PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

sábado, 14 de junho de 2014

AnáliseMorte: Devil May Cry 2 - Tudo o que tem pra saber sobre DMC2

É com muito desânimo e tristeza que inicio esta análise...


Devil May Cry 2



Não será grande, eu acredito inclusive que será uma das menores... mas lamentavelmente preciso passar por ela pra continuar as outras análises do título dmc, então... paciência.

Pela minha animação da pra ver que não é lá um grande jogo. Na verdade é até meio decepcionante, pois o jogo é curtíssimo, tem pouca história implícita e explícita e, pra variar... tem 2 DVDs... o que só mostra que o jogo teve todas as chances pra ser algo grandioso mas... no final... só acabou gastando mídia.

Então... prepare-se pra ler... o que quer que eu vá escrever... to pensando se tem algo bacana pra contar... na verdade até tem, mas são coisas simples que só farão sentido nos demais jogos e eu não quero enrolar... enfim...

AVISO

Se eu não spoilar eu não vou contar nada desse jogo, porque o jogo em si já não tem tanta coisa pra se contar... de toda forma, tem spoiler nessa joça, então paciência viu.


(No inicio do jogo há um aviso de que há violência e talz, mas nem aparece sangue nessa bost4! Pois bem, eu recomendo que você leve a sério este aviso aqui, pois eu não minto e nem exagero, diferente de certos desenvolvedores de jogos.)

De toda forma, boa leitura... e antes de ler, recomendo que veja a análisemorte de Devil May Cry 1



Devil May Cry 2 conta a história de Dante, o mesmo Dante do primeiro DMC, porém agora ele está um pouquinho mais sério e tem uma mania de imitar o "Duas-Caras" do Batman.

Esse dmc é o último da franquia, cronologicamente (até o dia de hoje claro)

Por enquanto, a cronologia de DMC é a seguinte:

DMC - Devil May Cry (2013) ---> Devil May Cry 3 ---> Devil May Cry 1 ---> Devil May Cry 4 ---> Devil May Cry 2



É, é isso mesmo... dos 5 jogos atuais, a história do 2 se passa após tudo o que aconteceu nos demais jogos.

Eu vou explicar o porquê mais pra frente, mas não é nada difícil de entender. O triste, é que considerando esse fato, é possível prever certas catástrofes na história do grande caçador de demônios.

Antes de falar dos personagens, irei resumir um pouco a história. Ah, e diferente da análise do DMC 1, eu vou evitar falar de coisas como "orbs" e armas. Não que não sejam importante... longe disso... mas fica exageradamente detalhado e DMC2 não merece isso (rebelde hein).


A história é a seguinte:




Dante é contratado para impedir um demônio de por as mãos em uma chave pro portão do inferno. Essa chave é formada por 4 relíquias, e cabe a ele coletar as 4 relíquias antes do demônio em questão. Porém, uma garota surge no caminho de Dante, desejando fazer exatamente o mesmo que ele faz. Ela direciona ele para o local onde as demais relíquias se encontram, e fica com a relíquia que Dante conseguiu. Um moooonte de merd4 acontece e Dante acaba desvirtuando o ritual que faria o portão do inferno se abrir e impede que o demônio chinês cumpra seu objetivo. Porém, o portão acaba abrindo de qualquer forma e Dante pula la dentro pra fecha-lo por dentro. Enquanto isso, Lucia, a menina que entrou no caminho de Dante, acaba ficando no mundo, encontra o demônio chinês corrompido, e luta contra ele, para se vingar do que ele havia lhe feito: Ele a criou. No final Lucia espera por Dante em sua loja, a "Devil Never Cry". Dante estava preso no inferno, pois fechou o portão por dentro, mas ele pegou sua moto e disse que daria um jeito de encontrar uma saída. Lucia fica com a esperança dele conseguir sair, coisa que Sparda havia feito, e espera por ele em sua loja, com sua moeda de duas caras. No final, ela escuta o som de uma moto estacionando na porta da loja e corre pra saudar o grande Dante, mas nada é mostrado, além do som da moto e dela correndo.

A história é essa... legal né?

Da pra entender minha tristeza? Não tem quase nada pra se falar dessa porcaria ai... é uma história tão bobinha e sem impacto algum, que fica bem decepcionante. Pra piorar, essa história é contada duas vezes, nas duas campanhas, onde você controla Dante em um CD e Lucia no outro. Se pelo menos tivessem grandes revelações ou sei la, diferenças gritantes, ficaria mais legal jogar. Mas não, é exatamente o mesmo jogo, mas na campanha da Lucia tem alguns chefões novos, substituindo chefes da campanha de Dante, e também há vários cortes no roteiro, com fases inteiras sendo desconsideradas ou apenas, modificadas. O segundo CD é uma enorme DLC.

A jogabilidade é semelhante em todos os dmcs, Hack&Slash. Um detalhe diferente nesse dmc é que o mapa é mais expandido e "explorável"... provavelmente foi isso que consumiu os 2 DVDs, pois em termos de enredo... deus me livre... 

Pra ajudar, o jogo não tem dificuldade alguma. É possível zerar ambas as campanhas em curtíssimo tempo, com um único movimento: Atirar.


Todos os inimigos, chefes e obstáculos podem ser derrotados com tiros. Tirando algumas partes onde tem de se ativar interruptores na espadada, o uso de armas brancas se torna dispensável na maioria do tempo.


