PesquisaMorte:

ArquivoMorte

CadastroMorte

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

domingo, 14 de maio de 2017

AnáliseMorte: Remember Me - Dessa Vez Não Esqueci.

Bora começar mais um texto legal, e dessa vez é uma promessa antiga hein. 



Faz tempo que queria falar de Remember Me, mas por pura ironia, eu esqueci dele, duas vezes... o jogo gira em torno de memórias manipuladas e o plot twist é, tecnicamente, um caso de total esquecimento, e o próprio nome do jogo é "Remember Me" que traduzido fica "Lembre-se de Mim" o que basicamente ironiza toda a minha situação.

Mas não se engane, o jogo não é ruim! Eu esqueci, porque sou idiota... e o jogo não só é bom pra caramba como tem uma história cheia de mistérios. Logo, prepare-se pra uma leitura no mínimo interessante... e lembre-se:

Spoiler! 

Boa leitura!

Esse é um jogo conceitualmente episódico, onde apesar de ser dividido em respectivos títulos, não chega a ser dividido como outros jogos assim. Na verdade ele é dividido em partes só pra fins organizacionais, sem um intervalo longo entre um episódio e outro, nem grandes mudanças. Diferente de Life is Strange, outro título pertencente a desenvolvedora Dontnod, o jogo é episódico de uma forma muito mais simples, sem influencias ou escolhas.



Remember Me é um jogo bem curto e fácil, onde mesmo no nível de dificuldade mais alto, ele é muito pouco desafiador, sendo possível inclusive alternar a dificuldade sem prejudicar ou alterar absolutamente nada da história, e de certa forma até da jogabilidade, pois o número de inimigos permanece o mesmo, e o tipo também. 



Há momentos de Puzzle, e momentos em que é preciso manipular memórias, mas são poucos, e a dificuldade não muda independente do nível escolhido pelo jogador (parece que a dificuldade só aumenta o dano que os inimigos causam e diminui o dano que recebem), e isso também vale pras memórias manipuladas, que não recebem qualquer alteração.



Ainda assim, é um jogo divertido, com um sistema de batalha baseado em combos bem interessante, mas pouco variado (são apenas 4 possibilidades de combos) onde da pra personalizar os ataques com 4 tipos de modificadores, pra 2 tipos de ataques diferentes, que explicarei melhor daqui a pouco.



A história dele se passa em Paris, num futuro tecnologicamente bem avançado e nem tão distante (2084), onde todos vivem em uma utopia em que a Realidade Aumentada é plenamente utilizada, por todos, além de haverem máquinas trabalhando pra todo canto, como ciborgues afeminados e robozinhos de transporte.



Todas as pessoas, independente da classe social, passaram a utilizar um implante cerebral localizado na nuca, chamado Sensen, que permite que todos visualizem naturalmente, através de realidade aumentada, coisas como anúncios, placas com propagandas, alertas, sinalizadores de distância (tipo gps) e até programas de televisão.



É como ter um telefone celular integrado no cérebro, e inclusive da pra se comunicar com pessoas via esse dispositivo, mandando e recebendo chamadas de voz com direito a foto da pessoa e tudo mais. O jogador visualiza isso tudo em primeira pessoa, mas o jogo rola em terceira pessoa. Nós podemos ver como a personagem vê, mas nós a controlamos por trás, Importante entender isso, pois muito da história só faz sentido quando isso fica claro (quando da game over por exemplo, enxergamos o erro na tela).



Nada que é visto está realmente lá. Tudo faz parte do visor implantado na mente da galera, então se tem um mapa se formando na frente do personagem, aquele mapa é visto apenas por quem tem o dispositivo implantado no cérebro (que nessa realidade, parece ser todo mundo). Mas na verdade, aquilo é apenas um visor virtual disponível em Realidade Aumentada, e nós como jogadores podemos ver isso, mesmo estando em terceira pessoa, pois tecnicamente nós estamos no controle de alguém com o tal visor. Detalhe esse que, como eu disse, fará uma grande diferença.



Por fim, não fica claro se o mundo inteiro adotou esse aparelho, mas pelo menos todos que vivem em Paris (na verdade, Neo-Paris) o utilizam, inclusive os "moradores de rua". Alias, também não fica claro se a França inteira usa o tal aparelho, pelo que entendi ele é de uma fundação privada que acabou conquistando o povão, mas todos que encontramos usam, o que parece ser até algo padrão da sociedade, tipo um RG.



Só que, o jogo mostra vários problemas gerados por conta de um programa desenvolvido junto a esse dispositivo, um programa que inicialmente é apresentado como uma benção, mas você aprende a odiá-lo de várias formas, por vários motivos. O que não falta é problema...



O programa basicamente oferece a capacidade de manipular livremente memórias, simples assim. É possível transferir ou receber memórias, lembranças e recordações. Com isso vem a opção de vender, compartilhar, comprar, doar ou simplesmente apagar memórias.




E é ai que a Memorize (empresa criadora do Sensen) começa a faturar.

Originalmente, o foco do Sensen era o programa de memoria, mas encontraram nele o esquema da Realidade Aumentada e bolaram várias formas de usa-lo, politicamente, socialmente e até criminalmente.



E os problemas quais seriam? Bem, tem gente que perdeu tantas memórias, ao ponto de corromper a própria mente e simplesmente surtar, o que caracterizou uma doença incurável. Como o Sense influencia não só na mente, mas em vários outros sentidos (se não me engano, ele afeta todos os sentidos) algumas pessoas com essa doença passam por uma mutação física, se convertendo em seres humanoides corrompidos e distorcidos, que inclusive podem chegar ao ponto de serem apagados da existência! Sim, eles deixam de existir perante as demais pessoas, pois o Sense os apaga pra elas...

Pra piorar ainda mais a situação, o criador do Sense também criou uma luva especial que permite ao usuário manipular memórias, com direito a fazer alterações de fatos na mente da pessoa, copiar, recolher e até apagar permanentemente.



Por causa dessa coisa, outros problemas ainda piores surgiram, tipo pessoas se matando por traumas falsos, pessoas se esquecendo da existência umas das outras, pessoas morrendo subitamente por terem morrido mentalmente, pessoas mudando completamente suas personalidades por terem suas memórias reviradas e por ai vai. É tanta coisa que faz qualquer um se perguntar "Mas como raios algo tão perigoso e problemático foi permitido?".



Com o poder de manipular memórias, ganha-se o poder de manipular mentes, então fica fácil esconder o que é ruim e mostrar só o que é bom. Seria essa a invenção perfeita pro governo...

E onde a protagonista (é uma moça) entra nisso tudo? Bem, ela é uma Caçadora de Memorias (Memory Hunter) que foi detida por crimes contra memórias alheias e, é auxiliada na fuga da prisão pra voltar a uma missão rebelde pra derrubar a Memorize de vez.



