PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

terça-feira, 28 de julho de 2015

AnáliseMorte: Ragnarok Online VS Ragnarok Online 2 - Advent of Valkyrie - Semelhanças e Diferenças.

O título não poderia ser mais curto, e essa será uma análise simples, porém instrutiva (tomara). 

Meu objetivo nela é comparar ambos os jogos, depois de tê-los jogado e viciado em ambos (rs). Irei descrevê-los completamente, ou morrerei tentando. (na real vou resumir o que der, só pra dar uma ideia de como os jogos são)

RO é desenvolvido pela Gravity, mas distribuído nos outros países por outras empresas (no Brasil é a Level Up! Games). Já RO2, é desenvolvido e distribuído pela Gravity, até mesmo no Brasil.

Pra quem não conhece Ragnarok 1 ou 2, e queira conhecer, essa postagem é a ideal... falarei muito de ambos, com direito a imagens e tudo mais. Mas irei introduzir antes de tudo: Os Ragnarok's são jogos Online, do gênero MMORPG... o primeiro já foi um sucesso, mas atualmente está ofuscado. O segundo já foi um fracasso várias vezes, teve versões totalmente descontinuadas, mas hoje ta sobrevivendo, e é muito bom. Ambos os jogos pertencem a mesma desenvolvedora, mas foram distribuídos e desenvolvidos de forma totalmente diferente, o que criou a distante ponte que os separa. 

Lembrando, sempre tem spoiler... e acredite, apesar de serem MMORPGs, haverão muitos spoilers. 

Detalhe: Essa postagem é só pra passar o tempo até a próxima análisemorte, então sinto muito se não ficar boa.

Boa leitura!

Bem, já falei um pouco sobre a situação atual de Ragnarok Online no Brasil, e não vou repetir nada disso, agora irei me focar mais no estilo do jogo mesmo, no gameplay.

Bem, o primeiro jogo e o segundo são do mesmo gênero, mas são bem diferentes, começando pelo gráfico:

Ragnarok Online possui um gráfico 2D, visto de cima, em cenários 3D. Só vendo pra entender.



Ragnarok Online 2 possui um gráfico totalmente 3D, com uma pitada cartoonizada, gráfico que lembra animes. 



Na verdade, ambos tem essa mesma jogada, pois os jogos são baseados em um Mangá de mesmo nome, e também em um Anime... ambos falando praticamente do mesmo universo.... mas cada um tem sua própria história, personagens, e realidade. É tudo baseado em tudo.


Normalmente eu não falo de Manga, ou Anime, pois tudo o que eu falo gosto de por imagens, e animes e mangas são relativamente grandes e complexos de mais pra selecionar as imagens corretas... talvez, um dia eu fale de Ragnarok dessa forma, mas hoje vou me focar apenas nos jogos.

Cada um com seu gráfico, ambos os jogos ainda mantém semelhanças, como as criaturas.

Uma criatura clássica e sempre presente em Ragnarok é o Poring, o mascote do jogo... o monstro principal, inicial: A bolinha de orvalho com vida.



Ele sempre tem descrições diferentes de jogo pra jogo (apesar de Ragnarok ser mais famoso pelos seus dois MMORPGS, ha também outros jogos da mesma série, em outros gêneros), onde em Ragnarok 1 ele nem é exatamente explicado, e em Ragnarok 2 ele é descrito como "Lágrima de Odin".



Algo que me chamou muito a atenção em Ragnarok 2 (RO2) foi justamente isso: A repetição das criaturas, e suas explicações.

Ver monstros, aos quais eu já era familiarizado em Ragnarok Online (RO1) em gráficos totalmente 3D (3D de múltipla visão, não daqueles que saem da tela tipo cinema ou 3DS rs) e ainda conhecer seus significados e origens é bem legal.




Claro, que tecnicamente, suas origens não são bem as mesmas, mas os jogos acabam se unindo de certa forma por conta das explicações.

MMORPGs normalmente não tem "fim". Você pode sempre criar um novo personagem, e jogar com outros jogadores, tendo novas aventuras, realizando as inúmeras novas quests, pois geralmente, jogos online são sempre atualizados com mais conteúdos.

Daí, ver um "Ragnarok 1 e 2" da uma ideia de continuação do jogo, sendo que ele não acabou (pelo menos não oficialmente =/) e ainda recebe atualizações semanais (pelo menos... finge que recebe). Mas são obras totalmente distintas.

Na verdade, RO2 se passaria antes de RO1, se for parar pra analisar. 