E usar armas de arremesso e tiro nem é algo complicado ou que exige muita habilidade, só é preciso apertar o botão com rapidez ou segurar. Se você segura o botão de tiro, os disparos saem em sequência, e algumas armas até perdem o deley completamente. No caso de algumas armas é mais vantajoso ficar disparando manualmente, pois os tiros saem mais rápido que quando segurando, mas de toda forma, com as armas de fogo e arremesso tudo se torna muito fácil.

Então, agora vem as curiosidades que talvez justifiquem a postagem ou até mesmo a salve.

DMC2 traz elementos que foram completamente aproveitados nos dois últimos jogos da franquia (DMC 4 e DMC 2013)

Esses elementos fizeram com que dmc 2 ganhasse importância, e até fez ele brilhar... um pouco.

Antes de continuar preciso deixar claro o seguinte:

Eu sei que DMC2 foi feito por uma equipe diferente e que, sua história foi fraca por conta disso... mas irei desconsiderar quem o criou e apenas levar em conta o que aprendi com esse jogo. Afinal, ele não é um spin-off, pois teve importância, apesar de ser uma porcaria, servindo como base e influenciando jogos sucessores, que diga-se de passagem, se saíram muito melhor que ele.

Vou falar dos personagens, e aproveitar a deixa e falar de suas... surpresas e importâncias.


Dante




Dante... ele é filho de Sparda... mas isso você já deve saber (afinal, se ta lendo do segundo jogo, deve conhecer o primeiro).

O Dante apresentado aqui é sério e decidido. Ele usa uma moeda de duas caras pra passar a ideia de que toma decisões ao acaso, mas... "Ele faz seu próprio destino" - Harvey Dent.



Dante tem seu Devil Trigger já bastante desenvolvido, e não absorve mais a habilidade demoníaca dos demais, apenas adquire a energia dos mesmos e aprimora seu lado demônio. 

Ele também não é mais tão humorado quanto antes, e apresenta um ar de seriedade, além de não falar mais tanto quanto falava em sua aventura na ilha de Mundus.


Isso acontece porque o intervalo entre o primeiro e o segundo jogo foi enorme, e coisas aconteceram nesse meio tempo, coisas que fizeram Dante mudar, mas seu objetivo permanece o mesmo: Caçar demônios.

Sua nova personalidade fica clara quando ele diz "Não converse, apenas morra!" para um de seus inimigos demônios que tenta dialogar. Isso é algo que ele repete com todos seus inimigos, onde ele não da a minima chance para que falem. 



Acho que ainda é cedo pra falar detalhadamente sobre a mudança de Dante... mas já vou deixar um pequeno spoiler do que falarei em futuras análises, tente adivinhar:


Dante - DMC 1: Está indiferente, descansando em sua loja quando conhece uma garota, que se alia ao seu objetivo e decide trabalhar ao seu lado.





Dante - DMC 2: Está sério, decidido, objetivado... e sozinho.



Dante - DMC 3: Está jovial, animado, sabe de sua invulnerabilidade e abusa dela. Conhece uma garota que também passa a segui-lo, e se torna sua parceira.


Dante - DMC 4: Está adulto, sério e até reservado de inicio, mas depois mostra que tinha preocupações mais profundas e por conta disso, não podia ser "ele mesmo". Ele trabalha com suas duas amigas conhecidas no passado, e descobre que seu próprio passado voltou pra "assombra-lo".


Dante - DMC 2013: Está rebelde, jovem, aprende sobre si mesmo e decide caçar demônios de uma vez por todas. Ele conhece uma garota, com quem acaba... gerando um passado.



Viu? Dante muda muito de um jogo pro outro... e no futuro irei explicar essas mudanças tão detalhadamente que você irá entender ele completamente... mas pra isso precisarei falar dos 5 jogos, dos 3 mangas, das 3 dlc's e do anime, então tenha calma e muita paciência ta.



Lucia




Ela é um tipo de Demônio Angelical, que cresceu sendo criada por uma velha chamada Matier. Ela também quer impedir que o demônio chinês abra o portão do inferno, e até se alia a Dante, de forma mais... distante.

Ela o ajuda, mas enquanto procura pelas relíquias, chamadas Arcanas, descobre um pouco de si mesma.

Ao ter contato com o demônio chinês, ela descobre que ele que é seu criador, e que ela era apenas mais um demônio qualquer, feito por ele, para servi-lo. Ela até passa a acreditar que sua vontade de coletar as relíquias era uma forma de facilitar o trabalho desse demônio, coletando as mesmas e entregando-as a ele, de bandeja.



Dessa forma, ela entrega todas as Arcanas para Dante e parte para destruir seu criador, mas... da tudo errado e ela é capturada, e pra piorar, o próprio Dante entrega as relíquias de bandeja! Mas por causa de uma traquinagem de Dante, o demônio faz o ritual com as Arcanas "erradas" e se da mal.

Lucia é isso, um demônio com o Devil Trigger desenvolvido, artificialmente. Apesar dela ter sido "gerada em laboratório" ela tem um grande senso de justiça, herdado de sua mãe adotiva, e por conta disso decide se voltar contra seu criador e se torna aliada de Dante.

Uma curiosidade em Lucia está em seu cabelo. Ela é ruiva, e quando usa o Devil Trigger fica com a aparência angelical e branca. Isso é algo que foi aproveitado no "futuro"!

Conhece Dragon Ball Z? Sabe o que é um Super Sayajin? Quando um Sayajin assume uma forma mais poderosa, seu cabelo muda e ele se torna Loiro (exceto na forma "deus" onde ele se torna ruivo)...