Dentro dessa premissa temos o desenvolvimento e envolvimento do enredo e personagem... e cara como eles são envolvidos. Falarei disso daqui a pouco, quando descrever os personagens, mas agora bora falar da Jogabilidade.

JOGABILIDADE

O sistema de batalha é aparentemente complexo no inicio mas na verdade é bem simples, pois você usa apenas dois botões pra atacar (ela não usa armas, vai na mão e pé mesmo), e um pra esquivar, enquanto alterna entre os ataques gerando combos que são pré definidos. Você precisa apenas escolher quais os efeitos "especiais" dos seus ataques nos combos. Explicando melhor:


Tem o ataque com as mãos (botão X da socos) e o ataque com os pés (botão Y da chutes) que apesar de mudarem em animação, são os mesmos ataques (todo chute causa o mesmo dano, todo soco também) e a única coisa que muda entre eles é a ordem que surgem nos combos, onde X inicia duas possibilidades de combos (X depois Y ou X depois X) e Y também, no mesmo esquema (Y seguido de Y ou Y seguido de X). 


As sequências são fixas, mas os combos só são liberados conforme o personagem evolui na história (tem um esquema de experiência, mas é bem básico, onde você recebe pontos que quando chegam a um certo número liberam 1 ponto pra distribuir na grade de combos).


O jogador porém precisa definir quais socos e chutes serão usados em seu combo, onde cada grade possui um número máximo de X e Y (que no inicio são bloqueados mas vão liberando conforme o personagem se desenvolve). E ai entram os 4 tipos de efeitos dos ataques (modificadores):


Dano - Representado pela cor Vermelha, que aumenta o dano do ataque de forma fixa.


Regeneração - Representado pela cor Laranja, que regenera uma quantidade Fixa de Energia Vital conforme o ataque é realizado.


Recuperação Mágica - Representado pela cor Rosa, que regenera energia Mágica/Estamina, gasta em Ataques Especiais. Ela também diminui o tempo de recuperação entre um ataque especial e outro, em valores fixos.


Multiplicador - Representado pela cor Azul, que multiplica e aplica o efeito do ataque anterior, aumentando bastante seu efeito.


A sequência dos efeitos não afeta uns aos outros, exceto o multiplicador, que aumenta muito o efeito anterior, mas apenas o anterior (se tiver Regeneração, Dano e Multiplicador, ele considera apenas o valor do Dano e o repete aumentado). Mas da pra fazer sequencias de multiplicadores onde um dobra o efeito do outro, causando resultados devastadores.

Porém, esses efeitos também só são liberados conforme o personagem se desenvolve, e só podem ser usados e aproveitados ao máximo próximo ao fim do jogo.

É possível "Sobrecarregar" os inimigos depois de acertar vários golpes e atordoa-los, o que é útil pra fazer uma boa experiência (isso da mais pontos).


No caso da esquiva, é só apertar o botão de pulo em qualquer direção, independente do inimigo atacar ou não (porém fica mais daora esquivando na hora que o inimigo ataca, fica estiloso), sendo possível escapar de ataques e continuar combando, se esquivado no tempo certo.


Além disso a protagonista pode Andar ou Correr, alternando com base na pressão do analógico...



Ou na situação, onde as vezes ela anda devagar propositalmente por conta do dialogo...



E as vezes corre intensamente pra fugir de algo...


Ela pode pular, e praticar uns pacour manjados, só que apenas em locais específicos e previamente sinalizados pelo Sensen, escalando, pulando e se jogando de um lado pro outro.


Além disso, tem o Spammer, uma arma de energia em Realidade Aumentada que atira nas coisa tudo, arma essa "roubada" numa parte do jogo.


Basicamente, ela atinge apenas coisas que podem ser influenciadas remotamente, como robôs, portas eletrônicas ou máquinas de transporte, e pode causar dano, explodir ou simplesmente mover, sobrecarregando o sistema com dados.


O Spammer deixa a câmera em posição de mira (saca, câmera no ombro e visão mais focada no alvo) quando é usado, mas só pode ser usado em situações específicas, então não da pra sair mirando em tudo que existe. Ele também serve pra hackear portas, onde ele absorve os dados de uma porta aberta e transfere pra uma trancada, ignorando senhas ou passes, e abrindo.


Acredite, a ausência de "mira livre" faz uma diferença legal. Pra quem ta acostumado com a jogabilidade de Hack&Slash ou Zeldinhas, sabe que sem a mira fica bem difícil lutar. Da pra usar o Spammer pra apontar prum alvo monstro, mas ao alternar pra combos, perde-se a mira.

Há também momentos de Action Time, onde é preciso apertar os botões certos pra finalizar certos inimigos. Eu não tava acostumado aos botões do Xbox, mas o que ajuda muito é a posição em que eles aparecem na tela, que são as mesmas do controle físico. Isso facilita muito.


Bem, tudo isso só é liberado na hora certa, e apesar dos poderes relacionados ao Spammer serem explicados tanto em sua conquista quanto em seu efeito, existem outros poderes que simplesmente "despertam" na protagonista, sem explicação do porquê ou como, mas apenas o que podem fazer (na real ela diz que se "lembra das coisas", mas é muito randômico e conveniente, pois ela só lembra nos momentos certos).


Eis eles, na ordem que surgem:

TPM


A moça sai do controle e soca tudo que se move sem precisar combar. Na verdade o combo é livre (mas não surte efeitos especiais) e ela da um dano ligeiramente maior, e bem mais rápido. Depois de usado ele gasta uma barra de estamina e demora um tempinho pra reabilitar.


Escândalo


A musa afeta o sensen de geral e faz todos atordoarem. Tirando os caras que são imunes a isso, geral fica louquinho e sujeito a receber pancadas e pontapés sem nem acordar.


Bombinha


A mina coloca uma bomba nos inimigos, que explode, causa dano e empurra geral pra longe, inclusive ela caso não saia da área de efeito.


Robôs Suicidas


A hacker consegue dominar um robô inimigo e fazê-lo atacar os outros inimigos, e depois se explodir neles. Cada máquina tem uma reação diferente, as voadoras atiram, as terrestres puxam todo mundo e detonam, e por ai vai.


Invisibilidade


Ela se camufla usando o poder do Sensen, tornando sua existência oculta aos olhos de todos que estejam próximos (quem usa o sensen não consegue vê-la por 30 segundos). Com isso, ela consegue se aproximar de quem desejar e sobrecarregar seu sensen, o que também encerra a invisibilidade.


E esses são os poderes todos. (E se viu o que eu fiz? Rs...)

