tinha um acordo sério com meus manos sobre Star Wars. Mas tipo, eu to me organizando, na verdade já sei o que fazer, quando e como fazer... então te garanto que de 2017, Bayonetta, Life is Strange, Star Wars e os onze filmes não passam.

      Sobre "aquilo"... AEW!!!

      Vou curtir e tipo, te respondo pelo whatzapp e pela página do projeto.

      See yah sr Gabriel! E aew!!!!!!

      Excluir

Seguidores do Google+