Isso também existe em DMC.

Dante é um "quase demônio" (há um termo pré definido mas, deixarei pra chama-lo assim na análise correta). Seu cabelo, em sua forma semi demoniaca é Branco. Quando fica com Devil Trigger próprio, sua forma tem a coloração demoníaca assimilada e mais destacada: Vermelho.


Lucia, em sua forma quase demônio, é Ruiva e quando se torna um Demônio Completo fica com coloração angelical destacada: Branca.



Deu pra entender?

Demônios do sexo masculino: Cabelo Branco
Demônios do sexo feminino: Cabelo Vermelho

Isso vale pra Anjos também... se bem que Anjos e Demônios são vistos quase da mesma forma em DMC.

Lembre-se desse detalhe no futuro.



Demônio Chines (Arius)




Esse cara é o vilãozão da vez. Seu objetivo é abrir o Portão do Inferno e liberar um demônio antigo chamado Argosax, todo poderoso, que teoricamente lhe serviria de bom grado e lhe passaria todo seu poder, tornando-o todo poderoso também.

Pelo menos é isso o que eu entendi dessa coisa... pois a história dele não chega a ser narrada e coisa do tipo, ele apenas aparece, com uma pequena intro pela velha Matier, e depois some, e fica reaparecendo entre as cenas, rapidamente, só pra lembrar que ele é o vilão, apesar de quase não aparecer.


O cara também é responsável por desenvolver/criar demônios que podem usufruir livremente do Devil Trigger (Uma forma de demônio completa e bem mais poderosa que a comum) artificialmente. Eu não diria que esse trabalho dele é 100% original, pois não fica claro se foi ele quem criou o projeto ou não, e antes dele aparecer já existiam demônios e legiões inteiras com Devil Trigger artificial... mas o cara fica todo pomposo pelo trabalho dele então... deixa ele ser feliz. Lembrando que ele é apresentado por Matier como um tipo de "empresário".


Ele é enganado por Dante, que lhe passa os 4 Artefatos de mão beijada, e o idiota nem pensa em verificar se tem alguma armadilha nelas, ativando-as e em seguida, descobrindo que uma das Arcanas (A Moeda) havia sido trocada pela moeda de duas caras do Dante. (Que tipo de vilão comete um erro desses?)

Eu até pensei que... pela forma como o cara recebe as relíquias sem surpresa alguma e as usa, poderia ser que Dante estava trabalhando pra ele o tempo todo, e foi atrás dessas peças como parte de seu trabalho... entretanto... isso seria totalmente contraditório ao jogo inteiro, pois apesar de Dante trabalhar pra quem pagar, seu trabalho consiste em "caçar demônios" e não "caçar recompensas". E também, Dante é constantemente atacado por demônios, todos criados pelo chinês do mal ai, e isso seria estranho pra k7, afinal, por que lançar inimigos em cima do seu aliado?

Na real, Dante distrai o cara durante sua luta fazendo com que ele perca a atenção nas Arcanas, por um momento. Isso foi o suficiente pra fazê-lo correr com os brinquedos novos pro parquinho e aproveitar o Eclipse, sem conferir as coisas antes.



Matier



É a mãe adotiva (se é que pode se chamar assim) da Lúcia, que por sua vez foi educada e criada por ela, mesmo sendo um demônio.

Essa velha conta... alias, introduz a existência do chinês malvado para Dante, e explica pra ele sobre as relíquias, pedindo sua ajuda para pega-las antes que o demônio pegue. Dante aceita a missão, e tem como provável recompensa a história de seu pai, Sparda, que a velha disse conhecer e prometeu contar caso Dante tivesse sucesso.


Tenso que a história não é contada em nenhum dos dois malditos CD's. Você joga duas vezes a mesma história, e a parte que realmente interessa nunca aparece.

Há algumas referências a história que a velhinha contaria, tipo o fato de Sparda ter conseguido entrar e sair do inferno de boa, coisa que talvez Dante também consiga (mas seu irmão, Vergil, não), mas a história em si, nem sinopse tem.

E é isso. Esses são os personagens que aparecem.

Tem alguns inimigos, nos dois cds... eu falarei deles...


Mas antes de falar deles já deixarei claro que: Foi um saco.

Cara, pegar cada um dos inimigos e identifica-los foi fácil, porém chato de mais. Boa parte não tem uma explicação bem trabalhada e a maioria é baseada em algum ser mitológico, de culturas variadas, com o nome semi modificado pra parecer mais "oriente". (Talvez pra combinar com o chefão principal, sei la.) Essa é a parte que mais desanima no jogo, pois os inimigos não tem qualquer história. Eles apenas aparecem e somem, sem explicação. Até o maldito chefão final tem de ser dissecado para liberar alguma história. 

Pior que, normalmente, isso deixa o jogo mais rico, pois fica aquela curiosidade pra descobrir o que cada ser significa... mas aqui os significados são tão fracos e sem profundidade que desanima... muito. Ainda por cima, os inimigos apenas aparecem, sem motivo. É como se fossem postos la para aumentar a vida útil do jogo, sem pensar na história em momento algum. Daí, uma análise que depende da história pra sobreviver vira um tipo de... síntese simples.

Abaixo vou citar os inimigos do jogo... tentarei citar todos, ou a maioria, ou os mais importantes, se é que tem importante. Mas não entrarei em detalhes, só naqueles que eu achar necessário. 