Tem também um poder que na verdade rende um momento bem único do jogo, chamado "Remixagem". Nele, a personagem entra na cabeça das pessoas e muda suas memórias e a ordem dos acontecimentos, resultando numa personalidade diferente pra pessoa. Ela tem que fazer isso algumas poucas vezes no jogo, daqui a pouco eu falo quais...

Então, a caçadora de memórias usa todo esse poderio para espalhar o terror e acabar com a Memorize. Falarei melhor disso quando for descrever o enredo, mas bora falar dos Personagens?

PERSONAGENS

Como de costume, falarei dos personagens e inimigos do jogo, que não são muitos...

Nilin


A protagonista, possui uma luva especial que manipula mentes e é faixa preta em alguma arte marcial que envolve pular, esmurrar, chutar, dar cambalhota e acabar com qualquer coisa na base do tapa. Além disso ela ama escalar e praticar pacour (mas nada comparado a Link depois que aprendeu a pular).


Ela é morena, tem uma pequena cicatriz na boca, mechas brancas no cabelo, e é uma caçadora de memórias renomada e temida por todos. Ela faz parte de um grupo de "rebeldes" chamado "Erroristas" (se ligou nisso? Terroristas com Erro, terroristas que causam erros!) que são totalmente contra a Memorize, mas fazem questão de usar e abusar do Sensen.



Porém ela não lembra de nada disso, pois foi capturada e presa, e na cadeia os caras removem as memórias dos presidiários até cumprirem suas penas e terem elas de volta, ou até morrerem mesmo.


Nilin é forte pacas e resiste a limpeza mental, precisando de mais de uma sessão, e justamente quando ta indo pra ela, um misterioso cara fala com ela pelo Sensen (celulares... prisão... hah...) e ajuda ela a escapar.



Daí por diante Nilin faz o possível pra lembrar quem é, e, confiando completamente no estranho, bota em prática o plano dos planos: Derrubar a Memorize.



E esse plano tem vários passos, envolvendo uma fuga num caixão para a Favela 404 (hah... 404!), muita luta, inclusive uma contra um ex-Caçador de Memórias que virou lutador profissional e é humilhado publicamente pra pequena mocinha ninja, rola inundação da área nobre (erroristas não perdoam), invasão em laboratórios secretos, retorno à prisão e soltura de tudo quanto é criminoso e por fim, rola a detonação do Banco de Memórias da Memorize, com apoio dos próprios criadores! 



Tudo isso graças a Nilin... e seu guia misterioso.

Edge


O misterioso cara do comunicador Sensen se chama Edge, e demonstra saber muito, e ter acesso a tudo quanto é coisa. Ele é tipo um hacker dos hackers, que invade qualquer sistema, desde que tenha alguém pra leva-lo até la. 


É, na verdade ele é "virtual". Ele é secretamente o H30, também conhecido como Banco de Dados Central da Memorize. Ou seja: Ele é uma Inteligência Artificial que ganhou vida a partir de tudo quanto é memória compilada pelo Sensen. E seu objetivo na vida, é morrer.


Sim, ele percebeu o quanto a Memorize causava mal pro mundo e queria se desligar, e pra isso ele conduz toda a trama pra que Nilin chegasse até ele e o matasse.


Falarei melhor de Edge depois...

Tommy


Existem alguns personagens a mais na história, mas não possuem grande envolvimento ou destaque, tipo o Tommy, que é dono de um Bar na Favela 404 e secretamente é um Recrutador de Erroristas. Nilin vai ao encontro dele pra recuperar seu uniforme e luva, e em outra parte da história ela recebe um conselho do que fazer.


O cara não tem grande impacto ou propósito alem disso. Mas até que é um personagem legal, expulsa um dos clientes pra proteger Nilin, quase como um tiozão super-protetor.


O Bar dele é destruído por Nilin num fight nervoso perto do fim do jogo, e esse cara da um upgrade pro Spammer, e depois ele meio que some. A história nem é tão longa assim também pra explorar todos os personagens então... desconto requisitado.

Olga


A primeira "Remixagem" é feita na cabeça de Olga, que aparece no bar de Tommy bem na hora que Nilin se equipa com a luva. Inicialmente, Olga tinha como objetivo capturar Nilin e pegar os 300 mil de créditos da recompensa, pra assim pagar um tratamento pro seu marido, e salva-lo da doença incurável dos sensen corrompidos.


Mas, quando Nilin invade e altera sua memória, ela altera justamente a memória que fez Olga desejar a recompensa, onde o médico que tava tratando seu marido, ao invés de estabiliza-lo com ajuda de memórias compartilhadas de Olga em uma transfusão, acaba causando a morte do cara. 


Apesar dele não morrer na vida real, o que Olga lembra é que por causa do tratamento, ele foi tecnicamente assassinado, e isso muda sua ideia base de caçar Nilin para se juntar à Nilin e ajudar a derrubar a Memorize.


Depois disso, Olga vira taxista espacial, dando caronas em sua nave pra 2 lugares diferentes... dentro da linearidade da trama. Ou seja, a grande ex-Caçadora de Recompensas e recente Caçadora de Memórias foi recrutada, elogiada por Tommy (ele menciona via Sensen que devia ter recrutado Olga antes já que ela tem uma nave!) e ajudou no transporte... só. Mas da pra dar outro desconto pois sua aparição serve pra mostrar o tamanho do impacto das memórias alteradas numa pessoa, e o quanto pequenas mudanças podem trocar completamente os objetivos do indivíduo.

 Dr Quaid


Sabe o médico que tratou o namorado de Olga? Ele é o Quaid, que coincidentemente é o médico chefe da Memorize e divisão prisional da Memorize. 


Provavelmente, o namorado de Olga morreria de qualquer forma pois o tratamento claramente só adiaria a morte ou corrupção do pobre doente, então o que Nilin faz não afeta muito a realidade. Quaid é um mal médico, muito bom em suas técnicas porém péssimo no quesito "ética". 


Em sua genialidade, o cara descobriu como utilizar os Mutantes por Sensen como seus escravos e converte-los em cães para os soldados de elite. O mesmo valia pros criminosos, onde ele limpava suas mentes e depois enfiava memórias voltadas pra controle total dele.



Ele é morto no fim, graças a outros dois personagens... um deles diretamente ligado a missão de Edge e Nilin, o outro numa história paralela que é contada subliminarmente. 

Bad Request


Bad Request é um dos erroristas, que ajuda Nilin a chegar até uma arquiteta, pra assim roubar a memória dos projetos e mandar pra Edge causar um verdadeiro caos (a inundação).