RO2 foi refeito algumas vezes, o primeiro se chamava The Legend of Second, mas não agradou e foi cancelado e refeito. A ideia de criar um Ragnarok Online 3D, pra nova geração de jogadores, permaneceu viva por bastante tempo, até que deu certo em RO2 (pelo menos até agora).



Mas RO1 continuou vivo, sendo atualizado, recebendo seus "novos episódios" e até novas classes. Dois trabalhos paralelos, para agradar todos os públicos.



A ideia de RO2 é bem diferente da de RO1, enquanto RO1 tem um foco maior em dialogo e interação...




RO2 parece se focar em história e conhecimento. Ambos tem esses mesmos elementos, mas eles se destacam mais em um do que no outro... 





Por exemplo:

RO2 tem um enredo pra cada classe do jogo. Você começa, escolhe sua classe, e conhece a história dela. A partir dai todo seu jogo irá girar em torno da origem do seu char e da missão dele no local onde ele nasceu. Todas as missões (a maioria) acabam se tornando as mesmas pra qualquer classe criada, mas, no inicio, elas são únicas pra cada personagem.



RO1 tem suas missões, você inicia, cada personagem tem um "conceito" pra existir, mas nada muito profundo (a menos que você pesquise muito pra entender), e no fim, todos servem para o mesmo objetivo: Se tornar forte e lutar mais.



Em RO1 entretanto, é muito mais fácil conversar com outros jogadores. O sistema é mais intuitivo e prático, e o servidor é regional, somente jogadores do mesmo país acessam cada servidor, cada país tem seu próprio servidor. Isso facilita que jogadores se enfrentem, e alimentem o arsenal de seus personagens pra conseguir vencer seus rivais de alguma forma, em PVP (Player versus Player - Lutando contra outros jogadores) PVM (Player Versus Monster - Caçando monstros diferentes) ou MVP ("Monster Very Powerfull" - Caçar chefões)... pelo menos contato não falta.



Em RO2 a ideia é conhecer a história de tudo, tanto que a melhor forma de se tornar forte é fazendo missões, quests, tais quais contam histórias sobre personagens, monstros, regiões, eventos. E de quebra, o servidor de RO2 é multinacional... com direito a Seleção de Idioma (tem o idioma Português do Brasil). São vários jogadores de regiões diferentes, países diferentes, conhecendo as mesmas histórias. O esquema de diálogo é mais complexo que RO1, então em comparação, é mais difícil se comunicar em RO2.



Eu diria até que RO2 é um jogo pra quem curte história, e RO1 pra quem curte jogar por jogar. 

Eu fiz o seguinte: Criei meu primeiro personagem em RO2 e fui desenvolvendo ele até chegar ao nível máximo, e enquanto isso via as diferenças entre os jogos, que eram muitas. 

Logo de cara já vi que era tudo bem diferente: RO2 tinha outras classes e profissões. 

Em RO2, ao começar você deve escolher qual será sua Classe, e qual será sua Profissão. Sua Classe é aquele tipo de personagem que você usará para caçar, lutar, e se aventurar. Sua Profissão define quais serão suas técnicas de auto suporte. 



Como Classe inicial, você deve escolher entre Espadachim, Mago, Arqueiro, Gatuno, Noviço ou Alter... e ai tem algo interessante, essa classe "Alter" pertence a outra Raça: Noel. Ou seja, no inicio de tudo você precisa escolher se será Humano ou Noel. 



Noel é uma raça nova pro universo de Ragnarok, um tipo de Fada com chifres, pequena. Seu formato lembra os "Babys" de Ragnarok 1, mas muito mais uma outra raça apresentada recentemente em RO1 (falarei disso depois). Alias, nunca houve isso de escolha de Raças, é uma novidade de RO2 que pode um dia ir para RO1 (se ele sobreviver... quem dera).



Em RO1, ao começar você é um Aprendiz, caça um pouco, estuda sobre as classes que existem no jogo, e quando finalmente decide o que vai ser, se torna a Classe que escolher entre as iniciais: Espadachim, Mago, Arqueiro, Gatuno, Noviço, Mercador, Taekwon, Ninja ou Justiceiro, sendo essas 3 últimas classes "Expandidas" que não poderão se tornar as "2° Classes".



Em RO2, ainda no inicio, ao mesmo tempo em que se cria o personagem, você deve definir qual será sua Profissão, existem 4: Mestre-Cuca, Alquimista, Ferreiro ou Artesão. Ou seja, você pode ser um Arqueiro Alquimista.... um Noviço Ferreiro... qualquer coisa. 