Finis Demon (Caveiras Presas)



São os monstros mais comuns e recorrentes em DMC. Tem vários tipos, uns usam espadas, outros escudos em ambas as mãos, outros machados, e tudo que muda neles é isso: Suas armas.

São demônios criados pelo demo chinês, a partir do esqueleto de criminosos mortos. Ao menos é isso que parece pois são seres diabólicos que pegam fogo em um tipo de "armadura-jaula de metal"... 


Puia (Harpias)



Acho engraçado o nome delas... são demônios em forma de aves humanoides, semelhante ao ser mitológico Harpia (Sereia dos Céus).

Aparece aos montes e são fraquíssimas, e  só são mais fantoches do chinês do mal.



Msira (Sombras)




São demônios fraquíssimos em forma de seres humanoides sombrios. Eles atacam em bando, igual as Puias, porém são ainda mais fracos que elas. Existem vários tipos, alguns até pegam fogo, mas no final da tudo na mesma. 

São mais servidores criados e domados por Arius.


Goat (Gárgulas)



São demônios feitos de pedra, com corpo de homem, asas de morcego e cabeça de cabra. 


São estátuas diabólicas que ganham vida e atacam conforme as ordens de seu criador. Tem a imagem de uma cabra, o que lembra um antigo demônio chamado Baphomet, que também tinha tal aparência. Apesar de parecidos, são apenas a imagem do que Baphomet era, apenas isso.


Orangguerra (Macacão)




É um demônio em forma de macaco gigante... e é o primeiro "chefão" do jogo.


Ele aparece para destruir Dante duas vezes, e fracassa em ambas. Apesar de forte e rápido, ele não é um demônio exemplar em termos de estratégia e sofre bonito perante Ebony&Ivory.


Jokatgulm (Mulher Polvo / Hydra)


É o segundo chefão do jogo, uma mulher azul cheia de tentáculos. 

Essa coisa não sai do lugar, mas fica na defensiva com seus tentáculos e usa e abusa deles pra atingir Dante de longe. Além disso, ela regenera rapidamente as partes cortadas de seu corpo, se tornando um dos inimigos mais chatos de Dante. Claro, ela morre, afinal, é um demônio e cruzou o caminho do filho de Sparda.

Ela é o demônio que deu vida a lenda da Hydra, na mitologia grega. Seu aspecto de auto regeneração rápida lembra muito esse ser mitológico, logo, é possível ligar ambas as criaturas em um único ser. 

Após ser destruída, ela abre caminho pra uma garagem onde Dante encontra uma moto. 


Seria bem interessante e renderia alguns minutos de diversão se aproveitassem essa chance pra por uma passagem estilo corrida em DMC 2, parecido com o final do DMC1 com o avião. Mas nem... deixaram essa passar com uma rápida e nada convincente CG.



Infested



São demônios que tomam a forma de objetos hospedeiros. 


Em sua forma real, eles são como grandes insetos parasitas, mas uma vez que se unem a um objeto, eles tomam a forma e total controle do mesmo. Esses demônios são mais alguns serviçais do chines malvado.


Legal a fase onde eles controlam um helicóptero e o mesmo persegue Dante por cima de prédios. Talvez seja a melhor e única fase que realmente presta nesse jogo todo. Esse helicóptero inclusive é um dos "chefões" de certa forma...



Nefasturres



É um demônio em forma de objeto... ou um objeto em forma de demônio, eu sei la.


Ele é um prédio inteiro que "ganhou vida" e atacou Dante. Tudo que posso afirmar é que ele era um prédio e virou um demônio, sei la porquê. Basicamente, ele é a representação da Torre de Babel, ou ao menos do mal que ela causou... em forma de demônio... lol


Furiatauros




Um minotauro gigante que aparece quando o chines malvado manda.


Cara, da pra perceber que os criadores não estavam com tanta criatividade pra origem dos demônios. Todos são baseados em seres mitológicos nórdicos e gregos, com nomes "orientalizados". Chega a ser meio triste ver isso, mas se parar pra pensar, é exatamente isso que é.

Daí que nasce a tristeza. Como analisar algo e o real significado de algo, se esse significado é tão... bobo?! Demônios baseados em seres mitológicos para explica-los de alguma forma... que idiota. 

Preciso dizer o que esse ser metade humano, metade touro, com uma enorme marreta simboliza?


Noctpteran



Uma maripoza gigante que defeca larvas que se superdesenvolvem em segundos, abaixo da terra. Mais um dos "chefões".


Ah... um demônio de outra dimensão que surge quando o china chama. Ele ataca tanto Dante quanto Lúcia, e capota pra ambos. Apesar disso, ele é fortinho, e o fato de dar vida a larvas hiperdesenvolvidas torna ele ainda mais mortal. 


Demonochorus (bebê estatua)



São demônios pequenos, parecidos com estátuas de querubins, vivas. 


São... bem... são querubins diabólicos?! Cara... eu to sem saco pra explicar esses seres mitológicos distorcidos e convertidos em demônios "chineses"... saco isso.


Savage Golem


Esse demônio é um tipo feito de barro.




Um demônio que tem a capacidade de se restaurar com o tempo. Ele é um Golem ué... um gigante de barro que pode se restaurar... só isso. Quase não aparece também... alias... tem vários inimigos que quase não aparecem, ou que não tem muito significado além de ser meros obstáculos... como os Morcegos de Fogo, As Larvas, As Chi's ("Lucias" leais ao Arius) e umas Águas-Vivas que ficam submersas. Todos esses inimigos são dispensáveis, e aparecem tão pouco que podem até ser imperceptíveis. 