Faz parte dos planos de Edge, hackear uma represa e causar uma inundação, para liberar os demais erroristas ao mesmo tempo que usa o caos pra entrar na base da Memorize (fazer Nilin entrar alias) e assim, chegar ao peixe grande. Enfim, Bad Request é tecnicamente o único errorista militante além de Nilin (Olga e Tommy não contam afinal ela é recém recrutada e ele é um recrutador).


Ele é fan de Nilin, diz até que ter sua mente fuçada é como ter um autógrafo, e daí Nilin usa suas lembranças pra chegar até a arquiteta. Pois bem, ele não aparece só nessa ocasião...


Posteriormente ele é capturado e preso, tem sua mente quase que completamente apagada e ta passando pelo processo de domação do Dr. Quaid, e Nilin até tenta salva-lo, mas ele que salva ela, mas vou falar disso daqui a pouco.


Outra coisa interessante pra mencionar é um momento, no resgate, em que Nilin faz um comentário sobre Bad Request ser seu "irmão secreto". Ela diz isso de forma irônica pois nesse meio tempo já começam a aparecer as várias revelações e Nilin começa a perceber que a trama é bem mais profunda do que aparenta. 


Curiosamente, quando ela chega nele, ele chama ela (com sua mente toda zoada já) de sua "irmã perdida", o que soa muito estranho e é de certa forma ignorado por Nilin.


É claro que ele não era seu irmão de fato, e os erroristas parecem ter o hábito de chamar uns aos outros de irmãos e irmãs... mas lembre-se disso mais pra frente pois explicará muita coisa...

Kid X-Mas


Um errorista que deixou a causa é o Kid X-Mas. Ele meio que se popularizou como lutador e tem até um programa de televisão sensen.


Ele é um idiota, e a única coisa importante que vem dele é o Spammer, arma que ele criou e usou contra Nilin em uma luta ao vivo.



Depois disso, Nilin sobrecarrega sua memória e é fim do X-Mas.

Madame



Essa é a diretora do presídio, que também é uma "remixadora", na verdade ela é a que mais usa e abusa dessa habilidade.


Ela aprendeu e dominou a arte de manipular mentes, chegando ao ponto criar formas de reescrever a própria realidade, pra aqueles afetados pelo sensen.


Um exemplo disso são os soldados lembranças, que na verdade não existem, mas surgem nas memórias de Nilin e a atacam, causando dano físico inclusive. 


Nilin tenta hackea-la, mas acaba sendo hackeada, pois ela pega informações propositalmente modificadas da mente da Madame.


Mas, no fim de tudo, a mulher que diz "O único que tem o direito de mudar mentes sou eu!" acaba perdendo todas suas memórias pra Nilin, que também libera as memórias de tudo quanto é prisioneiro.

Dr Green.


Dr Greenteeth, ou simplesmente Green como todos o chamam, é um médico no mesmo nível do Quaid, porém, ele acabou se tornando uma vítima das suas próprias pesquisas e foi parar isolado na parte mais obscura da Favela 404. 


Nilin encontra ele pra pegar informações de acesso ao presídio, mas partindo desse momento ele começa a seguir ela e acompanha-la, invisível, até chegar ao laboratório e ajudar a impedir o Dr. Quaid.


Só que ele não faz nada disso como aliado, e sim apenas como alguém com objetivos em comum. Da mesma forma que ele ajuda Nilin, ela ajuda ele.


Tem até uma parte no laboratório que uma porta só pode ser aberta se tiver o passe de acesso, e apenas médicos tem esse passe, daí Nilin tenta passar e é escaneada 2 vezes, com erro no final, mas ai na terceira vez a porta abre e a máquina diz "Bem vindo Dr. Green". 


Nessa hora já da pra perceber que Nilin não ta sozinha, mas ela não pode vê-lo pois ele é um dos "excluídos" do Sensen. Semelhante ao poder de Invisibilidade de Nilin, alguns afetados pela doença Sense se tornam esquecidos, o que os permite andar por ai invisíveis perante as demais pessoas. Na maioria dos casos, eles se tornam visíveis na luz, mas a "espécie" de Dr. Green tem o esquecimento mais avançado e só se tornam visíveis caso desejem ou caso sejam atacados. Detalhe que Green não é o único assim, e apesar dele surgir como um dos chefões, tem outros tão fortes quanto que também dão as caras.



Ele morre, graças ao Bad Request, que se sacrifica pra salvar Nilin. O cara tava vazio em memórias, mas ainda lembrava de sua ídolo, dai ele pula no Dr. Green na hora que ele ta quase matando Nilin, e inverte a situação, ao custo da sua própria vida pois é jogado longe e não resiste.



É interessante a forma como Dr. Green se justifica ao matar o Dr. Quaid, dizendo que os mutantes eram deformados porém livres, e o Dr. Quaid queria tirar essa liberdade através do seu projeto de Reabilitação aos Mutantes, transformando-os em cães de estimação.

Scylla


Scylla é a diretora chefe da Memorize, quem manda em tudo e é um dos alvos principais de Edge. Ele precisava que ela simplesmente decidisse parar de apoiar a empresa e seus ideais, muitos dos quais partiam dela mesma.


Sua personalidade inicial é de uma mulher rude, mandona, impaciente e egocêntrica. Um bom exemplo disso é o fato dela forçar todos seus funcionários a trabalharem normalmente, depois de toda a cidade ter sido inundada, dizendo que a prioridade naquele momento não eram suas famílias mas sim, o trabalho. 


Em seu escritório, ela tem um carro sucateado, que serve de lembrança do grande acidente que tirou sua perna, parte da sua mão, e fez dela a víbora que se tornou. Além disso, ela guarda muito rancor de sua filha e seu marido, tudo por causa desse acidente.


E eis o momento em que Nilin é crucial, pois o plano de Edge consistia nela entrar na mente de Scylla e mudar os detalhes do acidente, fazendo com que a culpa ficasse inteiramente sobre as costas dela mesma.


E pra variar, Nilin descobre que ela é a filha de Scylla, responsável pelo acidente e consequentemente, por toda a personalidade ruim de sua mãe. Daí ela muda todas as circunstancias do acidente e faz Scylla mudar sua opinião e se culpar por tudo, o que a faz mudar drasticamente para uma pessoa mais humilde e contra os ideais da Memorize.



Ela ajuda sua filha a fugir depois, mas reaparece no final, junto com seu marido...

Charles

Por fim, temos Charles, o pai de Nilin, criador da Memorize, e grande cientista que vive recluso no centro onde o Banco de Dados fica (3HO).


Ele vive remoendo memórias antigas de Scylla, Nilin e dele mesmo, procurando o que ele chama de "Falha". Obcecado por isso, o cara praticamente abandonou a esposa e a filha pra reaver o passado. Ele caça algo que ele sente que ta faltando, mas não sabe o que é.