Essa "Profissão" habilita funções únicas de Produção: Alquimistas produzem suas próprias Poções com Ervas que colhem em qualquer lugar. Ferreiros produzem suas próprias Armas, com Minérios que encontram por ai. Mestre-Cucas produzem suas próprias Comidas, que melhoram atributos, com ingredientes que pegam dos monstros ou compram por ai. Artesões produzem seus próprios Equipamentos, com materiais que caem de monstros ou são comprados. 



Isso serve pra dinamizar ainda mais o jogo, onde cada personagem pode ter um desenvolvimento totalmente diferente do outro, com base em sua Classe e Profissão. Cada uma dessas duas facetas se desenvolve independente da outra... você pega leveis de Classe e de Profissão conforme se aprimora na mesma. Você pode ser um Arqueiro level 40 e Alquimista level 10 por exemplo, sendo que o máximo pra ambos é o level 50.

Em RO1, "Alquimista" e "Ferreiro" são 2° Classes, sendo evoluções da classe inicial "Mercador". Essa classe foi extinta em RO2, sendo que em RO2, qualquer classe é "Mercadora", podendo abrir e negociar itens em sua lojinha a qualquer momento, e em qualquer lugar. Logo, você pode ser um Arqueiro Alquimista Mercador em RO2, enquanto em RO1 é preciso ser inicialmente da Classe Mercador, pra então conseguir negociar algo por meio de Lojas.

Na realidade, só é preciso ter Carrinho e a habilidade Comercio, mas as unicas classes que tem essas coisas são Mercadores e evoluções e Super Aprendiz, que é uma classe que tem um pouco de cada classe 1.

Só ai deu pra ver como tudo é diferente em ambos os jogos... mas tudo parte do mesmo princípio: Você caça, upa, se torna mais forte pra caçar mais criaturas em outras regiões, mais difíceis.

Em RO1, quando você se torna a Classe 1, seu objetivo é chegar ao lvl 40 ou 50 de Classe para poder mudar para a Classe 2. Existem duas Barras de Experiência em RO1, uma de Base e uma de Classe, a barra de Base define quais serão seus Atributos, seus pontos para melhorar sua capacidade de luta, poder, peso, velocidade, resistência, etc. A barra de Classe define quais serão suas Habilidades, seus poderes pra atacar ou se defender. Cada level, te da um número de pontos pra você distribuir como quiser, e onde puder, sendo que algumas habilidades exigem outras como pré requisitos... ou seja, mais pontos pra poder liberar.



Em RO2, o esquema das duas Barras permanece, mas agora uma é da Classe, e a outra da Profissão. A barra de Classe serve pra definir quais são seus Atributos, e quais suas Habilidades, no mesmo esquema de RO1, em uma única barra. A barra de Profissão define somente seu level como Profissão, nada muito além disso, onde seu personagem ganha maior facilidade pra suas Produções, além de liberar um poder especial de invocar um Guardião.


Esse tigre é meu personagem em RO2, transformado em Tigre... e aquela coisa flutuando é o Guardião dele, o Guardião dos Alquimistas... Guardiões aparecem por pouco tempo, e depois que somem demora bastante pra poderem ser chamados novamente, mas aumentam muito a velocidade do personagem e um pouco os seus atributos enquanto ativos... é um bom recurso.
Em RO1, é possível também produzir itens, mas somente as classes que tem essa função como Habilidade. Os Alquimistas (Classe 2 de Mercador) produzem Poções, criam Homunculus, fazem um monte de coisas, que só sua classe faz. Ferreiros (Classe 2 de Mercador) produzem Armas, Equipamentos, Refinam coisas, de forma que somente eles conseguem. Mas existem vários outros tipos de produções, como Alimentos, feitos através de uma quest específica, Runas, Flechas, Pergaminhos, Consumíveis... e por ai vai...


Como mencionei, há as Classes 2... elas existem tanto em RO1 quanto em RO2, a diferença é que em RO2, como o level máximo é o lvl50, só é preciso chegar até o lvl 25 em sua Classe pra se tornar a Classe 2, e todas suas habilidades de Classe 1 são perdidas ao se transformar. 


Em RO1, o lvl99 é o máximo (inicialmente) e você precisa chegar até o lvl 40 ou 50 de Classe pra se transformar em Classe 2, onde suas habilidades de Classe 1 são mantidas, e novas habilidades liberadas.


Algo que me pegou de surpresa, pois quando iniciei o RO2, comecei como Arqueiro, e decidi me tornar um Senhor das Feras como Classe 2 (classe inexistente em RO1) tal qual tem o poder de se transformar em Animais... mas usa uma Lança como arma, não Arcos (até pode equipar, mas não tem skills voltadas pro Arco, nem mesmo as da classe Arqueiro ficam livres). O jogo mudou completamente, e de uma classe focada em esquiva e ataque a distancia, fui convertido em um personagem que segura os monstros e ataca de frente, corpo a corpo.