Mancers (Magos)






São demônios que usam e abusam de magia elemental. Eles são provavelmente pessoas que tentaram seguir os passos de Arius e venderam a alma pra obter poder demoníaco, se convertendo nesses seres arcanos do mal.


Teteobesu





É um peixe gigante que fica invisível e Lúcia enfrenta. É um dos chefões de Lúcia e é bem complicado de se enxergar pois, a luta com ele se passa de baixo d'água e pior, ele fica faiscando e ficando invisível e se movendo de um lado pro outro em alta velocidade... é tenso pacas.


Essa coisa não tem significado nenhum, é só mais um monstro aleatório e provavelmente mitológico que pegaram por ai e decidiram converter num chefão para a campanha de Lúcia, porque ficaria mais dinâmico ter um ou dois chefes extras. 



Freki e Geri




É um casal de lobos que segue um cara grande e atacam Dante, pulando de um lado pro outro. 


São "chefões" que reaparecem algumas vezes e seguem um outro "chefão" que não tem explicação alguma pra aparecer. Um tipo de "projeto de Nelo Angelo" que não deu certo chamado Bolverk


Bolverk



Ta reparando que eu to pouco me lixando pro significado dessas coisas? Sabe o que dois lobos e um espadachim significam? Adivinha!

Bolverk na mitologia nórdica era o nome dado pra forma humana de Odin. Um demônio que decidiu tomar a forma de Odin e usar um casal de lobos nomeados de Freki e Geri como soldados... eee...


Sargasso (Caveira Aquática)



Já falei dele no DMC 1. É a mesma coisa, só que agora, na campanha de Dante, eles só aparecem para ajudar um dos chefões, ou quase chefões... eu nem sei mais o que é chefão e o que não é... deus do céu... se faz ideia de como to enjoado de escrever isso aqui? Tem esse triangulo doido que aparece apenas nessa parte do jogo, junto com vários Sargassos. Na campanha de Lúcia também tem alguns Sargassos em seu caminho, mas ai são apenas eles mesmo, sem o triangulo mágico sem lógica.

Ah, tem um monte de monstros aleatórios que aparecem sem razão, e atacam sem razão, apesar de todos servirem, teoricamente, o grande Chinês do Mal.



Blade



É o demônio em forma de réptil do jogo anterior, só que aqui só aparece de forma aquática e ataca Lúcia. 


Tartarrusian e Plutonian



A versão "chefão" do demônio inicial do jogo, aquele enjaulado. 




A diferença é que esse tem duas cabeças e aparece uma versão pra Dante, e outra pra Lúcia.


Phanton




O demônio general que trabalhava para Mundus anteriormente, é ressuscitado só pra morrer de novo aqui, para impedir que Dante rompa a barreira do Limbo. Aliás, o Limbo aparece aqui, sendo uma forma dos prédios da cidade onde o Arius manda.


Dante entra nele pouco antes do eclipse iniciar, passagem necessária para que o ritual de Argosax inicie.



Trismagia (Cabeçudo)






É um demônio que aparece entre a fronteira do Limbo e o escritório do chines.




Ele é formado por 3 cabeças elementais, cada um de um elemento, que se unem em uma só para formar uma cabeça gigante cheia de olhos. 

Ele(s) enfrenta(m) tanto Dante quanto Lúcia, e é (são) mais um dos "chefões."



Arius






O próprio demonio chines é um dos chefões. Ele enfrenta tanto Lucia quanto Dante, e aparece várias vezes como inimigo. Mas sua aparição é tão curta e sem muito sentido que passa batida. Se ele não fosse "O Antagonista" nem faria diferença na história. 




Argosax The Chaos (Mistureba)





Esse é o tão mencionado Argosax, em sua forma bruta.

Ele é uma junção de todos os inimigos generais de DMC. Sabe os chefões mais fortões? Então, a maioria deles aparece aqui, unidos em um só.

Agora parte as teorias:

Primeiro, esse mutante satânico é formado por vários dos chefões do jogo, porém não todos. O Cara dos Lobos e o Cabeça Tripla por exemplo, não formam parte dele. Isso é estranho pois, eles também são chefões, e são bem memoráveis inclusive. Então, é possível deduzir que esses que formaram Argosax devem ter algo em comum e especial, não?!

Sabemos que Phanton, a Tarantula Escorpião de Lava era, em vida, um dos generais de Mundus, o chefia do inferno. Pois bem, Phanton forma uma das partes de Argosax.


Outro que forma parte de Argosax é Griffon, a Ave Tagarela de DMC1, que por sua vez também era um dos escudeiros generais de Mundus, que foi descartado por ele.


Daí é só pensar nos outros que também formam Argosax Melequeira:

Oranggerra, o Macaco Endiabrado


Jokatgulm, a Hydra Muda


Nefasturris, o Prédio Vivo


e Furiatauros, o Minotauro Gigante


Se reparar, todos tem certa ligação mitológica.

Seres mitologicamente representados, e demoníacos. Todos "Generais" do inferno.

Então, o que realmente seria Argosax?! 

La em cima eu disse que Argosax era um demônio antigo todo poderoso, mas na realidade, ele não é bem 1 demônio.

Argosax é a energia de vários demônios antigos, acumulada. Ele é o que lhes da poder, aliás, ele é o próprio poder. Argosax é tão poder que consegue gerar uma forma própria, composta de energia, só pra se defender.