Quando Nilin o alcança, ela remixa suas memórias e descobre que no passado, ele remixou as memórias dela sobre o tal acidente, para conforta-la e tirar a culpa, e também a ideia de que sua mãe a odiava. Ele usou a luva pela primeira vez nela, sua própria filha servindo como cobaia, e deu certo. Ele simplesmente apagou o acidente de sua memória, fazendo Scylla parar o carro na hora certa e tirando qualquer sentimento de culpa da mente da filha.


Nilin precisa justamente mudar essa memória, fazendo ele acreditar que por causa dessa remixagem em sua filha, ele causou a morte dela. Ela entra na mente dele, e na mente dela dentro da mente dele, e muda o acidente completamente, colocando ela como vítima fatal.


Daí, quando Charles volta para a memória anterior, ele vê sua filha morta por causa da remixagem errada, e ai se desespera. Quando ele acorda, sente ódio de seu trabalho, e lamenta a morte de sua filha, mas Nilin aparece e ai ele percebe o que ela fez, a remixagem, e concorda ainda assim com tudo, aceitando que a Memorize é muito perigosa.


Daí Scylla aparece, e ambos abrem o acesso para o Banco Central de Memórias, permitindo que Nilin destruísse tudo e devolvesse todas as memórias pra todos no mundo.

H30



Por fim, temos Edge como o vilão, que comemora o sucesso de seu plano e se prepara pro seu fim. Ele luta pra sobreviver afinal sua AI o forçava a se proteger, mas por outro lado ele fica cada vez mais feliz por estar prestes a morrer, como ele mesmo diz, outra vez.



Quando Nilin o destrói, numa luta completamente virtual, ele pede pra ela nunca se esquecer dele, e o jogo termina.

Outros Inimigos

Bem, os inimigos são apenas 6 tipos que importam:

Soldados



Tem vários tipos, e são todos humanos com armaduras porém desarmados (alguns andam com escudos). Eles são fortes mas são como inimigos padrões.


Alguns tem uma armadura branca que os torna invulneráveis ao poder que atordoa, e também causa dano quando eles recebem dano (é bem desafiador). Mas no final das contas, são todos praticamente a mesma coisa, oferecendo o mesmo desafio.


Não entendo a razão deles não usarem armas de fogo, onde o único que o faz é um soldado num helicóptero que rende uma grande batalha bem frenética com mistura de perseguição e tiroteio.


Tem uns até que conseguem agarrar a protagonista e sobrecarrega-la, o que deixa ela sem poder usar suas habilidades especiais por um tempo... mas ainda assim, são fracos.


Alias, tem um guarda que se destaca dentre os demais, mas o nome dele nem é memorável, que acaba sendo totalmente sugado por Nilin para conseguir códigos de acesso (ele que pilota o helicóptero). Ele meio que ama usar enigmas nos códigos, e isso é tudo que se destaca nele.

Robôs Gigantes

Se não me engano se chamam Zorn, e são máquinas fortíssimas e bem grandes, que atacam com bastante agressividade, mas sem armas de fogo. 


Legal deles é que quando eles vão atacar, aparece uma imagem de realidade aumentada de uma boca gritando, é meio medonho, e ajuda a entender que eles são perigosos.


O primeiro que Nilin encontra ela precisa correr pra sobreviver, mas depois que ela encontra outros já armada com sua luva e o Spammer, ela aprende como derrota-los facilmente.

Robôs Terrestres



São robôs altamente explosivos que detonam em área mas sem se danificarem, além de terem uma barreira defensiva virtual fortíssima.



Eles pulam de um lado pro outro e explodem, mas só causam dano ao sensen, e só acertam seus inimigos. Mesmo que explodam em soldados por exemplo, ou em outros robôs, se estes forem aliados não causam dano algum.


Quando hackeados, eles mudam o sensen de seus aliados pra inimigos, por isso começam a causar dano uns aos outros.

Robôs Voadores



Seraphim são robôs humanoides voadores, que atiram!



Por alguma razão todos os androides de Remember Me tem fisionomia afeminada (pelo que observei chegam a ser usados até pra fins sexuais) e os Seraphins tem características em comum, exceto pelo fato de voarem e atirarem.

Eles também podem ser hackeados, atirando e explodindo em inimigos.

Robôs Rastreadores



Eles são máquinas que ficam patrulhando com uma mira limitada. Dentro do espaço da mira, qualquer coisa que entre e seja considerado hostil é morto na hora (arma fod4 a deles). 



Não há luta contra eles, e são apenas um desafio que obriga a personagem a passar escondida.

Mutantes 
(Na real são "Mutágenos" mas chamo de "Mutantes"...)



Por fim temos os humanos com o sensen corrompido pela doença da memória. Eles ficam deformados e ganham algumas habilidades como ficar pendurado na parede facilmente.


Tem um tipo um pouco maior, que consegue sugar a energia de outros mutantes menores, se mantendo sempre com a vitalidade ao máximo tirando essa vitalidade de seus lacaios. 


Tem um tipo de mutante que é invisível quando fica no escuro, justamente pelo sensen zoado e o esquecimento, mas ficam visíveis quando iluminados.


Mas tem outro que é  maior, o mesmo tipo do Dr. Green, que pode ficar invisível e atacar quando bem entender, independente de luz ou sombra.


Por fim tem os domados, que usam uma armadura branca e servem ao Soldado de Armadura Branca (Elite), que faz com eles praticamente o mesmo que o mutante grande sugador de vitalidade, tirando a energia deles pra ser imune a ataques (só que eles podem ser derrotados com Sobrecarga pós invisibilidade de Nilin, ou na porrada caso seus lacaios pereçam).



Os chefões são alguns dos próprios personagens, ou misturas de inimigos. Falarei um pouco deles ao falar da História, mas antes deixa eu resumir quais são os Remixes do jogo:

Primeiro Remix: A Transfusão Falha


Quando Olga tenta capturar Nilin, ela entra em sua mente e muda suas memórias, fazendo ela acreditar que o Dr. Green matou seu marido, ao invés de salva-lo e ter exigido dinheiro pra continuar mantendo-o vivo.


Na memória real, ele salva ele mas tenta extorqui-la, dizendo que o tratamento era muito caro. 


Quando ela caça Nilin, vai querendo o dinheiro, mas depois que tem sua mente mudada passa a acreditar que o Dr. matou seu marido (que provavelmente morreu mesmo assim, afinal ela descontinuou o tratamento), virando uma rebelde Errorista.

Segundo Remix: Suicídio


A protagonista precisa mudar as memórias de um cara, no passado (isso na real é um flash back que mostra a razão dela ter sido presa) o que causa seu suicídio posteriormente.