Tentei fazer algo parecido em RO1, criei um Arqueiro, desenvolvi ele até a segunda classe como Caçador, depois peguei level 99, e ao invés de fazer meu personagem voltar ao lvl 1, como um Transcendente, eu optei por me tornar uma Classe 3 como Sentinela, pra ter um Warg (Lobo Grande) e usar equipamentos que mudariam meu desenho pra parecer com animais... confuso? Pois é, em RO1 existe uma árvore de classes e evoluções muito maior... 



Bem, há uma pá de diferenças, só essas já servem de exemplo, são jogos bem diferentes mesmo... mas eles tem a história em comum... ou quase.

Credo, ficou uma coisa meio técnica né?! Mas acredite o jogo tem bem mais coisas e complexidades, diferenças e afins... só que já da pra ter uma ideia de como são só com isso mesmo.

A história base de RO1 é: Heróis em Rune Midgard lutando pra se tornarem fortes e enfrentarem o desconhecido.


Kafras são aliadas e verdadeiras guardiãs dos aventureiros... elas teletransportam os heróis de um lado pro outro no mundo de Ragnarok, magicamente, em troca de algumas moedas... de onde veio todo esse poder?
A história base de RO2 é: Após catástrofes, Rune Midgard encontrou um período de paz, mas estranhos religiosos de outra região conspiram contra o continente, trazendo criaturas demoníacas e seres das trevas para espalhar o caos e tormento.


Em RO2, as Kafras não teletransportam, elas transportam... elas carregam o jogador em suas vassouras pra pontos específicos dos mapas, e mesmo as Kafras de longa distancia, usam suas vassouras para levar de uma cidade a outra... o que da margem pra Teoria dos Portais... (falo dela um dia... um dia...)
Super-ultra-mega-totalmente resumidamente é isso, mas há ligações entre os dois enredos.



No desenvolvimento de RO1, sua história é revelada aos poucos, por missões, eventos e episódios. Cidades visitadas, Ilhas novas, tudo revela algo mais sobre o universo de Ragnarok. Rune Midgard estava numa guerra antiga contra Arunafeltz e a República, e muitos dos problemas que surgiram nasceram dessa mesma rivalidade. Em RO2, é essa guerra que é explicada, em detalhes.


Papisa... ela é a líder de Arunafeltz em RO1, enquanto Rune Midgard é liderada pelo Rei Tristan III (até que ele é assassinado por conspirantes de Arunafeltz... provavelmente aos mandos de ninguém mais, ninguém menos que essa mesma mocinha da foto.
Ragnarok baseia-se na Mitologia Nórdica, onde o fim do mundo se chama "Ragnarök", Odin e Freya são deuses "rivais" nessa mitologia, e em Rune Midgard, o deus idolatrado é Odin, enquanto em Arunafeltz, continente vizinho, a deusa Freya é a divindade da vez. Ambos lutam uns contra os outros em nome de seus deuses, e dessa batalha, nascem os monstros.



O fato do Poring em RO2 ser descrito como Lágrima de Odin é uma forma simbólica de dizer que as criaturas nasceram dos deuses, em meio a toda essa guerra. E de fato é isso que é mostrado.

Vários MVPs são apresentados, ou reapresentados em RO2, com suas origens explicadas, e na maioria das vezes, eles nasceram porque Freyanos (seguidores de Freya) conspiraram contra a galera Midgardiana... Algoz Eremes por exemplo, um inimigo muito conhecido em RO1, tem sua origem revelada em RO2.



Ele ajuda seu personagem, de certa forma, em todas as missões iniciais até o fim de sua aventura, onde ele se torna o inimigo, o MVP Algoz Eremes. 



Isso é um exemplo simples de como o enredo de RO1 se mistura com o de RO2, isso por que o enredo de RO1 também se mistura bastante com o do Manga e do Anime, e por ai vai nessa grande mistureba.



Antes que me esqueça, aqui uma teoria sobre a origem dos Noel:

Em RO1, recentemente foi lançado um Episódio onde muitas raças e criaturas surgiram, com uma outra dimensão chamada Ash Vacuum. La, existe um povo (que não é jogável, é apenas NPC) chamado Manuk, e Esplendor. 

Os Manuks são gigantes que parecem ser de madeira, pacíficos e operários, já os Esplendors são fadas, pequenas, arcanas, e guerreiras. 