Ele é um tipo de demônio especial, conhecido biblicamente como "Legião". Um demônio composto por vários demônios diferentes. O fator que destaca Argosax é ser composto por demônios de elite.

Agora entendi porque o china queria invocar Argosax... ele queria absorver o mesmo e se tornar o novo "Mundus"... tendeu... (sim, to fazendo a análise em tempo real kkk)



O Desespero Encarnado (Argosax Desesperado)






Eis o cara/moça em sua forma mais forte. Puramente composta de energia demoníaca. Ele não tem sexo definido, é apenas um monte de energia projetada em forma angelical.



Ele é o último inimigo que Dante enfrenta e derrota em DMC 2, e por sua vez, é a forma que Argosax toma desesperadamente para impedir sua própria e total destruição pelas mãos do filho de Sparda.


Não tem nada de especial sobre ele, tirando o fato de que ele é morto por Trish. 



Não bem a própria Trish, mas Dante usa a habilidade de Trish, presente em uma de suas pistolas (Ivory eu acho) e explode Argosax de vez.



Se tu viu a análise de DMC 1 (se não viu, deve tar perdidão né) deve se lembrar que Dante usa o poder de Trish somado com o poder de Sparda para destruir Mundus pela última vez. Mesmo depois de tanto tempo, sua pistola ainda tem a energia dela concentrada, ou... talvez... algo aconteceu a Trish nesse meio tempo e ela passou sua energia para Dante novamente... a pergunta é: O que aconteceu com ela?!


Bem, no final do jogo, na campanha de Dante, ele sai com sua moto pelo mundo dos demônios, alegando que achará uma forma de sair de la. 



Possessed Arius (Arius Corrompido)






Depois de falhar em invocar e absorver Argosax, o china se converte num demônio todo zoado e com uma aparência bem feia.

Ele ataca Lucia enquanto Dante passa pelo portal do inferno. Lúcia consegue derrotar Arius e da lição de moral nele, dizendo que o fato dela ter origem demoniaca não a torna um demônio, nem um monstro, pois como Dante disse: Ela é chorona.



Arius Argosax (Arius Super Corrompido)




Arius abandona sua forma semi humanoide e assume uma forma totalmente diabólica, encurralando Lúcia e tentando elimina-la dentro de um buraco, porém... ele não consegue, e o buraco se torna sua própria cova.


Após sua batalha final com o chefão Arius, Lúcia conversa com Matier, que lhe da esperanças de Dante retornar. Daí ela viaja até a loja de Dante e espera por ele... e quando o som de uma moto ressoa pela porta, ela corre para receber seu herói... ou não.


Daí vem a pergunta: Quem estava na porta da loja de Dante?

1° Trish?

Cena do DMC 1, a entrada triunfal de Trish com a moto de Dante.

2° Lady?

Cena de DMC 3, a aparição de Lady com sua moto incendiária diante da Torre.

3° Nero?

Cena de DMC 4, onde Nero provoca Dante com sua Espada Motorizada, que diga-se de passagem, faz som de moto.

4° Lady e Trish?

Cena do Anime, no final, onde as amigas saem juntinhas... depois pego uma foto melhor e substituo.

5° Ou será que era o próprio Dante?




Fica a dúvida no ar.


Enfim, é isso. Espero que tenha entendido algo da análise. Eu realmente me esforcei pra lançar essa joça, afinal, apesar de não ser um dos melhores jogos do mundo, é necessário falar dele pra poder falar sobre os demais... Fico feliz e satisfeito por ter me livrado dessa maldita ovelha negra, e até curti algumas curiosidades que consegui mostrar... mas... é isso. Agora, preciso fazer a análise sobre outra ovelha negra, chamada Mega Man X7, e depois to livre pra curtir as análises, como nos bons e velhos tempos. 

Até a próxima!

20 comentários:

  1. otima analize,parabens,essa serie e fantastica,o que mais gostei foi o 3,e o personagem que mais gosto e o vergil,adoro a velocidade dos combos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To providenciando a do 3 já. Eu to com a do DmC 2013 pronta, mas só posso postar depois de postar a do 3 e do 4, então to acelerando o passo. Perdi tempo de mais nessa do 2.

      Fico feliz por ter gostado e comentado, isso me permite postar a do 3, então, vou correr aqui.

      Também pretendo postar uma análise de MMX7 em seguida, e pretendo fazer tudo isso hoje.

      Se não conseguir hoje, amanhã faço, mas não vou enrolar não.

      E no caso da do 3, eu vou me dedicar bastante e fazer algo realmente decente, e de quebra, vou falar muuuuito de Vergil.

      Obrigado por comentar, e até a próxima (seguindo as Leis da Morte, posso postar a do 3 tranquilamente hehe)

      Excluir
  2. Fala sr morte

    Depois da tempestade vem a bonança, dmc 3 dante mais porra loka do q nunca, viciante esse jogo
    No dmc 2 nao tive nhem saco pra jogar com a lucia, e tipo de jogo q quando vc acaba vc fika aliviado... aliviado por nao ter q suportar mais essa merda, ele e mt arcade, vc se sente jogando jogos de consoles antigos, quando vc jogava uma vez so pra terminar o jogo e comentar com os outros nerds do pedaco, mt fraco, na epoca eu costei msm dos graficos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, compartilho de seus pensamentos. Tecnicamente esse foi o pior jogo que já joguei também... imagina analisar. Cara, eu dei graças a deus por terminar, e tipo, eu fui obrigado a jogar mais de 4 vezes, cada um dos dois cds, e ainda por cima tive de assistir gameplay pra printar.