Na memória ele tinha brigado com a esposa e se separado, e nos tempos atuais (do flashback) ele tava tratando da separação judicialmente, mas a protagonista faz ele matar a esposa em suas memórias, o que nos tempos normais deixa ele inconformado, e se mata após um advogado entrar em contato com ele, achando que ele tava sendo indiciado, mas na verdade era pra tratar da separação e partilha de bens, algo assim.

Terceiro Remix: Trauma da Mãe



Quando Nilin chega em sua mãe, ela muda sua memória do acidente pra amolecer seu coração.



Originalmente ela provocava o acidente por ser birrenta e tirava a atenção de sua mãe, o que deixou ela muito brava ao ponto de terminar com o marido e ignorar a própria filha, pra sempre. Afinal ela perdeu a perna e parte de uma mão, o que é isso perto da família e do fato da filha ter sobrevivido né? Mas ok, Nilin muda os fatos e faz Scylla provocar o acidente com uma série de negligências ocasionais e irreais.


Com isso a mãe para de odiá-la...

Quarto Remix: Mudança do Pai



Quando Nilin chega ao seu pai, ela entra em sua memória e descobre que no passado, após o acidente, ele usou ela como cobaia e mudou sua memória pra algo mais positivo. 


Daí, ela entra no remix dele, e altera de forma que no final, ela morresse no acidente.



Isso resultou nele lembrando dela morta, e quando ele saiu do remix, viu sua filha morta pelo erro do remix...



Daí quando Nilin saiu do remix e ele acordou, ele mudou completamente sua visão antes bem orgulhosa de seu projeto bem sucedido.


E bem... o final surge. Curioso que só há 4 Remixes! Doidera, parecia ser mais antes... enfim, bora pra história...

HISTORIA



Depois de um comercial bem do mentiroso sobre os benefícios da Memorize, tudo começa com a mina acordando e percebendo que tem algo errado, afinal ela não lembra de quase nada além de seu nome (que ela nem deveria lembrar, o que a faz voltar pra máquina de amnésia criminal).



Ela anda pra uma fila, e (depois de tentar várias vezes se comunicar) Edge fala pra ela escapar na hora certa, ai quando a energia cai ela da no pé, na direção que ele manda.



Depois de fugir de um robozão maroto, Nilin entra num caixão e é descartada ao estilo Matrix.



Quando ela chega aos esgotos da favela 404, um monte de Mutante aparece procurando por sobreviventes corrompidos, ou seja, outros mutantes, e ai Nilin sai do caixão, assustando e lutando com geral.



Ela vai até o Tio Tommy onde pega suas roupas e a luva e também mixa a mente de Olga que aparece pra captura-la, daí junto com Olga ela vai até a parte rica de Neo-Paris e busca pelo Bad Request.



Depois de enfrentar uns guardinhas e lembrar de alguns movimentos, ela encontra o meliante que passa suas memórias pra ela, indicando o caminho até a Arquiteta da cidade.



Ela escala uns predinhos e rouba informações da cabeça da arquiteta e passa os dados pra Edge.


Mas no meio do caminho, o X-Mas aparece pra um fight, e é derrotado fácil, perdendo sua arma preferida e patenteada, o Spammer.



Depois de derrota-lo ela termina de enviar os códigos e Edge não perde tempo, afoga a cidade nobre, causando um verdadeiro tumulto e terror. Depois Nilin volta pro Tommy na favela pra ir pro próximo passo de sua missão...


Ela vai atrás do Dr. Green, pra pegar seus códigos de acesso ao laboratório, e pra isso ela vai pro metrô de Neo-Paris, através dos esgotos recém liberados graças a enchente. 


Quando ela finalmente encontra o Dr. Green, ele sai de uma forma ilusória e mostra sua verdadeira face, como um monstruoso mutante, e uma batalha a bordo de um trem desgovernado começa.


Depois de roubar as memórias de Dr. Green, o trem descarrilha e Nilin perde ele de vista (acreditando que ele tinha morrido)


Daí ela sai do metrô, passando por um local cheio de cachões semelhante a do inicio do jogo...


Rola uma luta irada contra um robô, que Nilin derrota usando seus dons natos com o Spammer.


Então ela vai pra Prisão, de onde tinha saído, pra roubar dados da central e libertar geral.



Ela entra escondida, sai vasculhando tudo quanto é canto sorrateiramente até encontrar um guarda com memórias boas de códigos de acessos e afins, que ela odiava quando tava presa. Daí ela espanca ele e os brothers dele, e rouba o que da pra pegar do  cérebro dele, conseguindo um acesso mais facilitado aos confins da prisão.


Mas não demora muito e a Madame, chefona de tudo la, descobre que Nilin ta na parada e começa a agir, ativando o sistema de segurança e também preparando sua própria mente pra ser copiada propositalmente, hackeando assim a caçadora de memórias.


Pra variar, Nilin descobre que a Madame capturou ninguém mais ninguém menos que o Bad Request, e ta interrogando ele. Ela faz questão de aguardar pelo roubo de memória, afinal ela tinha se precavido...


Antes de tentar salvar o cara, a moça vai em busca da central da prisão a mandos de Edge, mas não demora muito e ela já começa a sofrer com o hack da Madame, lutando contra lembranças vivas de soldados. 


Quando ela chega na maldita Madame, ainda tem que enfrentar ela numa luta psicológica e virtual, e depois de muita dificuldade... 



Ela vence e apaga Madame de vez.


Daí ela ganha uma habilidade de movimentar coisas usando o Spammer, e libera a memória de todos os presidiários, incluindo as suas, parcialmente, pois nem todas as memórias dela estavam na central da prisão.


Nilin se lembra da razão por ser condenada a prisão, e do suicídio que ela fez um cara cometer, e ai começa a se lamentar e sentir o peso da culpa, e mesmo duvidando parcialmente das intenções de Edge, ela continua obedecendo o cara e vai ao Escritório Principal da Memorize.


Então ela luta bastante, viaja pela cidade toda ferrada pela inundação, luta contra Mutantes e contra Soldados, e até passa pela parte do Helicóptero Assassino. E no fim, ela consegue chegar ao bendito escritório.


Ela até rouba as memórias do piloto de helicóptero e pega os códigos de acesso pra entrar no escritório (o cara era importante...). Nilin chega até sua mãe, que ela manipula pra mudar e passar a apoia-la em sua jornada contra a Memorize. Ela consegue, e a mãe deixa de odiá-la e passa a odiar a empresa.


Aí ela começa o fim do projeto da Reconversão dos Prisioneiros e Mutantes, e também começa o fim do império da Memorize. Nilin, satisfeita com seu sucesso, vai em busca de Bad Request, pra salva-lo. Ela volta à prisão, mas pela divisão tecnológica, onde consegue o dispositivo pra transferir Códigos de Acesso entre portas (pertencente a Bad Request originalmente).