Essas criaturas habitam em um local desconhecido por todos em Rune Midgard, Arunafeltz e República (os 3 continentes bases de RO1), tal qual se torna acessível através de uma Fenda Dimensional que arrasou com a cidade de Morroc (isso foi um Episódio, no qual a linda cidade foi literalmente destruída e um buraco enorme surgiu no meio dela, junto com o novo MVP Morroc).

Em RO2, todos os monstros com origem demoníaca surgem de Fendas Dimensionais, e inclusive isso é algo até comum, pois essas Fendas surgem aos montes (Morroc está inteira, e é considerada a Capital de Rune Midgard de tão movimentada, apesar de ficar no deserto, afinal la é a cidade dos lvl 50, e o level máximo é o lvl50).

Sabe-se ao jogar de Noel, que eles são uma raça terminal, praticamente extinta, que surgiu da desgraça de Yggdrasil (essa é a Árvore da Vida na Mitologia Nórdica, tal qual carrega todos os mundos.) Em RO1, os Esplendors habitam na própria Yggdrasil, defendendo a Ponte de Bifrost, e lutando contra os Manuks para que eles não danifiquem a Árvore da Vida. Pois bem... 



Os Noel podem ser os primeiros Esplendors que foram até Midgard, e foram amaldiçoados por tal. Fato é que até o momento, nenhum Esplendor deixou Ash Vacuum e se aventurou até a dimensão dos humanos, o que deixa em dúvida o porquê. Atualmente em RO1, as missões dizem que os Esplendors e os Manuks estão em paz, e inclusive estão trabalhando com os humanos, solicitando recursos do outro continente e etc. Mas, porque eles não vão até la?



Há um lado obscuro na história dos Noel, onde para um Noel existir, outro deve morrer, dando sua vida pra ele. Isso talvez seja uma maldição que os Esplendors receberam por abandonar Yggdrasil. O fato dos Noels terem, em suas evoluções, somente habilidades que causam a morte, drenam vida e transmitem a mesma, faz com que o significado de suas existências sejam controversos ao da grande árvore na qual eles habitam (eles tem um povoado próximo as raízes de Yggdrasil.)



Será, que um dia haverá a Classe Esplendor e Manuk em RO1? Será, que essa teoria de que as fadas demoníacas de RO2 seriam ancestrais renegados das fadas fofinhas de RO1 faz sentido? Bem... pra tirar a dúvida... só jogar, e esperar para que um dia surja episódios que expliquem tudo isso.

E é isso. Quanta doidera né? Pois é... agora vou me focar em análisesmorte mais decentes hehe.

Talvez um dia eu fale dessas duas fotos e as aventuras de Dean... o dia em que demorei 2 horas pra derrotar Belzebu... e o dia em que derrotei Ifrit...



Ps.: Faltou muita coisa, e quem sabe um dia eu complete essa análise com mais comparações... tem realmente bastante coisa pra falar como o esquema das Cartas, que muda de RO1 pra RO2, o lance do Leilão, Correio, Montarias, Pets... a Teoria sobre as Barreiras de Midgard... vish... tem muita coisa... mas vou deixar pra uma próxima ^^!

Obrigado por sua paciência, e até!





4 comentários:

  1. Ei sempre tive vontade de jogar ragnarok e gostaria de saber se vale a pena jogar o 2 e se tinha algum lugar q realmente tenha assistencia pro servidor e lembre como era antigamente q todos dissem ser a melhor epoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, minha postagem foi só pra arpesentar o jogo, mas um dia quem sabe eu fale melhor dele... porém sobre sua pergunta ou dúvida:

      O jogo é distribuido pela própria Gavity, a desenvolvedora, então ele é constantemente atualizado e vive com eventos. O Site oficial só possui as informações básicas do jogo, como as atualizações, periodos de manutenção e explicações simples, porém há foruns por ai que tem guias, dicas, tutoriais e explicações. Eu tive de procurar um pouquinho mas encontrei um site que explica com detalhes tudo sobre passagens do jogo, tipo quests, tarefas, o que fazer, onde caçar... Só que tudo isso é um pouco dispensável, pois o próprio jogo oferece textos e explicações online mesmo, na dúvida é só ler o que eles mostram. Ragnarok 2 não da a mesma sensação de Ragnarok 1, é diferente... mas é nostalgico pois te reinsere no universo RO por outro angulo, é divertido.

      Excluir
  2. Joguei o Ro2 por certo tempo e ñ curti mt, mas o Tree of Savior, novo jogo do criador do Ro1, parece mt mais convidativo só pelos videos, pena que não consegui me escrever a tempo pra Beta fechada dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo... também gostaria de jogar ele, mas sei la... depois de Ragnarok não consigo me manter mais em mmorpgs.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+