      Mas, eu passei por essa, e agora bola pra frente. DMC 3 ta quase pronto, então fica atento, provavelmente hoje eu postarei a análise editadinha e bonitinha, daí tu lê e diz o que achou.

      Mestre Erosennin, valeu por mostrar que eu não fui o único que quase vomitou com essa porcaria chamada DMC2, e até a próxima.

      Excluir
  3. Pra mim, o devil may cry acabouno 4, pois lá o contesto da história estava muito melhor e igual ao primeiro e o terceiro, só de pensar no 2 e no dmc já me irrito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O 2 é uma porcaria mesmo, e realmente desanima. A forma que foi desenvolvido foi totalmente diferente do que tinha dado certo no primeiro... por sorte perceberam isso nas continuações e não repetiram a burrice. Mas, sobre DmC, eu não condenaria... é um bom jogo, alias, ótimo jogo. O principal diferencial são os gráficos mas, de resto ficou tudo bem saudoso... e ao mesmo tempo original. Sem contar enredo, odne finalmente nasceu um bom enredo, completo e detalhado, rico e com explicações decentes... algo que somou ao universo DMC... o contrário do 2.

      Excluir
  4. Obrigado por me poupar o tempo de jogar isso e ainda fico sabendo da estória.
    Abraços Gabriel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz e triste ao mesmo tempo... feliz por ter sido tão útil, triste pelo jogo ser tão ruim rs.

      Vlw sr Gabriel!

      Excluir
  5. Ótima análise, droga de jogo mesmo.Bom, eu acho que foi o Dante mesmo que chegou na moto, pois ele é filho de Sparda, e assim também pode entrar e sair do inferno livremente. Fico pensando em uma continuação para a série... Talvez o essa nova continuação pudesse se basear em Dante no inferno, matando os demônios lá e absorvendo suas almas para si, se tornando muito mais poderoso que o próprio Sparda e enquanto isso procurando uma forma de sair... e aí conseguindo sair, remetendo ao final do DMC2...É uma teoria para uma possível continuação, já que a Capcom comprou de volta os direitos de DMC...
    Mas viagens á parte, ótima análise, estou sempre contando com você para me informar sobre DMC, apesar de que eu já sabia muitas das coisas que você apresentou, vlw

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Cofee, eu também brizei sobre uma suposta continuação baseada em Dante no inferno... isso até poderia usar melhor a base original da trama (A Divina Comédia)... seria um tipo de Dante's Inferno com o Dante de DMC... magina a briza!!!

      Eu também acho que agora que a Capcom pegou o jogo de volta (você já disse isso duas vezes então, pra mim, se tornou um fato kkkk... mas eu não sabia...) podiam fazer um jogo onde nem Nero, nem Dante, nem Vergil fosse jogáveis (pelo menos no início). Imagina um jogo com o próprio Sparda, na época dele, mostrando a verdadeira história de uma vez por todas... isso sim seria épico não?!

      Bem, eu fico muito feliz por ter gostado... disso... eu tentei fazer a análise da melhor forma possível mas te juro... dmc2 é um nojo... se não tivesse tanta coisa importante pra franquia, eu desconsideraria... juro... tipo, comparando o trabalho desses estagiários com a Ninja, eu vejo muito mais respeito por parte da Ninja Theory.

      Excluir
  6. Por que você acha que o DMC4 se passa antes do DMC2? ._. você disse que ia explicar mas não vi onde >.> foi algo constatado da empresa que criou? ou tem alguma prova em um dos jogos disso? ._.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DMC 2 é um último da cronologia, por apresentar um Dante bem mais velho e depressivo. Além disso, é o final da trajetória de Dante, pelo menos até ele descobrir uma forma de vazar do inferno. Há indicies disso nos demais jogos, mas pra entender é preciso ver todos os jogos igualmente.

      Eu fiz uma análise individual de cada jogo, com o intuito de explicar a cronologia. Eu fiz o possível pra explicar de forma realmente completa, e há fragmentos em cada texto. Se tiver afim da uma lida em todos, que ai você vai entender bem a razão de eu defender a ideia de que DMC2 é o último, até então.

      http://divulgantemorte.blogspot.com.br/search/label/Devil%20May%20Cry

      Sr Leonardo... agradeço pela sua leitura e por sua presença. Espero que curta os outros textos... rs.

      See yah... e se não me engano na análise de DMC4 eu falei um pouco mais da cronologia.

      Excluir
  7. Ótima análise, realmente DMC2 é péssimo e o pior jogo da franquia. Há pouquíssimas coisas boas nesse jogo, como o Devil Trigger (e a Majin Form, forma demoniaca mais poderosa do Dante) e jogar com a Trish. A jogabilidade dela é muito foda, até salva um pouco o jogo, tem vários movimentos combinados do DMC1 e do 2. Infelizmente o jogo só libera ela após zebrar no Hard, então... É paciência demais pra uma recompensa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw sr Kevin, bem vindo.

      O 2 é horrível... até hoje não consigo olhar pra italia direito. Aquelas casas eram bem feitas, mas o jogo traumatizou rs.

      Mas como você disse, tiveram boas coisas. Eu diria mais, eu diria que ele foi um mal necessário para o surgimento da franquia Devil May Cry... ele deu margem a uma das características principais dessa série.