Nilin encontra o Bad Request, só pra perdê-lo de vista (ele é transferido automaticamente de celas) mas ela não desiste, pula de cela em cela, e consegue acha-lo, mas ele tava esgotado, quase sem memórias. Ela pega o restante de suas lembranças pra chegar ao subsolo e se vingar do Dr que tinha feito isso a ele...


Quando ela chega até o Dr. Quaid, luta contra soldados e mutantes, só pra no final testemunhar Dr. Green surgindo e empurrando o ex-colega num buraco pro lixão.


Nilin desce pelo buraco e reencontra Bad Request, apagado no lixão, e luta contra Dr. Green, que ativa a auto destruição do laboratório todo. No final, Bad Request salva Nilin e ficam la os 3 corpos caídos, com tudo prestes a explodir. 


E ela escapa, do jeito mais seguro de todos: Num Caixão.


Daí ela pega seu uber e vai direto pra Central da Memorize, atrás de seu pai.

 

Ela luta pra caramba, e vai atrás daquele mesmo guarda com códigos (o do helicóptero!) que ainda tava vivinho, meio corrompido, mas inteiro. Só que no caminho ele é atacado por Mutantes e perde o restante das memórias, e Nilin precisa caçar os dois mutantes que estavam com essas memórias, pois precisava dos códigos de acesso pra chegar ao Cubo onde seu pai ficava.


Ela consegue, mata os dois, pega as memórias, resolve o puzzle de acesso, e chega ao Cubo.


La, ela encontra seu pai (depois de lutar mais um pouco com alguns soldados, mutantes e robôs).


Ele tava la remoendo as memórias, e Nilin remixa sua mente.


Quando ele acorda, achando que sua filha tava morta, Nilin aparece, ele saca tudo, e aí Scylla aparece, e a família unida decide por fim a Memorize. Os pais dão as mãos, e ativam o código de acesso ao banco central, e a filha vai de encontro ao mesmo, que era Edge.


Alias, o pai de Nilin devolve suas memórias e ela segue sua "eu criança" em lembranças no meio do cubo, onde ela brincava com seu melhor amigo, um ursinho mecânico... 


La, ela e o seu guia de toda vida lutam... virtualmente.


A forma virtual de Edge pouco lembra a foto que ele divulgou ao público...


Ele usa as memórias de Nilin como cenário de luta e inimigos...


Nilin não pega leve, espanca as memórias, os cubos que causam dano nele...


Até enfraquece-lo e acessar seu núcleo...


E no final, ela da um golpe misericordioso em câmera lenta...


E ela o finaliza voando em direção ao núcleo.


Ele se despede...


Nilin então testemunha as memórias revertendo, e até se encontra com sua eu criança.


E no fim, também diz que não se esquecerá dele.


E todas as memórias do banco de dados voltam pra seus respectivos donos, dando fim a Memorize... pelo menos é isso que Nilin menciona. Além disso, surge uma homenagem à Jacques Mucchielli, um escritor de games que teve participação importante na composição de Remember Me, antes de morrer em 2011 (ele morreu jovem, 34 anos se não me engano). O jogo foi lançado em 2013.


Fim.

Então, a história de Remember Me é simples, in game, mas ela tem muita história prévia e documentada em artigos dentro do jogo. Apesar de não haver nada pra se ler dentro do jogo, durante o gameplay, nenhum documento ou coisas assim (toda informação é dialogada, ou comentada, sem documentos), existe a opção de ler algumas conquistas (tem um diário do avô de Nilin, que fala bastante da origem do Sensen, e é uma história bem longa alias, que envolve o amor dele por uma moça que acabou ficando em coma, e ele desenvolveu o Sense pra se comunicar com ela. No final, ele desistiu do projeto mas seu filho deu continuidade).

Agora que você conhece o básico de Remember Me, bora explicar algo além...

Teoria da Memória Perdida

Reparou que existe um pequeno grande furo nessa história toda? Se não percebeu, nem grila que eu digo...


A família Cartier-Wells (sim, esse é o sobrenome de Nilin) é meio problemática, mas os motivos não são nem de longe convincentes...

A filha é uma rebelde que luta contra a empresa dos próprios pais, pois eles se separaram e deixaram de lhe dar atenção.




A Mãe odeia a filha e o marido pois eles causaram a perda de sua perna e uma parte da mão, num acidente de carro que simplesmente significou de mais.




O Pai abandonou a esposa e a filha pra se fechar em um Cubo cheio de memórias de sua esposa e a filha. Ele simplesmente preferiu viver o passado e caçar por algo que ele sabia que tava faltando.




Repare que nenhum dos 3 tem motivos realmente convincentes para serem como são... mas são exatamente esses 3 o centro de todo o grande problema em toda a Neo-Paris, tanto que são eles 3 juntos que terminam com tudo.

A grande questão é, por que raios esse maldito acidente de carro significou tanto?


Bem, na minha teoria, havia uma quarta pessoa na família, e não to falando do vovô... havia uma terceira pessoa naquele carro, que morreu e gerou um enorme trauma na família.

Posteriormente, o pai tentou remediar, e literalmente apagou essa pessoa da memória de todo mundo, inclusive da sua própria, resultando no mundo utópico em que eles estavam.

Essa pessoa, era Edge. Ou ao menos sua versão humana, irmão de Nilin.

Quais são as dicas para isso:


Edge tem uma fixação por chamar Nilin de irmã. Na real, ele mais chama ela de "irmã" e "mana" do que pelo próprio nome. Apesar desse ser um tratamento padrão entre os erroristas, Edge parece demonstrar muito mais afeto e interesse por Nilin do que por qualquer outro, e isso não parece ser só porque ela é "a escolhida".




Sabe aquela parte em que Nilin menciona seu "irmão secreto" se referindo a possibilidade de Bad Request ser este? Então, Edge se cala logo em seguida. Ele literalmente não fala nada por um longo tempo, algo que é muito estranho e suspeito pois em praticamente nenhum momento do jogo ele deixa de responder Nilin. As vezes até um comentário idiota ele responde, mas nessa situação, ele não fala absolutamente nada.

O comentário de Bad Request então, é super suspeito, pois ele tava muito mal, sem nada na cachola, mas faz questão de chamar Nilin de "irmã perdida", quase como se fosse a resposta que ela precisava e queria ouvir. Detalhe: Edge pode falar com qualquer Errorista, e nada o impedia de entrar em contato com Bad Request e sugerir que Nilin estava não só chegando, mas era sua "irmã perdida".

Talvez pra disfarçar, mascarar ou apenas dar a Nilin aquilo que ela queria...

Mas agora bora pra fatos mais concretos: O acidente dissecado.

Memória de Scylla




Na memória de Scylla, ela ta ao telefone com Charles quando Nilin começa a espernear pra pegar o "Jax", seu ursinho mecânico que ela tinha acabado de ganhar de presente de aniversário.



Ao dar bronca na filha, Scylla tira os olhos da rua e não percebe o farol vermelho, o que a faz bater.




O resultado é sua perna ferrada e ela da uma bronca, dizendo que é tudo culpa de Nilin. Partindo daí, ela vira uma mulher mesquinha, que deixa de amar.


Nessa memória, Nilin era a culpada e a única perda foi de Scylla.

Memória de Charles



Na memória original de Charles, ele tenta ajudar sua filha a parar de pensar que sua mãe lhe odeia.



E pra isso, ele coloca em prática a sua mixagem, a primeira dele, em sua primeira cobaia.




Ele fica super feliz pelo resultando, onde ele apaga o acidente da memória de Nilin, e promete que vai tirar a dor de Scylla também.


Nessa memória, ele foi bem sucedido em ajudar Nilin.

Memória de Nilin


Dentro da memória de Charles é possível ver a memória de Nilin, já alterada (o acidente sendo apagado). 


Detalhe que o acidente ocorreu no mesmo mês da primeira mixagem. Nela, Charles faz a bolsa com o robô urso abrir, ele ligar, ir até o colo de Nilin e conforta-la pra que ela não incomodasse a mãe. 


Isso evita que ela se distraia, e a permite parar no farol vermelho.


Logo, sem acidente. Mas olha pra cara de Charles.


Depois disso, ele havia conseguido curar o mal da mente de sua filha, o sentimento de culpa e afins. Mas faltava sua esposa. Porém, no futuro Scylla fez questão de guardar o carro, pra jamais esquecer do acidente. 


Seria impossível apaga-lo de sua memória, e ainda mais explicar a ausência de sua perna. Além disso, ela se recusava a permitir que qualquer um mexesse em suas memórias. 

Mas, o que explica ela deixar a família? O que explica Charles se isolar em busca de memórias perdidas? O que explica Nilin ter se rebelado? Pois bem... e se Charles mexeu na cabeça de Scylla quando ela estava no hospital, contra a vontade dela? E se ele tentou tirar a culpa dela, de Nilin, e simplesmente cura-la? E se a unica maneira dele fazer isso fosse mantendo uma memória ruim, propositalmente, pra substituir uma memória ainda pior?


Sempre que um episódio começa, Nilin aparece refletindo e monologando sobre os eventos do anterior, e ao final dessa reflexão toda, uma mensagem surge. Pois é, a mensagem que surge antes do episódio em que Scylla é encontrada, é a da imagem acima "O coração de uma mãe é um abismo profundo em cujo fundo você sempre encontra perdão." Repare que isso é de certa forma oposto ao que é mostrando no jogo, já que Scylla culpa sua filha por suas perdas.


E no episódio seguinte, antes dele iniciar, essa é a frase que surge "As nossas únicas verdades são as nossas dores.", logo após Scylla ter a culpa retransmitida para si mesma. 

Enfim, eu acredito que o sentimento de perda foi a única coisa que Charles não conseguiu tirar de Scylla. Sua dor permaneceu, e sua lembrança eternizada por sua situação física e pelo carro, era impossível de contornar ou apagar. Creio que a solução que ele encontrou foi tirar a dor maior da memória de todos, usando o sensen pra apagar Edge e sua morte.

Ele transmitiu posteriormente as memórias de Edge para a central, onde se misturaram a todas as outras arquivadas, e deu vida à Inteligência Artificial de mesmo nome. Com isso, a mente de Edge passou a viver até decidir deixar de viver. Tem até uma parte no jogo em que Edge comenta que talvez em sua outra vida ele seria um poeta... quando Nilin comenta seu jeito de falar.


Enfim, isso explicaria a razão de Scylla ter tanto rancor acumulado (um filho perdido poxa!), explica o fato de Charles sentir que tem algo faltando (um filho perdido poxa!!), e de Nilin confiar tanto em Edge (um irmão perdido poxa!!!). Uma pessoa apagada da existência, esse seria o maior mal provocado pela Memorize. Pra mim faz sentido...

Isso não seria impossível... não nessa trama... será que viajei de mais?

E é isso.

Espero que tenha curtido. Espero que não tenha feito um trabalho ruim, nem enjoativo pra ler. E torço pra que tenha dito tudo que deveria dizer... já pensou se eu esqueci algo? Tipo trilha sonora (eu esqueci isso... as musicas são legais, mas nada memorável)... enfim...

Vlw pela leitura! E até a próxima...

4 comentários:

  1. Sua teoria é muito boa, sempre achei muito meh a motivação deles.
    O jogo é bem legal, pena ser fácil e um pouco repetitivo
    Marte (meu apelido)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Marte... eu imaginei que seria seu nick, mas também suspeitei que poderia ser algum tipo de despedida que desconhecia. Tem um leitor mó legal que sempre se despede dizendo "cheers" e por um bom tempo eu confundi o nick dele com essa despedida... rs...

      Eu fiquei um bom tempo querendo falar dela mas toda hora esquecia de terminar o texto. Foi bom finalmente registrar isso, e de certa forma foi até graças a um dos meus irmãos, que curtiu a teoria (e normalmente ele retruca minhas ideias).

      Se parar pra pensar esse jogo é muito simples, praticamente todas as lutas são contra pequenos grupos de inimigos que, soam como batalhas contra chefinhos. Não há coisas como inimigos randômicos pelo cenário, o que deixa tudo fácil e repetitivo. Mas a Capcom junto com Nontnod não errou nesse... só não acho que renderia continuação... mas o modelo é até que bem interessante.

      Enfim, fico feliz por ter curtido. See yah sr Marte.

      Excluir
  2. Joguei bastante mas achei muito meia bomba , aquele tipo de jogo que não compensa rejogar.Já sobre a Nilin gostei pra caralho dela, forte mas nada fora do esperado , a única coisa que estranhei foi a enorme faltá de interação com memórias, No final de tudo remember me e um jogo que eu vou esquecer rapidinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Wallace, pensamos da mesma forma. Remember-me é esquecível apesar de legal... eu mesmo perdia a oportunidade de analisa-lo umas 3 vezes, por ter esquecido kkk. O jogo poderia ser mais impactante e memorável, se sei la, tivesse investido mais nas remixagem de memórias... no fim o jogo meio que é simples de mais... e olha que ele tinha potencial...

      Enfim, vlw pela leitura sr!

      Excluir

Seguidores do Google+