      Excluir
  8. Só uma pequena correção quanto à cronologia da série: DmC (de 2013) não faz parte da cronologia clássica. É um universo paralelo.
    Podemos notar as diferenças de ambas as histórias, como por exemplo Eva (mãe de Dante e Vergil) ser humana nos clássicos e um anjo no DmC.
    Também tem o cabelo branco, enquanto nos clássicos Dante e Vergil já nasceram com ele, no DmC ele só ganha no final.
    E Sparda no classico havia selado Mundus, enquanto no DmC é o contrário, Sparda é selado enquanto Mundus governa o mundo.
    Os eventos que ocorrem antes do DMC3 são contados nos mangás do DMC3 e do 1, e na primeira parte da Novel do DMC4, onde Vergil visita a cidade de Fortuna, deixando Nero na porta de Credo Angelo, e confronta Sanctus sobre sua devoção doentia à Sparda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hm... sr Kevin, eu entendo mas... quando entra nesse assunto eu costumo argumentar da mesma forma...

      Eu não considero os mangás, nem novels, nem a animação. Outra coisa que não considero, são as informações oficiais. Sério, eu sou muito... digamos... limitado... às informações contidas nos jogos, apenas nos jogos. Dificilmente considero com algo externo, a menos que eu concorde.

      Há uma série de fatores pra que eu pense assim, mas em resumo eu diria que jogos são jogos, e devem ser analisados e interpretados como tal. Não pelo que eles deveriam ser, nem pelo que disseram que eles seriam, mas pelo que são. Quem esteve envolvido na produção e o que eles pretendiam por, ou o que eles pensaram, não tem o mesmo valor quando posto ao lado de fatos, ideias e pistas existentes dentro dos jogos.

      Sobre as contradições do universo exclusivo de cada DMC, a resposta é a mesma pra todos eles: Histórias com furos por falta de sinceridade.

      Na verdade, não ocorre isso só com DmC perto de DMC3 ou 1... mas com todos perto de todos. Eu tive o trabalho e prazer de analisar um a um e apenas confirmei esse fato: Cada jogo apresenta seu próprio universo.

      Mas, essa é a tal característica que citei no comentário anterior. DMC é um tipo de jogo em que algumas informações são reais, e outras não. Algumas são lendas dentro do universo de DMC, outras são fatos. Separar ambos cabe ao jogador e a sua capacidade e comprometimento com a interpretação. Eu, utilizo um modelo simples pra esse fim, eu apenas considero aquilo que eu jogo. Se um personagem me conta uma história, dentro de DMC... eu duvido. Essa ideia chegou a enraizar na minha mente e eu acostumei a fazer isso com todos os games, mas até hoje, o única série que padronizou isso foi DMC.

      Eu entendo você, mas eu enxergo o mundo dos video games de uma forma mais individual pra cada jogo em suas respectivas séries. Não é como um livro, um filme, uma hq ou uma música... alias nenhum deles é igual, e a forma de observa-los e analisa-los também não. Mas um erro gravíssimo que se impregnou no universo gamer foi o fato de generalizarem o modelo de interpretação e análise, baseado nos mesmos fatores. Isso... é errado. Cada jogo, cada série, cada mídia, deve ser avaliada de uma forma totalmente individual e baseada no universo próprio que ela cria.

      Sr Kevin... obrigado por ler e até por me corrigir... por mais que eu acredite que não esteja errado. Eu entendo que existem muitas formas de se interpretar um produto e também, muitas perspectivas. Dentro do meu campo de visão, eu não considero produtores, diretores ou trabalhos paralelos se estes não coincidem com o que eu entendi... a menos que eu descubra que eu esteja completamente errado, e normalmente eu não passo por isso pois, interpretação é algo individual, e toda teoria é válida, se bem explica e se bem argumentada.

      Enfim... see yah sr Kevin! E bem vindo ao blog novamente.

      Excluir
  9. Boa análise, eu sinceramente não achei DMC2 tão ruim devido a algumas coisinhas que acho que salvaram o jogo(pelo menos pra mim)mas tirando isso, o jogo me decepcionou muito, chego até a ficar triste ksks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que o esquema de quase ser em mundo aberto e ter uma lado gótico mais acentuado deixa o jogo um pouco mais aceitável, mas de resto é decepcionante mesmo.

      Mas, toda família tem uma ovelha negra né sr Vergil rs.

      Excluir
  10. Ia jogar esse no emulador exatamente agora, pesquisei pelas armas pra saber quando iria ganhar e acabei entrando aqui pra ver o detonado... e sinceramente... perdi a total vontade de jogar pq só no ler é uma porcaria o jogo kkkkk bela análise, parabéns pelo seu trabalho continue assim :D deve ser chato pra cacete fazer uma análise de um jogo de bost4 ��������

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DMC2 foi um desafio, daqueles bem difíceis, pois eta jogo ruim sr. Eu joguei ele mais pelo fato de precisar analisa-lo por causa da franquia, e pra ver se ele era tão ruim quanto os outros diziam... e ele era mesmo.

      Apesar de ser um jogo horrível, ele contribui pra franquia de algumas formas, mostrando o quão chato é o final de tudo. Eles pelo menos tentaram... foi uma tentativa feia, forçada e ruim, mas foi graças a ela que surgiu o aclamado DMC3, que é totalmente o oposto.

      Enfim, já tiveram jogos mais bost4 ainda que tive de analisar, como o Might Nº9... mas, valeu a pena...

      Sr, obrigado pela leitura, e bem vindo ao DM.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+